Chicago PD - 3x22 - She's Got Us

Por Vittoria Crispim

31 de maio de 2016

Apenas um episódio da final, chegamos aqui com um episódio perturbador e me colocando no papel da atriz mirim, me pergunto: Quem é que não tentaria suicídio após sua família inteira ser morta e suas vestes serem machadas de sangue que não é seu?

Antes de começar a review, gostaria de fazer uma ressalva para a capacidade que a produção tem em arranjar esse atores convidados, seja em PD ou em outra série da franquia, eles sempre escolhem muito bem e nos deixa encantados tanto com os atores regulares quanto para com os convidados que em no máximo 3 episódios estarão fora da série em definitivo. Podemos mencionar os atores convidados que marcaram presença e são praticamente inesquecíveis aos fiéis fãs e Kylie Rogers, com certeza, é uma dessas atrizes que não esqueceremos tão rápido assim. Com pouca idade, a atriz deu um pequeno show de interpretação e me fez desejar que soubéssemos um pouco mais da sua vida pós-tragédia. Concordo com vocês se me falarem que o episódio foi mediano comparado com o anterior, não que o torne um episódio ruim só que o anterior foi melhor, porém a interpretação da atriz convidada fez com que os 43 minutos na frente do notebook valessem a pena.

Mas, voltando ao caso da semana, por precisar de um dinheiro extra Erin e Jay estão na patrulha quando são chamados para atender um assalto em andamento, mas ao chegar no local o caos já está instaurado. Muito sangue, muitos corpos e uma menina de 12 anos viva em baixo da irmã mais velha. Só por isso, já tínhamos a certeza que o episódio seria perturbador por assim dizer. Entretanto, a trama chegou ao ápice quando uma garotinha de 12 anos com o bisturi na mão tenta se matar por não aguentar a tragédia que presenciou. Até que ponto uma mente pode continuar sã perante a tal tragédia? Até que ponto você gostaria de ser uma sobrevivente quando todos que ama foram mortos? Não sei se é por se tratar de uma criança ou pelo caso em si, mas fiquei bem tocada com o caso do episódio 22 e se fosse pra escolher, pediria a produção por um episódio mais maleável, afinal, a garota só tinha 12 anos produção.
Após ser baleado no episódio anterior Sean Roman vê seu futuro ser mudado completamente da água para o vinho, tudo que o policial planejou para o futuro está sendo tirado dele. Ao contarem o que estava acontecendo com o policial a história me lembrou e muito uma já contada na série, a da Sargento Platt quando a mesma não pôde mais atuar como patrulheira e passou a cuida da papelada atrás de uma mesa. Sean não tem o perfil do policial que ficará preso na papelada, ele é do campo e a papelada não vai segura-lo atrás da mesa.

Admito que demorei um pouco para gostar do personagem logo quando ele entrou, mas me apeguei tanto a ele que não queria que o ator saísse da série. Não sei ainda qual a motivação que levou o Brian Geraghty sair de PD, não sei se foi apenas por escrita ou algo a mais, mas não me sai da cabeça que a motivação real foi para não afetar o casal Burzek.
Até gostei da Kim e do Sean juntos, já que o Adam não merece nem um pouco a Kim, mas se o relacionamento entre os dois personagem fez com que tirassem o Sean de cena, gostaria que nunca tivesse saído da amizade. 

Já contei uma das coisas que mãos gosto em CPD? Sons de tiro, bala voando para lá e para cá e nos minutos finais do episódio foi exatamente isso que tive. As cenas de ação sempre são uma das que mais me chamam a atenção. Eu sempre gosto delas.
Aos Linstead’s de plantão gostaria de fazer uma pergunta: Jay Halstead e Erin Lindsay estão planejando morar juntos ou aquele papo todo de apartamento é só para o Jay? Fiquei um tanto confusa quanto a isso, mas, todas as cenas entre os dois foram bonitas, o casal agrada a maioria e até queria mais eles em cena, mas para o episódio eu estou satisfeita. As cenas foram leves e cheias de química entre os dois atores, e sim, queridos, Sophia Bush e Jesse Lee Soffer são um casal na vida real. Fofos! 

Até mais, leitores. Temos mais uma jornada pela frente, a última desta temporada. Até mais.

Comentário(s)
0 Comentário(s)