Conviction - 1x04 - Mother's Little Burden

Por Janaína Guaraná

28 de outubro de 2016

Nessa vida a gente tem que entender que enquanto uns nascem para sorrir, outros nascem para sofrer, começo com esse trecho de música, porque dessa vez, nem todo mundo é filho de ex-presidente e pode ser pego com cocaína e se livrar da acusação em uma hora. O mundo é assim, pasmem, tem gente que cresce e vive cercado de privilégios e nem por isso são pessoas más, são mimadas talvez, mas quando elas reconhecem isso em rede nacional, um ou outro fica magoado e os mandam embora. 

O acordo entre Hayes e o promotor Conner Wallace, está em toda a imprensa e causando problemas para os protagonistas, afinal, seja ela quem for, o ideal seria estar presa ou prestando serviço comunitário, mas como disse antes nem todo mundo tem um sobrenome poderosos. E sejamos sinceros, aqui entre nós, Hayes errou, errou, mas ela estava na delegacia presa e toda contente dançando, quem chegou com um acordo foi o promotor a mando da mamãe Morrison, que convenhamos, só pensava na campanha dela. Então parem de achar que o centro de todo o escândalo é a bagunceira mor da Casa Branca e cada um pegue a parcela de culpa que lhe cabe, inclusive a mamãe que nem as caras deu. 
Não dá para pegar um caso desse, exposto aos quatro cantos e maquiar, disfarçar e tornar aceitável ao público. Sorry, Jackson (Daniel Franzese), ou a pessoa senta e assume seu crime e entre lagrimas promete que nunca mais vai fazer isso, ou assume a verdade, e eu cito; “Gente rica, famosa, poderosa, se livra disso tudo o tempo todo. Ás vezes, de um assassinato. Cocaína na bolsa, abuso de informação privilegiada, assédio sexual. Por causa do meu nome, os policiais ligam para o promotor. Ele liga para a minha mãe. Pauzinhos são mexidos. E eu sou liberada em uma hora com um novo emprego.” MORRISON, Hayes. Doa a quem doer, a quem passou a mão na cabeça e a quem esteve lado a lado, essa é a verdade, lidem com ela. #HayesMandouAReal

O caso da semana merece um breve comentário, é o típico caso onde as mulheres sofrem a pressão de cuidar dos filhos, como se o peso tivesse que ser carregado só pela mãe, que está casa, cuidando e levando os tapas enquanto o pai está por aí, tendo casos e pensando em deixar a mulher com o filho com problemas sérios. Todo esforço e amor dessa mãe foi mostrado no ultimo ato altruísta dela, que atingiu Hayes como uma bala, quando a mamãe Morrison faria isso pelos filhos; N U N C A. 

Sam amigo, não importa quão azuis sejam seus olhos, você não é ninguém no mundo para que sua opinião e convicção ditem se alguém merece continuar preso ou ser tido como inocente, apenas melhore! 
Todos têm um pedaço dessa torta de culpa e o que eu vejo, é essa culpa sendo direcionada para a Hayes, certo, ela falou demais, falou, mas falou a verdade e agora tanto ela como as pessoas envolvidas em encobrir o crime dela, tem que pagar e não ficarem emburrados dizendo que não querem conversar e mandando a pessoa embora. 

Poderíamos falar sobre irmãos e a cumplicidade que esses dois tem mostrado desde o inicio, mas não são irmãos comuns, daqueles que cresceram subindo em arvores juntos, que brigaram e no próximo minuto estavam brincando. Foram criados por um presidente e uma mãe ambiciosa, que as aparências sempre importaram mais, então são irmãos que quando brigam, brigam de verdade.

Lembram das mãos que se juntaram para enfrentar um batalhão na porta de casa, parece que elas se soltaram, se soltaram e alguém não pode entrar em casa.
Comentário(s)
0 Comentário(s)