The Last Ship - 3x05 - Minefield

Por Rozany Adriany

15 de julho de 2016

Um episódio considerado como o “preferido” pelo protagonista Eric Dane (Capitão Chandler) e alguns outros atores em suas redes sociais e em entrevistas, “Minefield” (campo minado), 5° episódio da temporada, despertou nos espectadores muitas expectativas antecipadas e, não posso deixar de falar logo de cara, atendeu com maestria a todas elas. 

 A temporada em si me parece estar centrada em três eixos: Chandler e a tripulação do Nathan James, Slattery e os sequestrados e o Presidente e sua equipe. E apesar de mostrar os três eixos em distintos momentos do episódio, o foco maior ficou no Nathan James e a situação das minas. 

Após se verem presos em meio ao campo minado, Capitão Chandler e sua equipe precisam trabalhar estratégica e minuciosamente a fim de conseguir traçar um plano sólido e bastante cuidadoso para ultrapassar o campo que os separa de aproximar-se do resgate do restante de sua tripulação. E, só posso dizer que a tensão esteve presente do começo ao fim do episódio. De cara quando a primeira equipe vai fazer o reconhecimento das minas, um deles não atende ao “ABORTAR” bastante explícito de Chandler e boom. Xinguei o cara? Xinguei! Mas ao mesmo tempo, assim que eles entraram na água eu já senti aquela pulguinha atrás da orelha me dizendo “alguém vai fazer besteira e uma dessas minas vai explodir”. Dito e feito, né? 

Passado o susto inicial, a equipe parte para bolar o plano B e, lá vamos nós para mais aflição, e um certo clima de “tudo pode acontecer”, “alguém pode morrer”, “não vai prestar”, manteve o meu radar com uma luz vermelha em alerta o tempo todo. O plano consiste em explodir as bombas com um equipamento abrindo caminho para que Nathan James avance lentamente até o fim do campo minado. E se a minha descrição parece simples e fácil, acreditem amigos, não é. Enquanto Wolf e Cruz seguem no BIRC (pequena lancha para os leigos como eu), Green, Sasha, Jesse e Gator vão no helicóptero. O plano parece estar indo bem, até que surge um torpedo do nada, que pode simplesmente explodir tanto as minas como o navio, e é aí que aquele meu radar dispara enlouquecido e a aflição cresce desenfreada. 

Quando Wolf e Cruz trocam um “entendido” e eu não entendo nada até que eles desviam o curso em direção ao torpedo para intercede-lo, o coração para e, mesmo já sabendo mais ou menos o desfecho dos acontecimentos, passei alguns bons minutos do episódio na expectativa da sobrevivência ou não deles, e gente, que cena mais angustiante. E, mais uma vez, tenho que elogiar os roteiristas por estarem acertando tanto nessas cenas. 
Saindo um pouco deste eixo, vou comentar brevemente os outros dois eixos que foram mostrados em paralelo a toda essa situação insana do Nathan James e a tripulação presa no campo minado. Enquanto Takehaya e os piratas se preparam para “caçar” o Nathan James (como eles dizem), nos EUA o Presidente Jeffrey lida com a pressão dos outros governantes a respeito da situação na China e dos problemas que as regiões enfrentam enquanto tentam se reerguer. 

O Presidente mostra que tem pulso firme em suas decisões e não vai ceder às pressões da equipe, que mais parece estar interessada em suas vontades individuais do que no âmbito geral da reestruturação do país. E quem não lembrou do Jeffrey receoso e inseguro da 2° temporada ao descobrir que seria o presidente? Tenho certeza que naquela época eu não fui a única a desconfiar se ele era mesmo capaz de aguentar a pressão do cargo. E aqui estamos nós, vendo o quanto o personagem cresceu! E na ilha, descobrimos que Takehaya tem uma esposa que está doente e grávida, e que tem planos para eles, mas a pergunta que fica dessa vez é: que planos são esses? Qual a relação do sequestro nisso tudo? 

Voltando ao ponto mais tenso do episódio... Após aqueles longos minutos com o coração na mão, percebemos que o plano de Wolf e Cruz deu certo, mas cadê eles? E as equipes imediatamente se mobilizam nas buscas por eles. Alguém mais perdeu a respiração por alguns minutos até o Burke avistá-los? Como falei: tenso demais amigos. E toda a comemoração foi simplesmente linda! Acho bastante interessante a lealdade entre eles, desde Wolf e Cruz pedirem para estar na situação mais arriscada e não o colega que acabou de se casar e ser pai, até a garra para encontrar os companheiros. Uma vez que o trabalho requer 100% de confiança e sincronia entre toda a tripulação, ver que a equipe consegue lidar com as diferenças de forma madura e centrada é algo bem legal. 

Ouso em repetir as palavras de Eric ao dizer que o episódio foi perfeito do começo ao fim e muito bem executado, o que pode ser confirmado com o fato de que o episódio teve a maior audiência entre os episódios desta temporada até agora e maior nota (9,0) no IMDb. 

Ps1. Já posso desejar a morte daquele repórter chato? Está abusando! 

Ps2. Achei desnecessário aquele beijo entre Chandler e Sasha! Não consigo shippar. 

Ps3. Caiu um cisco no meu olho na hora que o Chandler vai gravar o vídeo para os filhos. 

Ps4. Não estou pronta para ver Wolf de casinho com a Jesse, não superei a “morte” da Val ainda. 

E vocês, o que acharam do episódio? Espero por seus comentários aqui embaixo! 
E até a próxima review. 
Comentário(s)
0 Comentário(s)