DC's Legends Of Tomorrow - S01E13 - Leviathan

Por Bruna Horta

3 de maio de 2016

SPOILERS ABAIXO
Saímos de um episódio doze bem satisfatório e com vários pulos no passado dos personagens e fomos para o tão esperado ano de 2166… e não é que parecia até season finale?

Devem ter guardado uma boa parte do orçamento da temporada, porque aquela luta do Ray tamanho família com o Leviatã (o robô gigante parecido com a armadura do Átomo) deve ter sido caríssima! O robô, que aliás nomeia o episódio, tem seu nome proveniente da mitologia e seria uma grande criatura escondida nas profundezas do oceano. Será que a câmera lenta durante a luta foi para causar essa impressão, como se estivessem se movendo debaixo d'água? Não posso afirmar nada, mas foi um dos ápices do episódio!


E por que "Leviathan" foi acima da média e tão importante para encaminharmos ao fim da temporada? 

O grupo é autosuficiente mesmo sem um líder forte e reage bem sob pressão (menos Kendra, óbvio...mas explico isso daqui a pouco). Ao longo desses treze episódios, os membros das Lendas se uniram e conseguiram retirar o melhor de cada um, mesmo com um Rip, totalmente egoísta. Senti empatia por ele e sua perda, ao descobrir que viu sua mulher e filho morrerem repetidas vezes na linha temporal, mas no fundo o ex-mestre do tempo só quer salvar a família e não o mundo inteiro. Mas voltando ao melhor de cada membro do grupo, onde enxerguei isso e como vai impactar no fim da temporada?
Começando por Snart, ele apesar de ótimo na luta e no gatilho daquela arma congelante, é o que tem a melhor lábia ali. Se não fosse por ele, Cassandra a filha de Savage (por que diabos não inseriram antes a personagem?) não teria percebido a real face do pai e nem o teria traído. Mick, depois do treinamento com os mestres do tempo demonstra muito mais conhecimento sobre as viagens do que o próprio Rip, além de sua coragem e força bruta serem as melhores dentro do grupo. Sara é a mais entendida de luta e se não fosse pelas aulas com ela, Kendra não teria melhorado tanto como vimos no final do episódio. 

E se temos os três primeiros com tendências mais obscuras e um passado condenável, os outros três equilibram o time. Ray, Martin e Jax são o alívio cômico, o lado científico e ao mesmo tempo humano das Lendas. Se não fosse por Martin e Jax, a cidade inteira teria sido morta se não os levassem para a nave. 

O que nos leva aos dois elos fracos do time: Rip e Kendra. Os dois mais importantes para a história andar, são os que a puxam para trás. Na review anterior eu disse que tudo apontava para Carter retornar e adivinhem só? BINGO! Tudo ia bem na luta com Savage (confesso que derreter o bracelete na arma foi bem interessante), até que o amor novamente falou mais alto. A mulher-gavião tinha tudo em mãos para a vitória, mas titubeou como sempre. Esse ato já gerou um conflito direto com Rip, pois viu as esperanças de salvar a família sendo jogadas fora, mas é o que afetará diretamente o final da série (olha a importância do episódio aí). Ao meu ver, o mais inteligente seria matar um dos elos fracos do time. Rip se sacrificar pela família ou Kendra ser morta por Savage e Carter recuperando a memória, seria um adendo muito melhor ao time. 

Agora só nos resta esperar quais as consequências da prisão do vilão e ver se a configuração da equipe continuará a mesma…

Esse texto foi escrito por: Bruna Horta
Comentário(s)
0 Comentário(s)