Penny Dreadful - 3x04 - A Blade of Grass

Por Elizabeth Silva

28 de maio de 2016

Como de costume, dessa vez tivemos no quarto episódio dessa esplendorosa série, não me canso de elogiar Penny, a trama voltada completamente para sua estrela principal, Vanessa Ives. Não imaginava que teríamos um episódio totalmente dela, assim tão rápido, mas como sempre essa narração caiu como uma luva, numa trama bem construída e reveladora. Não é novidade alguma que o passado de Vanessa foi um dos mais dolorosos e assustadores possíveis. Através da hipnose que se submete nos minutos finais de Good and Evil Braided Be, somos arrastados para os perturbadores cinco meses que nossa querida Srta. Ives passou internada na clínica do Dr. Banning, dias após o ocorrido com sua amada amiga Mina. 

Sendo guiada pela Dra. Seward, Vanessa fica presa em um limiar de seu estado físico e mental, tendo que enfrentar todas suas lembranças de maneira vívida para que consiga chegar na raiz de seus traumas, desde que Lúcifer a tocou e descobrir qual o ser maligno que assombra sua vida no presente. Como mostrado no episódio anterior o único rosto que Vanessa viu durante esses exaustivos meses foi o do nosso conhecido John Clare. Sendo apresentado a nós, pela perspectiva dela, uma parte da vida que o Monstro de Frankenstein tinha antes de sua morte e transformação.

John era o “tratador” de Vanessa e diferente da maneira que conhecemos hoje, um homem repleto de compaixão e totalmente alheio a poesia. O cuidado com que trata Vanessa é palpável desde a primeira cena em que interagem. A dor em seus olhos, por ver alguém naquele estado, é tocante! E vemos ao longo da trama, sua tentativa de trazer um pouco de paz e, quem sabe, esperança para que ela continue lutando. 
Cada dia que passa naquele lugar o estado dela só tende a piorar, ainda mais quando Lúcifer decide “vista-la” tomando conta do corpo da única pessoa que ela tinha contato durante todo aquele tempo, John. Não vou mentir, foi assustador e relembrar aquilo me dá arrepios! Com isso as crises de Vanessa se tornam mais fortes a levando a querer desistir de toda a hipnose que passa, sim ela está consciente de que isso é uma visita a sua memória. E naquela situação, as palavras que trazem forças para ela ressoam pela boca de Seward “seja verdadeira”. A cena trouxe uma nostalgia tão grande e uma saudade maior ainda de Joan. 

Próximo ao fim, fomos levados, em minha opinião, a uma das cenas mais emocionantes de todos os cinquenta e seis minutos. John maquiando e penteando Vanessa, e lendo para ela. Foi mostrado o quão padecente ele era, o carinho que nutria por ela e o cuidado que tinha. Impossível foi segurar as lágrimas e controlar elas! John devolveu a dignidade de Vanessa e lhe mostrou outra vez que não estava sozinha! Mesmo eles tendo esquecido de tudo aquilo por um tempo, a prova de que o sentimento de carinho ficou gravado em suas almas, foi momento que se “conheceram” na segunda temporada. 
E em meio a essa torrente de sensações e choro, muito choro da minha parte, chega o esperado momento em que nossa protagonista conhece Drácula e embate ao mesmo instante Lúcifer. Dois irmãos caídos em desgraça, como ela mesma diz, um quer seu corpo e outro sua alma e numa retomada de fé, Vanessa mostra a quão poderosa é sua crença em Cristo e que sua vida está entregue a Ele. Isso, claro, desperta a ira em ambos e temos a explicação do porquê atormentam tanto sua vida. Outra cena que me trouxe arrepios! Onde ela assume não ser mais que uma folha de grama, fazendo jus ao título, reconhecendo sua inferioridade perante um mundo cheio de sombras e terrores, mas que ainda sim, como todas as coisas na Terra, possuí algo que a torna especial e isso ninguém jamais tirará dela. 

A atuação mais que espetacular da maravilhosa Eva Green é algo de outro mundo e não é eufemismo! Eu vejo a dor de sua personagem e sofro junto com ela, sinto sua angústia, seu medo, desespero e suas lágrimas. Eva consegue passar todos os sentimentos vividos por Vanessa naquele lugar horrível. Um episódio longo e demorado que planta e colhe esses sentimentos de uma só vez, esperam que tenham sentido tudo nessa mesma intensidade e que nos encontremos na próxima review!
Comentário(s)
0 Comentário(s)