The Last Ship - 3x01/3x02 - The Scott Effect/Rising Sun (Season Premiere)

Por Rozany Adriany

19 de junho de 2016

Depois de uma season finale de arrepiar, de um hiato que mais pareceu interminável e de um adiamento da estreia (inicialmente programada para dia 12) em respeito às vítimas do atentado em Orlando nos EUA, eis que finalmente podemos desfrutar da 3° temporada e, vibrem amigos, com episódio duplo!

Então vamos lá... O primeiro episódio começa com um clima leve que transmite um sentimento de recomeço junto com esperança de melhorias após a descoberta e a distribuição da cura. Além de vermos as mudanças de cargos entre nossos queridos tripulantes do Nathan James, podemos ver também o governo dos EUA tentando se reerguer após toda a destruição causada pelo vírus. Enquanto Nathan James, agora sob o comando do Capitão Slattery, ainda em sua missão de distribuir a cura entre os países, segue em direção ao Vietnã, Capitão Chandler, agora Chefe de Operações Navais, segue rumo à China junto com Valkyrie para reunir-se com o Presidente chinês, Peng, e as autoridades de alguns outros países asiáticos, a fim de debater o extravio dos carregamentos da cura que deveriam ser destinados às regiões mais necessitadas. 

Sabem aqueles episódios que, com o avançar dos minutos, vão nos deixando aflitos com a sensação de que algo vai acontecer e de que não é coisa boa? Pois bem, foi assim que me senti na maior parte do episódio. E mesmo que eu já tivesse visto as promos e soubesse que a coisa ia mesmo ficar feia em algum ponto, o sentimento continuou lá e, após implorar constantemente para que eles fossem embora daquela boate o quanto antes, quando o tiroteio começou, dei alguns gritos e soltei alguns xingamentos básicos. 

Com o Nathan James recuando como manda o protocolo, é claro que o nosso querido Chandler não ia deixar sua tripulação para trás a espera de um suporte que irá demorar tempo demais para chegar, né? E gente, só eu que fiquei ainda mais aflita quando a Val pede para retornarem com o avião e pouco depois o avião explode? Só porque em meio a aflição eu estava shippando ela e o Wolf? E pior: O que foi que ela descobriu lá nos hackers dela, minha gente? Seria muita ilusão acreditar que ela conseguiu escapar de alguma maneira? 

Uma coisa que gostei bastante no episódio foi toda questão envolvendo os interpretes e as conversas entre os personagens em seus idiomas de origem, já que sabemos que é de costume, tanto em séries como em filmes, colocar todo mundo falando em inglês mesmo quando a cena se passa em países que não tem como língua mãe o idioma, então, ponto para os roteiristas nesse quesito. Aliás, tenho que admitir que não tenho do que reclamar do episódio, foi envolvente do começo ao fim, mesmo em sua leveza inicial. E o final só nos fez agradecer por ser uma estreia com episódio duplo e nos dar a possibilidade de correr para dar o play no próximo e saber a sequência dos acontecimentos. 
EPISÓDIO 2 
Com o adiamento da estreia em uma semana e o vazamento dos episódios alguns dias depois, resolvi escrever um texto só para os dois episódios, então, vamos lá para mais 40 minutos de aflição, queridos leitores. 

Após a explosão do avião, Chandler, Wolfgang e Sasha são perseguidos pelos chineses que buscam terminar o que começaram. Enquanto a tripulação, o presidente e sua equipe se questionam se o ataque veio do Vietnã, da China ou de piratas saqueadores, nós espectadores, temos a confirmação de que é o governo chinês quem está por trás da queda do avião, o que, por sinal, eu não duvidei um segundo sequer desde o momento que botei o olho no Presidente Peng. Mas, o questionamento que ainda está em aberto é: o sequestro da tripulação do Nathan James no Vietnã está ligado ao ataque do avião? 

Durante este segundo episódio, temos quatro vertentes principais: Chandler e seu grupo em busca de ajuda para conseguir um helicóptero, o Capitão Slattery e o restante dos sequestrados presos em uma jaula sabe-se lá onde, Burk e Green tentando chegar ao Nathan James, e o restante da tripulação em sua tentativa de interceptar o navio em que possivelmente seus companheiros sequestrados estão. 

E é claro que aquela velha aflição está presente em cada um desses núcleos né? Enquanto Chandler e seu grupo lutam para chegar ao helicóptero tendo que enfrentar uma barreira chinesa e uma forte exposição à radiação, a equipe presa tenta cuidar dos seus feridos e analisa a situação com as informações que podem, Burk e Green lutam com alguns capangas para chegar a um barco e tentam arrancar informações de um deles e Nathan James segue em uma corrida para alcançar o navio inimigo a sua frente. 

Sobre o Nathan James: não sei se dá para comparar uma “corrida” de navios com uma corrida de carros ou algo assim, mas gente, só eu fico com os nervos à flor da pele quando eles começam a ditar aqueles comandos todos e a narrar as coordenadas do inimigo e tudo o mais? Só consegui remeter à emoção de ver a uma corrida de alta velocidade (Fórmula 1, por exemplo), mas já peço desculpas se eu estiver falando alguma besteira, afinal não posso dizer que entendo muito disso. 

O ponto alto do episódio está no encontro entre Nathan James, Burk e Green no navio e Chandler, Wolf e as garotas no helicóptero. É aflição demais para um pobre coração seriador, queridos amigos! Mas, ao mesmo tempo, é toda essa adrenalina que me mantém mais e mais envolvida na série a cada episódio. E, para nosso momentâneo alívio, Chandler e Wolf ajudam Green e Burk, todos se reúnem no Nathan James, e repassam a tranquilidade para a equipe do presidente nos EUA. 
Por fim, a incógnita que nos fica é: quem são os sequestradores e por que estão drenando o sangue dos americanos? Confesso que não sou capaz de formular uma teoria no momento, e só quero que Chandler salve logo eles porque não podemos perder mais ninguém dessa equipe, por favor. 

Confesso que comecei a ver The Last Ship apenas porque Eric Dane (ator que amo desde que fez Mark em Grey’s Anatomy) estaria no elenco, mas, como falei, a adrenalina me envolveu e a série não deixou a desejar a cada temporada. E em seu retorno com dois episódios cheios de adrenalina, tudo o que posso dizer é que a série voltou com tudo, e espero que continue assim. 

Ps1. Ainda não sei se confio em Sasha, estou com o pé atrás. 

Ps2. Senti falta de Rachel e Tex nesses dois primeiros episódios e ao ler alguns comentários aqui e ali, percebi que muitos ainda acreditam que Rachel pode estar viva... Será? Está faltando uma conclusão melhor, caso ela não esteja. E, cadê Tex? 

Ps3. Não estou sabendo lidar com a perda do Mason! 

Então amigos, o que acharam do retorno da série? Peço desculpas caso a review tenha ficado longa, mas espero por seus comentários aqui abaixo... e até os próximos episódios!
Comentário(s)
0 Comentário(s)