The Last Ship - 3x06 - Dog Day

Por Rozany Adriany

21 de julho de 2016

Não tenho como começar essa review de outra maneira além de mostrando minha empolgação com essa série. The Last Ship é uma série que poucos conhecem, mas que mantém uma consistência incrível em suas temporadas. E para quem pensou que o nível não dava para melhorar depois do episódio da semana passada (Minefield), eis que nos deparamos com “Dog Day” que, sim amigos, conseguiu superar o episódio anterior conquistando além de uma audiência melhor, uma média de 9,4 no IMDb. 

Então vamos ao que interessa... Depois de obter um resultado negativo de seus planos iniciais, e perceber que Nathan James está se aproximando, Takehaya e os piratas estão no modo fuga, por assim dizer. Mas, como já percebemos ao longo dos episódios, Slattery e os sequestrados tem seus planos a parte para facilitar o trabalho de Chandler e sua equipe no Nathan James. O que, por sinal, devo dizer que é simplesmente brilhante. Não dava para achar que uma equipe de marinheiros ficaria de pernas cruzadas esperando ser resgatados, não é? 

Enquanto Slattery distrai o pirata e a engenheira da equipe põe o plano em ação fazendo com que as coordenadas da ilha sejam desvendadas pelo grupo no navio, finalmente chegamos ao momento tão esperado do possível resgate da equipe. E, gente, que sentimentos mais poderiam estar a mil do que a tensão e a aflição? Logo de início os piratas conseguem se camuflar e matam dois da equipe assim do nada e sem dar indícios de como. Já começo logo a ficar inquieta na cadeira, xingando os malditos, agoniada com a expectativa de possíveis armadilhas ou surpresas e pedindo aos santos que não haja mais perdas (porque sou dessas). 

A equipe vai adentrando ainda mais na ilha, enquanto os prisioneiros estão sendo levados para fora, até que Diaz consegue se soltar, as lutas começam a se desencadear, sai tiro de tudo o quanto é lado, Takehaya foge, e para a dor em nossos corações, Cruz é atingido. Preciso dizer quantos ciscos caíram no meu olho no momento em que Green o segura em seus momentos finais? De coração quebrado seguimos em frente porque Miller e Rios ainda estão sendo mantidos com a esposa do Takehaya no subsolo e eles precisam resgatá-los. Sasha e o grupo voltam até o ponto de extração, enquanto Chandler, Slattery, Green e Wolf vão em busca dos dois. 

Os quatro se veem cercados pelo Serviço Secreto Chinês (MSS) que aparece do nada, para variar, e que a única coisa que faz de bom é atingir Takehaya, ainda que seja de raspão. E enquanto estamos naquela constante agonia esperando para ver como a equipe vai sair dessa, preciso muito falar sobre a interação entre Tom e Mike, desde a hora em que Tom escuta a voz do Mike depois do tiroteio com os piratas e eles finalmente se encontram, até a hora em que estão presos na barraca entre tiros e mais tiros com a MSS. Gente, como não rir com esses dois? Simplesmente amei e já quero mais. 
Mas voltando... Com a ajuda de Nathan James e de Burke e Jesse no helicóptero em um plano mais que arriscado, porque vamos combinar que já deu para perceber que com essa equipe tem que ser sempre com emoção, e põe emoção nisso amigos, os quatro conseguem sair ilesos da cabana e ir em busca dos companheiros que, por outro lado, como falei antes, não ficam sentados esperando e lutam por suas vidas. E não foi o Miller, mas Dr. Rios cumpriu bem o papel, matando aquele pirata chato e todo revoltado que nem me dei ao trabalho de descobrir o nome. 

Então escurece, a equipe dá de cara com Miller e quando estamos em um momento “esqueci que Takehaya está solto pela ilha”, o desgraçado aparece apontando uma arma para o coitado que já está todo destroçado com sua perna ainda quebrada. Nesse ponto já não consigo evitar o desespero e mais alguns xingamentos e simplesmente me surpreendo em ver que o zelo por sua esposa e seu filho o trazem à razão e o fazem se render. 

E para terminar, só posso dizer que a cena final com todos eles reunidos no navio com um ar de missão cumprida e sentindo as perdas, foi emocionante. Ah, e sei que deixei de falar em Jeffrey lá nos EUA sentindo a pressão de ter que escrever dois discursos para ocasião e lidando com o repórter chato, mas achei que não foi tão importante assim, pelo menos por enquanto. O que teremos que ver agora é como ele vai contornar a situação com Nathan James em silêncio absoluto por causa da presença do navio de Peng na sua cola. E o que vem a seguir com relação a toda essa problemática que está sendo desenvolvida entre vacina, possível mutação do vírus, China colocando pilha entre EUA e Japão, Peng querendo matar Chandler e por aí vai. De uma coisa eu sei amigos: vem mais tensão e aflição pela frente.

Ps1. Só eu queria dar um abraço no Green e consolá-lo? 

Ps2. O que falar das cenas de luta do Wolf? Que, por sinal, tem que sair no braço com alguém em cada episódio. Adoro! 

Ps3. Para quê palavras quando alguns olhares, as vezes, dizem tudo, não é amigos? E aquelas trocas de olhares de Chandler e sua equipe antes de saírem do navio para adentrarem na ilha foi um belo “vamos salvar nossos companheiros e vamos com tudo!” 

Então, o que acharam do episódio? Contem-me se estão tão empolgados assim como eu, e o que estão achando da temporada até agora! Até a próxima review.
Comentário(s)
0 Comentário(s)