Once Upon a Time - 6x1 - The Savior (Season Premiere)

Por Priscilla Caroline

30 de setembro de 2016

Finalmente Once Upon a Time is back!

Depois de uma gigantesca pausa de vários meses, a fall season, época favorita de nós seriadores voltou, e com tudo.

Como já vem acontecendo desde a 3ª temporada, ela continua sendo dívida em parte A e B. E agora na parte A vamos conhecer um pouco mais de Aladdim, e também um pouco das histórias não contadas como Jekyll e Mr. Hyde, não esquecendo que teremos EVIL QUEEN, Lana Parrilla em dose dupla. Obrigada Deus!

O episódio já começou mostrando o que podemos esperar dessa temporada. Emma realmente não tem descanso.... Já vimos que ela está perturbada com suas visões, e segundo a Oráculo, essas visões representam coisas que acontecerão em seu futuro. Seria Jaffar o grande vilão que Emma enfrenta em suas visões?

Não se sabe ainda o motivo da troca de ator, afinal já vimos um pouco sobre Jaffar em Once Upon a Time in Wonderland.

Algo que me incomodou muito nesse episódio foi o fato de Emma ainda relutar sobre dividir seus problemas com sua família, parece que mesmo depois de tudo que aconteceu em todos esses anos não serviram para nada, afinal ela não aprendeu nada sobre dividir com a família. Além disso ela mentiu na maior cara lavada para o Hook. Na hora de pedir ajuda, foi procurar a pessoa menos confiável na cidade. Pessoas foram ao submundo por ela, e ela ainda não consegue derrubar esse muro e dividir com eles que são a sua família.

Por mais pinta que Mr. Hyde tenha, ou tente ter, ele parece ser um dos vilões mais fracos até agora. Confesso que não conheço muito sobre Jekyll e Mr Hyde, até tive interesse para procurar mais coisas sobre eles, mas não deu, “shame on me”. A introdução desse arco na temporada passada não foi tão impactante, parecia mais com um problema que os heróis precisavam enfrentar, mas que não causaria tantos transtornos. Enfim, não tenho grandes expectativas sobre ele e nem sobre os moradores (refugiados) que chegaram no zepelim. Minha teoria que talvez alguém de Agrabah tenha vindo na bagagem, e não sei ainda como Aladdim será incluído nessa temporada, talvez seja uma possibilidade. Mas o arco que mais me chama a atenção ainda é Evil Queen x Regina, NÃO ME DECEPCIONEM.

Algo que me deixou extremamente nostálgica foi Rumple e Belle. Desde sempre meu conto de fadas favorito é A Bela e a Fera. Rumple não tem dado um bola dentro nas ultimas 2 temporadas, mas eu ainda o amo. Porém me incomoda o fato de ele nunca melhorar. Mas ainda assim eles são uns dos meus favoritos, e conseguir ver a cena que eles se apaixonaram foi tão maravilhoso.

Gold decide viajar até ao Templo de Morpheus e usar as suas areias mágicas para entrar no mundo dos sonhos de Belle e tentar acordá-la da sua maldição. Algo muito interessante é saber que os sonhos dela foram justamente quando eles se apaixonaram, a tentativa do Rumple recriar toda essa cena, a xícara lascada, eles dançando, o vestido amarelo e a canção foi realmente lindo, poder ver a recriação da cena como foi mostrada no filme. E ainda conhecemos o filho de Rumbelle. 
Mas a melhor parte foi ver que Belle não é mais trouxa, e não cai mais nas mentiras de Rumpelstiltskin. Robert Carlyle e Emilie de Ravin nasceram para serem parceiros de cena.

Sobre Regina e Zelena, estou amando esse clima de irmãs e amigas que elas estão vivendo, mas nem tudo são flores, os ressentimentos começam a brotar, e como elas são novas nesse lance de irmãs, ainda não sabem bem como lidar com isso. Regina está bem chateada e culpando Zelena pela morte do Robbin (quero deixar claro que não gostei nada disso) e a pena que o Roland deixou para ela a Zelena perdeu.

E do outro lado temos Zelena chateada porque Regina buscou conselhos em seus amigos e não com ela que é sua irmã, e também por se livrar da Evil Queen, a parte que elas eram mais parecidas. Drama Familiar, AMO!

E para terminar não poderia deixar de falar de Regina e Snow, que cena MARAVILHOSA, quando lembro de todas as vezes que elas tentaram, literalmente, se matar e ver como estão hoje é até meio difícil de acreditar. E o mais incrível é ver como elas utilizam de marcas do passado para guiar o futuro de suas histórias.
Comentário(s)
0 Comentário(s)