Grey's Anatomy - S12E22 - Mama Tried

Por Rozany Adriany

7 de maio de 2016

SPOILERS ABAIXO
Aqui estou com a difícil missão de escrever as reviews dos últimos episódios desta temporada. Difícil porque Grey’s Anatomy é uma daquelas séries que te proporciona um misto de sentimentos em cada episódio, com essa série descobrimos que é possível morrer de rir, de chorar, de raiva, entre outros sentimentos ao mesmo tempo em um único episódio. E, pra mim, esse é o maior atrativo da série! Não é a toa que nós, fãs, vivemos em uma relação de amor e ódio com a “queridíssima” Shondanás, criadora da série, e ao indicá-la aos amigos, já avisamos logo: “preparem os corações para o sofrimento”. 

No que diz respeito a este 22° episódio da temporada, toda essa questão de sofrimento e revolta não ficam para trás, uma vez que as emoções estiveram à flor da pele, principalmente, devido à disputa entre Callie e Arizona pela custódia de Sofia. O episódio já começa com um belo de um tiro em nossos pobres corações ao mostrar uma retrospectiva dos altos e baixos da relação de Calzona (modo como os fãs se referem a elas) desde que se conheceram.

Como sabemos, enquanto Callie quer levar Sofia para viver com ela e Penny em Nova York, Arizona luta para conseguir que ela permaneça sobre sua guarda em Seattle, e com isso dá-se início uma audiência que, em minha humilde opinião, foi totalmente baixa no que diz respeito às cartas escolhidas pela advogada de Callie, que seguiu sua defesa em uma incansável tentativa de depreciar Arizona enquanto mãe solteira e trabalhadora.

Sobre este plot de Callie e Penny, devo dizer que acho simplesmente ridículo. Não gosto da Penny desde que chegou ao hospital e teve toda a confusão devido à morte de Derek (acontecimento esse que nunca vou conseguir superar), e mesmo levando em consideração o desenvolvimento da personagem ao longo da temporada, continuo achando totalmente sem cabimento esse “amor incondicional” que elas dizem ter uma pela outra, uma vez que acabaram de se conhecer, a ponto de Callie cogitar abandonar toda sua reputação e seu trabalho em Seattle para ter um trabalho inferior em Nova York, além de levar a filha embora sem ponderar os riscos, tudo isso por Penny. 

Que Shonda é conhecida por destruir 99,9% dos personagens e casais, assim sem mais nem menos, isso todos nós já sabemos, o que, é uma das coisas que me desagradam na série. Não acho que é preciso haver morte e destruição em praticamente todos os episódios para a série ser boa e envolvente, ao invés disso, penso que às vezes é bom dar uma aliviada e ver as coisas dando certo, afinal, ao mesmo tempo em que nem tudo são flores, nem tudo é sofrimento. 

Mas, voltando ao episódio... Em contrapartida à audiência pela custódia de Sofia, vemos April e Jackson finalmente tentando resolver de forma pacífica como lidar com a gravidez e o nascimento de seu filho, depois de toda a briga inicial. E isso nos mostra toda uma diferença entre como os dois casais estão lidando com uma situação tão parecida. 
Já no hospital, o caso da semana nos mostra uma adolescente (que já havia estado no hospital nos episódios anteriores) passando por algumas dificuldades em sua gravidez após levar uma queda em sua casa, e como Dr. Karev e Dra. Kepner lidam com o caso sem a total ajuda de Arizona. O que, por sinal, a envolve, quando no momento crucial ela é chamada com urgência bem na hora em que vai depor na audiência. 

Aliás, só eu fiquei imaginando que isso aconteceria desde o começo quando começaram a colocar em dúvida o comprometimento de Arizona? O discurso dela antes de sair do tribunal foi simplesmente brilhante, e acredito que sua saída deixou, não só a mim, mas a maioria dos telespectadores, achando que ela havia perdido a causa ali, apesar de saber que era a coisa certa a fazer. 

Saindo um pouco dos ares do tribunal, o que falar da cena linda entre Meredith e Callie conversando sobre Mark, o pai de Sofia (que morreu no início da 9° temporada)? Mais um tiro direto em nossos corações, queridos leitores. E devo confessar que todo o tempo eu tive esperanças de que Callie desistisse desse absurdo e percebesse que não havia sentido em se mudar para Nova York. Afinal, não custa nada sonhar, não é mesmo?
Outro acontecimento secundário deste episódio foi Stephanie se lamentando por todos os cantos por ter terminado com Kyle, o músico e ex-paciente com quem ela havia se envolvido. E, um tempo depois, ele aparece no hospital com suspeita de meningite. Quem não se lembra de Denny e Izzie, Henry e Teddy? Pois é, Stephanie entrou para o time de médicas que se apaixonam por seus pacientes, e como é de praxe, não seria uma surpresa se Kyle morresse até o final desta temporada. 

Voltando ao tribunal, e nos dirigindo ao final do episódio, vemos todo o suspense que é criado em torno da revelação da decisão da juíza, e logo em seguida, descobrimos que a vitória foi para Arizona. Apesar de toda a argumentação, penso que a decisão da juíza foi a melhor, afinal, como disse a advogada de Arizona, toda a vida de Sofia está em Seattle. Foi triste ver o sofrimento de Callie após Arizona levar Sofia da casa da Meredith, mas, me parece que foi um daqueles momentos “você está colhendo aquilo que plantou”, uma vez que, como disse anteriormente, para mim, Callie se precipitou em sua decisão de se mudar. 

Ah, e depois desses momentos angustiantes, vou terminar essa review falando de Miranda Bailey, que ficou responsável pelo momento “descontração” do episódio ao soltar um “OBJECTION! ESPECULATION!” em pleno tribunal quando estava depondo. Impossível não cair na risada, não é?

Agora é esperar para saber o que os dois últimos episódios da temporada nos reservam, queridos leitores! Enquanto isso deixem suas considerações sobre este episódio aqui abaixo nos comentários! 

Esse texto foi escrito por: Rozany Adriany
Comentário(s)
0 Comentário(s)