Rizzoli & Isles - 7x8 - 2M7258-100

Por Priscilla Caroline

31 de julho de 2016


Cada vez mais perto do final, o coração começa a ficar apertadinho. Esse episódio para mim, foi o melhor da temporada até agora, um caso interessante, uma dinâmica ótima e talvez início de uma mudança, vamos lá. E esse é o episódio 100. 


Eu esperaria mais de um episódio 100, mais ainda assim foi o melhor da temporada, e a Jane disfarçada foi um grande presente.


A Maura olhando todas aquelas fotos, deu para perceber esse sentimento de que está acabando, recordando alguns momentos, e também vimos que a Maura tem mais fotos com a família da Jane, do que ela mesma. Algo que talvez fez Jane repensar algumas coisas. Fica evidente nesse episódio como sempre a Jane focou muito no trabalho e deixou a vida dela de lado, tantas vezes, afinal ela não está na maioria das fotos.



No começo do episódio achei que seria mais um caso chato, mas ainda bem que estava errada. Adoro casos em que se usa disfarces, algo muito comum em procedurais, e esse foi bem gostoso de assistir.


Esse não tem sido um ano fácil para a Angela, teve o tiroteio no casamento do Korsak, depois o rompimento dela com o Ron, e ela ser mãe de 2 policias não é nada fácil. Jane é corajosa, e isso assusta muito a Angela, porque desde pequena ela sabe como a Jane é, e depois de adulta o quanto a Jane coloca o trabalho em primeiro lugar, sem medir muito as consequências. É totalmente compreensível entender a Angela surtando pela Jane ficar alguns dias na cadeia disfarçada, um lugar muito perigoso principalmente para uma policial. Ao mesmo tempo é legal ver como a Jane amadureceu, como ela mesma disse para a Maura, alguns anos atrás ela não iria ligar, iria dizer que a vida é dela e ela sabe o que faz, hoje vemos ela se desculpando com a mãe e dizendo a ama, mesmo que ela pense que não amadureceu tanto, ela cresceu sim, e muito.


Jane é inteligente e soube exatamente como chegar na suspeita, ainda bem que ela não foi aquela que chega já querendo fazer amizade, igual já vimos em vários filmes.



"Rizzoli is Orange is the new black", amei o que a Jane fez depois, ela ajudou as duas mulheres a saírem da cadeia, tanto a suspeita, que no fim ela só tentava proteger a irmã, e cometeu alguns erros. E como ela mesma disse não foi forte o suficiente para evitar os problemas onde ela se envolveu, mas aprendeu. E também ajudou a senhora que roubava joias, não só a sair da cadeia, mas também a melhorar lá fora, se ela quiser. Jane tem um coração que não cabe dentro dela.


Outro detalhe importante do episódio foi a Nina, as lembranças das coisas que já aconteceram na vida dela vieram à tona, quando ela teve que pegar a arma para defender o Frankie. O medo é nosso pior inimigo, o medo de si próprio, o medo de perder um ente querido, e tantas outras coisas. O Frankie foi mega fofo conversando com ela, quero ver um casamento até o final da temporada.

Enfim, e o final ainda foi surpreendente, quando a Jane ligou para o Agente Daves, achei que era um ship novo nascendo ali, mas pelo visto é outra coisa. Um emprego de instrutora em Quântico, se a série ainda fosse continuar por mais temporadas, iria ficar bem apreensiva com isso, mas como já estamos na reta final, eu gostei. Embora seria melhor se ela fosse uma agente, mas é algo bem legal ver a Jane crescer na carreira, mesmo que isso signifique deixar várias para trás. Korsak está quase se aposentando, Maura está escrevendo seu livro, e Jane agora talvez siga seu caminho.


Quando eu era pequena eu achava mudança o fim do mundo, hoje eu acho que é uma grande oportunidade para conhecer novas pessoas, novos lugares e é sempre bom renovar. E as pessoas que ficaram no caminho, os importantes sempre estarão com a gente, não importa a distância.
Comentário(s)
0 Comentário(s)