Bones - 11x17 - The Secret in the Service

Por Janaína Guaraná

4 de junho de 2016

Esse episódio vem para dar veracidade ao que disse anteriormente, temos histórias que vem para pavimentar um caminho, outras vem para não deixar um vazio, para não deixar em branco esse curto espaço até o fim. 

O caso da semana merece um parágrafo, deixou Booth de fora já que um ancestral a 150 anos atrás matou um presidente (leia-se John Wilkes Booth e o presidente Lincoln) o agente pode querer fazer o mesmo. Vai que tudo o que já foi sacrificado, tudo o que perdeu seja só uma desculpa. Eu gostei da analogia com o episódio do primeiro caso, quem não se lembra dra Brennan dizendo que se o que o Booth tinha a dizer era que ele era parente do John Wilkes Booth ela já tinha notado? 

Mesmo doente a Brennan é incapaz de ficar em casa de boas, claro que a doutora iria encontrar um jeito de ajudar no caso, eu não esperaria menos, mas sem antes ter certeza que não estava mais contagiosa. As cenas tossindo e sendo tratada pelo curandeiro renderam risadas e a Brennan estava impagável.

Fisher voltou, com o ar depressivo de sempre e com muitos mistérios. Agora é Dr. Fisher e ele faz questão, claro que ainda faltam uns degraus, tem detalhes que só a Brennan nota e mesmo sendo indicado pelo presidente, só isso não basta. 

A vida sempre acaba respondendo os porquês que insistimos em perguntar, aparentemente Hodgins achou uma maneira de minimizar a tristeza por sua atual condição, de encontrar algo que em confronto com a sua realidade e com o desejo de ser como antes. Dessa vez a aparência do querido é de felicidade, algo raro nos últimos tempos e nós agradecemos. Já a Ângela, esperávamos mais drama, mais gritos e mais broncas, mas entendemos que ver a felicidade estampada na cara do marido, valeu por tudo isso. 

Booth e Brennan são dois lindos, que cuidam um do outro, seja na doença, seja nas dores que se sente no fundo da alma. Ainda esperamos cenas que nos permita visualizar todo esse amor e cuidado! Parece que crianças estão numa colônia de férias eternas, elas nunca aparecem e o pequeno Hank nem deve ser tão pequeno assim. Questionem qualquer um, menos o comprometimento e integridade do Booth com o serviço, que seja o presidente, o cara já provou diversas vezes a que veio. 

Todo professor deseja que seu aluno tenha condições de supera-lo, o que não é o caso querido Fisher, volte e tente de novo! 
Nem todo vilão quer ser vilão, as vezes o destino toma as rédeas da vida e nos coloca em lugares que nunca imaginamos estar e mesmo tendo provado isso a vida toda, bastam alguns momentos para nos colocar em dúvida! 

É um episódio a menos na contagem que insistimos em não fazer, é daqueles que passa feito vento leve e deixa pequenas alegrias, como a declaração de amor da Brennan que entra para o nosso arsenal.
Comentário(s)
0 Comentário(s)