Chicago PD - 3x23 - Start Digging (Season Finale)

Por Vittoria Crispim

31 de maio de 2016

Uma das coisas que mais me chamam atenção em um episódio de ChiPD é o início.  Sabe aquela sensação pacata, de calmaria, que antecede o desastre, a tempestade? É sempre assim que Chicago PD começa e é nesta parte que eu geralmente me preparo para o tipo de episódio que vou enfrentar. 

Sei que reclamei bastante nesta temporada de PD, ocorreu aqui quase a mesma coisa que ocorreu na série mãe da franquia e, por vezes, me tornei até dura nas críticas. Mas, este final de temporada foi excelente e o último episódio, só de inicio, já mostrava que seria também. 

Vamos lá. De início já tivemos a surpresa que a velha abordagem do Voight não vai poder continuar, coisa, que por sinal, odiei. Como sobreviveremos a uma Chicago PD sem a gaiola do Voight e seus belos tapas (com uma sonora incrível) ? Achei bom o Voight mostrar ao comitê que ele e a equipe tem o maior índice de casos resolvidos, de todo o departamento, graças a sua abordagem. Sargento Voight como Tenente Voight? Ao invés de comandar 6 homens, comandar 50? Hank não ficou animado com essa história, nem eu. 

Uma mãe viúva foi encontrada morta em um porta mala, foi torturada, teve a garganta cortada e, só por isso, tudo já se tornava totalmente trágico, mas quando o filho do Voight aparece na investigação a tragédia triplica de tamanho. 
Por dois momentos, quando vi o Justin baleado no carro, torci para que ele fosse realmente uma vítima ao acaso que estava ajudando a mãe viúva com um problema. Sabia que o Voight não deixaria quieto, sendo seu filho culpado ou não, e como não podemos evitar a fúria do Hank, prefiro que seu filho não seja culpado e ele esteja honrando uma vítima na sua busca desenfreada por justiça. Ainda bem que eu estava certa neste ponto, pena que não previ o que ainda viria pela frente.

É bem difícil trabalhar pisando em ovos e é assim que a equipe trabalhou neste caso: Ora o Voight praticamente manda o Antônio sair do caso pois, era provável que ocorreria coisas que o detetive não concorda e não aceita como policial, ora o Adam praticamente apanha por insinuar que o Justin tinha passado de vítima para acusado. Hank Voight é Hank Voight, mas esse foi um episódio difícil para ambas as partes. 

Hank não faz o estilo padrão de família da vítima, mas, pelo menos, em último momento ele deixou sua equipe de fora e ela não sofrerá as consequências pelos atos do Sargento. Não sei ainda o que pensar sobre o final, em como isso se refletirá na equipe e, principalmente, na vida do Hank e na carreira do Voight, mas achei que foi um tanto pesado, mesmo para Voight, tinha aquela esperança romântica que a Erin chegaria e salvaria a pátria, tirando o Voight do escuridão, não foi o que aconteceu.
Estamos para presenciar uma quarta temporada completamente nova, não faço ideia do que esperar para a Equipe de Inteligência da Polícia de Chicago e para falar a verdade, estou bem apreensiva pelo o que nos aguarda à frente. 

Hank e Al Olinsky fazem o papel perfeito do lindo Bromance de PD. Acho incrível o Al sempre estar presente para o Sargento, mesmo em seus momentos mais sombrios. 

Simplesmente não posso acreditar que Sean Roman está no seu último dia no distrito 21, não fiquei muito satisfeita com a saída do Brian Geraghty e para ser bem sincera, não entendi o real motivo para a saída dele. Mas, não duvido que seja para manter o casal Burzek, é bem a cara da franquia fazer isso. Só achei injusto colocar o Roman e a Kim para terem algo a mais e acabarem por prejudicar o personagem Roman por isso. Se fosse para o manter na série, era melhor que a relação entre os patrulheiros tivesse ficado apenas na amizade. Por um momento até gostei dos dois juntos, ultimamente acho que Kim Burgess é muita coisa para o Adam Ruzek, e fiquei bem emocionada com a despedida dos dois. Principalmente no momento que o Roman fala que ela deve ficar em Chicago e ser policial por eles dois. Ser policial era a vida do garoto, não foi legal o que fizeram com ele. Vou sentir falta do Brian, vou sentir falta do Sean Roman.

É isso, essa é a finale e é o melhor episódio da temporada e melhor episódio da série. Vejo vocês em breve e espero que o coração de cada um aguente até outubro para a season 4. Obrigada pela parceria, obrigada por visitarem a review de Chicago PD. e até mais, leitores!
Comentário(s)
0 Comentário(s)