Conheça: In The Flesh

Por Bruno Ganem

20 de setembro de 2016


As séries que envolvem Walkers geralmente abordam com mais atenção as cenas de ação e o instinto de sobrevivência dos personagens. Temos até aquela série que tenta mudar o foco da narrativa, trazendo um tom mais reflexivo, mas talvez nenhuma conseguiu ser tão coerente como In The Flesh, obra de origem britânica que conseguiu ser a mais tocante e ousada dentre as várias séries que falam sobre zumbis.

Primeiramente, o que faz In The Flesh valer a pena é pelo fato de que muitos assuntos são abordados, desde o fanatismo religioso até o homossexualidade, conseguindo ser transcendental. Além disso, a série dá um banho no quesito roteiro, figurino, maquiagem e trilha sonora, alcançando seu auge no terceiro episódio da primeira temporada.

A série, estrelada por Luke Newberry, intérprete do personagem Kieren, tem um ritmo lento, tendo todos os temas ao redor tratados com calma e preciosismo, mas a trama que cerca In The Flesh e de vários Walkers que retomaram a consciência graças à uma vacina é muito curiosa, pois mostra o processo de readaptação e a forma como eles lidam com o preconceito, milícia e agressividade dos populares.

Simultaneamente, a série nos apresenta outros personagens que vivem de forma semelhante a Kieren. Assim, conhecemos a cativante Amy Dyer, amiga do protagonista, que proporciona bons momentos à série, pois seu estilo de vida e a forma como a mesma vê o mundo e sua condição é um show a parte. In The Flesh, aborda também aqueles que estão Walkers, mostrando a captura de alguns e os que vivem em quarentena.
Como foi dito anteriormente, o roteiro de In The Flesh é primoroso, sendo impossível não valorizar os diálogos, lindíssimos e impressionantes, e os atores, incríveis, dão um baile. A maquiagem e o figurino são composições precisas, o visual  da população “normal”, dos Walkers e curados se alinham totalmente a essa série, que você precisa assistir.

OBS¹: In The Flesh foi cancelada na segunda temporada, e eu ainda não a concluí, portanto não sei se tem desfecho.

OBS²: Comparar essa série com The Walking Dead é inevitável. Portanto, aqui vai minha observação: In The Flesh consegue emocionar e filosofar, TWD não consegue e falha categoricamente nesse aspecto, mas, quando se trata de cenas de ação a série da AMC consegue empolgar mais, gerar adrenalina e fazer quarenta e dois minutos virarem dez.
Comentário(s)
0 Comentário(s)