Orphan Black - 4x07 - The Antisocialism of Sex

Por Louren Mayara

28 de maio de 2016

Mais uma vez, estou aqui com os nervos a flor da pele para falar de um episódio, que foi uma preparação para o que estar por vim, e tratou de colocar todos as peças em seu devido lugar, para que nos episódios finais, as conclusões sejam encaixadas. O sétimo episódio foi literalmente uma ponte, que nos levará para a reta final da quarta temporada. 

Começamos acompanhando uma Sarah destruída pela culpa dos acontecimentos passados, em seu caminho até a autorredenção, o que não foi fácil, pelo histórico de Sarah sabemos que ela é autodestrutiva e compulsiva, com uma tendência a encher a cara nos bares e fazer o que bem quer, e foi o que ela fez, isso tudo em plena supervisão de Beth. As cenas em paralelo entre elas vêm sendo um grande marco nessa season, temo que esses tenham sido seus últimos momentos, Beth encerrou seu trabalho com Sarah, fazendo-a aceitar os próprios fardos e dessa vez levar o seu legado da maneira certa, com todos os esclarecimentos que Beth poderia ter trazido para ela. Outros três personagens se destacaram nessa pequena cruzada existencial de Sarah, primeiro de tudo não consigo aceitar o interesse de Dizzy por o assunto da Neovolução como apenas curiosidade de saber o que aconteceu com o seu amigo, acho que ele tem muito mais por mostrar ainda. Segundo, Felix sendo Felix novamente, assumindo a sua pose de irmão protetor para Sarah, o que é essencial, a relação dos dois não pode ser deixada de lado, é um dos pilares da história da série e por último mas não menos importante, o perdão silencioso de Siobhan para com sua filha, apenas gestos em uma cena carregada de significados (Mérito total dessas duas atrizes maravilhosas). 
Também tentando lidar com seus sentimentos de culpa e perda, vemos Cosima tomar decisões precipitadas e colocar a própria vida em risco por uma jogada sem nenhuma segurança, foi então que mais uma vez mesmo de longe, a mera alusão a Delphine traz ela de volta de seu momento de fraqueza, e não só ela, sinto que aquele "Thank you" foi em união com todo o clone clube sedento por essa notícia a tanto tempo, finalmente temos algo concreto com que se apegar! Nossa francesa está viva, sabe-se lá onde, mas viva! E eu espero ansiosamente por um desfecho positivo em toda essa maré de sofrimento que é a vida de Cosima.(É só eu que tenho a impressão de que Shay tem algo haver com o salvamento de Delphine?!) 

Nos outros acontecimentos do episódio tivemos Rachel e uma derrotada Susan, que agora quer desistir de tudo e sucumbir a superioridade de Evie Cho. Foi um plot bastante deslocado dos acontecimentos paralelos e mesmo assim tão contextualizado com toda a situação presente do projeto LEDA, Rachel está cada vez mais decidida em lutar pela cura, e mesmo ainda adotando toda a pose de pró-neovolução, sinto que cada vez mais ela se aproxima de suas irmãs, mesmo que seja apenas por Charlotte, uma aliança entre Sarah e Rachel somaria muito para o benefício das clones, além de ser uma trégua na relação fatal entre as duas. 
Eu sinceramente nunca vi um aniversário infantil ter um desfecho tão absurdo quanto o da pequena Gemma Hendrix, gente os policiais pisaram nos biscoitos e balões das crianças isso não se faz! Cadê a Helena pra acabar com essa palhaçada?! Brincadeiras a parte, a casa dos Hendrix vai começar a cair, prevejo uma Alison louca novamente, e agora com Donnie preso tudo vai piorando, não imagino o que vai acontecer a partir de agora, mas Art não vai ser o suficiente para protegê-los, principalmente agora que sabemos que o dele também está na reta, então, quem poderá defender a família Hendrix? 

Refazendo minha pergunta anterior, cade Helena? Sumiu sem notícias de ida nem vinda, e isso realmente está me incomodando, ela não teve papel nenhum nessa temporada foi descaradamente colocada de lado na trama, sabemos que ela mais que ninguém precisa de um momento de paz, mas isso não condiz com a personagem, então por favor traz nossa psicopata preferida de volta! Caros amigos, até a próxima review. .
Comentário(s)
0 Comentário(s)