The Last Ship - 3x07 - In The Dark

Por Rozany Adriany

29 de julho de 2016

Estou em transe até agora com esse episódio, que foi simplesmente intenso e emocionante ao mesmo tempo, e como sempre, tudo isso na medida certa. Logo de início já levamos uma “porrada” com o Green escrevendo a carta para a irmã do Cruz, com os 5 sequestrados sofrendo e sentido as dores pós sequestro no navio, e com o nome da Rachel sendo comentado vez ou outra nas conversas. Quantos tiros minha gente! 

E não sei se mais alguém prestou atenção, mas doeu ver a engenheira querendo consolar o Miller e não podendo. Uma das coisas que mais me impressionam é como essa equipe pode transbordar tanta emoção de um jeito não tão exposto, eles estão sempre se apoiando, se cuidam como uma família, sentem as dores uns dos outros, mas é tudo tão internalizado, mostrado através de uns olhares aqui, alguns gestos ali, algumas ações que dispensam palavras, coisas tão minuciosas, mas incapazes de passar despercebidas. 

E após esse golpe de emoção em nossas caras, temos o quê? Aquela velha tensão e aflição que essa temporada vem controlando tão bem. Nathan James está na mira dos chineses, e passa o episódio inteiro numa brincadeira de gato e rato se escondendo de quatro navios do Peng. E se engana quem pensa que com esse esconde-esconde o episódio ficou monótono. Como já falei em minha primeira review, essa troca de comandos, essa necessidade em acertar minuciosamente a hora de frear, a hora de ficar em silêncio completo, ou de definir o curso precisamente a fim de não ser pego de surpresa, é simplesmente emocionante demais e só deixa a gente na expectativa para o que vai acontecer a seguir. 

O elemento surpresa ficou por conta de ninguém mais ninguém menos que Takehaya, sim amigos, ele mesmo! Após o nascimento do seu filho que, vamos combinar, foi para lá de emocionante, acho que uma luz se acendeu em sua cabeça e ele finalmente percebeu que os EUA e o Nathan James não eram o seu verdadeiro inimigo, e enfim decidiu ajuda-los. 
Vou confessar para vocês que fiquei receosa ao ver Tom e Mike ouvindo as instruções dele e quando apareceu o campo minado outra vez e o Nathan James no meio dele, tive uma breve parada cardíaca até o cara esgueirar o navio até a saída. Aliás, falando em Tom e Mike, amei os dois liderando o navio, me lembrou as duas primeiras temporadas e o quanto esses dois discordavam. Porém, já deu para perceber que unidos e com os pensamentos na mesma direção, eles conseguem se entender melhor. 

E por último, mas não menos importante, não posso deixar de começar esse parágrafo com uma simples pergunta: o que estão esperando para matar esse repórter, gente? Que cara mais chato, irritante e sem noção. Ao invés de ir atrás de algo que importa, ajudando o país a se reerguer, o cara prefere perseguir incansavelmente o presidente, desenterrando os problemas que teve com o seu filho no início da propagação do vírus. Achei totalmente desnecessário e cruel, e o inevitável aconteceu, Jeffrey não aguentou a pressão. 

Não sei vocês, mas depois desse episódio e depois do trailer que foi liberado no painel da série na Comic Con de San Diego (que ocorreu na quinta, dia 21), aquele meu alerta vermelho está disparado incontrolavelmente para cima daquela loira que estava trabalhando com ele. Mas agora só nos resta esperar para ver quem vai assumir o posto e como vão lidar com tudo isso. E, pelo que deu para ver no trailer, o negócio só vai ficar mais e mais tenso a cada episódio, amigos. 

Ps1. Só eu quis consolar incansavelmente o Green nesse episódio? Que dor no coração ver o sofrimento dele pela perda do amigo e pela saudade da Kara e do seu filho. E já que estamos falando nele: o que foi ele ajudando no parto? Level 1000 de fofura! 

Ps2. O que será essa tal de nuvem verde, gente? Será que tem relação com o problema da cura no Japão? Kioko estava apenas delirando? Curiosidade a mil. 

E vocês, o que acharam do episódio? Deixem seus comentários aqui embaixo. 
E até a próxima review. 

 Assistam ao trailer que foi liberado na Comic Con de San Diego:
                 
Comentário(s)
0 Comentário(s)