Orphan Black - 4x09 - The Mitigation of Competition

Por Louren Mayara

11 de junho de 2016

Fazia muito tempo que esperava ansiosamente por escrever essa review, me preparei de diversas formas, para todas as maneiras que pensei serem possíveis e mesmo assim me vejo sem palavras. Não poupo elogios para com Orphan Black, e esse episódio só me fez ter mais orgulho por tudo que envolve, e me envolve, nessa série. 

Venho destacando em reviews passadas, como estava sendo uma característica dessa season focar em um personagem para contar uma determinada parte da história e desenvolvê-la, mas, em The Mitigation of Competition, o que aconteceu foi uma convergência de plots, e eu realmente preciso ressaltar isso aqui, muitas séries trabalham dessa forma, mas pouquíssimas atingem um nível como o de Orphan Black. Deixando a parte técnica de lado, por enquanto, acompanhamos Rachel e Sarah em sua nada comum, parceria, que não é de forma alguma fácil para ambos os lados, o desconforto é visível a quilômetros e a desconfiança nem se fala. Eu torci para que essa dupla desse certo, o que de certa forma deu, mas venhamos e convenhamos, Rachel tem um jeito único de controlar tudo e todos, e em uma manobra, digna de Mrs. S, ela teoricamente acabou com o poder da Evie e ainda jogou uma bomba chamada imprensa no colo da Neovolução. Só que a ressalvas amigos, sim, Rachel ajudou suas irmãs, mas não por fidelidade a elas, e afinal, não ficou claro se o que ela fez foi para assim poder tomar a frente da segurança do projeto LEDA ou se foi apenas uma questão de adquirir poder, se esse for o caso haverá consequência, e eu realmente espero mais dessa finale, do que novamente um embate entre Rachel e Sarah! 
Ainda sobre Rachel, agora sobre suas visões, que nos levaram para a tão aguardada volta da doutora Delphine Cormier(vou poupá-los da minha empolgação mas saibam que não foi pouca), que em meio a uma sequência de cenas desconexas de o que parecia ser algum tipo de organização, foi introduzida em uma sala totalmente caracterizada, deixando as interrogações para serem respondidas nos últimos suspiros. Então, o que eu tiro de toda essa situação é que ela acabou se envolvendo com algo importante e terá ligação direta com o desfecho ou quem sabe o início de uma outra história, mas enfim, seja o que for só saberemos na finale. 

Alison e Cosima estão em suas próprias cruzadas. A cientista em mais uma busca para a cura junto com Susan, o que nos rendeu um fofíssimo encontro com Charlotte, e mais um pouco de conhecimento sobre os neovolucionistas. Já Alison se viu presa em uma crise de fé, e quem mais para ajudá-la com isso do que Helena? Esse jogo de religiosidade sendo sempre ligado subjetivamente a ela, nunca me cansa, e sempre me desperta uma certa curiosidade sobre o passado da mesma. A família Hendrix tem mais um corpo para esconder, e aí onde vai ser dessa vez? 

Caracterizo esse episódio como aquele que você assiste vezes seguidas e a fluidez dele não decepciona, além de, trazer conflitos e aparições necessárias para as conclusões devidas, deixando o palco preparado para o final. Então, espero vocês ansiosamente e já com saudades para o último episódio da temporada.
Comentário(s)
0 Comentário(s)