Arrow - 5x01 - Legacy (Season Premiere)

Por Bruna Horta

7 de outubro de 2016


O flashpoint em The Flash bem que poderia ter apagado as duas últimas temporadas de Arrow, né? 


Como vimos na Season Premiere de ambas séries, infelizmente isso não aconteceu, mas parece que os roteiristas e produtores se esforçaram para tirar Arrow do buraco da decadência. E legado, nome desse primeiro episódio é o que precisa ser deixado nesse arco de temporada, já que é o quinto ano e a história tende a ir se esgotando. 



O esforço para repaginar a pegada da série pôde ser visto na volta do personagem a esse lado mais sombrio, torturador e por que não, assassino? Thea que me desculpe, mas é totalmente compreensível Oliver agir assim depois da morte de Laurel. A volta do Arqueiro atuando quase sozinho fez relembrar os bons tempos da primeira temporada e isso é ótimo. Claro que foi uma perda considerável o desmanche do time; o que fez aquela cena de Dig e Oliver conversando sobre a possibilidade de um novo time, ser o ponto alto do episódio. Algumas cenas de luta também tiveram destaque, já que muitas na temporada passada ficaram muito aquém, com tons quase humorísticos. O antagonismo de Tobias Church é necessário ser ressaltado. Sua voz grave, socos ingleses e rapto do prefeito, demonstram que chegou mesmo para tomar o comando do crime na cidade. Só não podemos esquecer do arqueiro negro no final, (e posso estar enganada, mas não me pareceu o Malcom), que pode ser uma dica do que será a real dor de cabeça da temporada para o Arqueiro Verde. Para finalizar os pontos interessantes, o flashback na Rússia foi inacreditavelmente bom. Não acredito que gostaria de mais nenhum deles na série, principalmente depois daquele retorno à ilha no ano passado, mas a Bravta é um núcleo forte, que pode render boas cenas de luta e um bom motivo para Oliver retornar à Starling City (espero que finalizando a era dos flashbacks). 

Agora, se por um lado tiveram tantos avanços diante da temporada anterior, por outro, existem muitos erros que persistem e outros a serem corrigidos (espero) ao longo dos episódios. O primeiro deles foi as tramas soltas ou abandonadas no meio do caminho. Machin começou como o vilão do episódio, depois apareceu o Tobias e por fim, um arqueiro negro. Ficou estranho esse desaparecimento do Anarcky e a inserção tão rápida de dois antagonistas. Talvez só o Tobias teria tal força e um aparecimento precipitado desse outro arqueiro pode acarretar em: plots com resolução rasa ou rápida, falta de foco em qual é o inimigo da temporada e o mais provável deles é a antecipação ao espectador, deixando tudo meio previsível. O segundo problema é um dos maiores ao meu ver e está relacionado ao arco de Oliver Queen ao longo da série. O personagem sempre viveu esse dilema entre ser o vigilante e o empresário, e parece que ele ainda não aprendeu nada. Agora como prefeito ele esteve em todo momento dividido entre suas obrigações na prefeitura e como super-herói. Isso mostra que o personagem ainda vai ter que evoluir muito, porque essa história já está ficando repetitiva para o espectador. Por fim, e não menos importante, Laurel Lance. É sério aquela estátua? Que coisa horrenda, nada a ver com a Kate Cassidy, mas pior do que isso é o pedido feito ao Oliver no hospital para que ela não fosse a última Canário Negro. Se deixarem aquela imitadora voltar, será revoltante! 
Espero que Legends of Tomorrow ou mesmo Flash consiga mexer no Multiverso para que a Canário volte e que seja na pele da Laurel! Aguardemos o decorrer da temporada. Não foi um desastre, mas ainda está longe do padrão dramatúrgico e narrativo das duas primeiras temporadas! 


Ps: Quem é aquele cara com a Felicity, gente? Se não se tornar do mal, pode ter certeza que vai morrer rápido…
Comentário(s)
0 Comentário(s)