Chicago PD - 3x21 - Justice

Por Vittoria Crispim

31 de maio de 2016

Dificilmente Chicago PD decepciona em suas cenas de ação: Sons de tiro, correria, mais sons de tiro, gritaria, ainda mais sons de tiro e aquela musiquinha de fundo que te deixa apreensiva, e no episódio 21 tudo isso aconteceu em apenas 2 minutos e 17 segundos, todavia a voz de desespero de Kim Burgess foi o que realmente me deixou sem respirar durante esses breves minutos. Antes da apresentação de nomes dos atores da série eu já morria de dó da minha patrulheira preferida, sabia o que ela estava por enfrentar e sabia também que não seria nem um pouco fácil ou justo.

Marina Squerciati sempre se sai muito bem em cenas de drama, ou melhor, ela sempre se sai bem em cenas, mas quando o episódio todo gira em torno da sua personagem ela simplesmente arrasa e mostra como o cast de Chicago PD é espetacular. 

O episódio 21 é a introdução de mais uma série para a franquia que levará o nome que dá o título para o episódio: Justice. E se eu for franca com vocês e comigo mesma não posso dizer ainda se gostei da ideia de ter mais uma série na franquia, tanto pelo que relato nas reviews de Chicago PD quanto de Chicago Fire, entretanto posso dizer que o episódio foi muito bom e que se a série permanecer neste ritmo ela será melhor que a novata Med e talvez se iguale com as duas primeiras. Não estou esperançosa, mas também não desejo que a série seja um fiasco antes mesmo de começar.
Fico completamente satisfeita ao assistir SVU e ver o promotor Barba fazer o mesmo que o promotor Peter fez, o único problema é que ele fez com a Burgess e foi triste ter que vê-la provar mais uma vez que é competente independente de com quem ela está envolvida. Burgess é uma excelente policial e cumpre sua função com louvor, não é justo que por ser mulher ela tenha que provar que é tão eficiente quanto os policiais homens. Duvido que se fosse o contrário o Roman teria que provar que é um bom policial e que suas ações não foram motivadas pelo quesito emocional.

Confesso que senti um pouco a falta de apoio para com a Kim, tudo bem que ficou subentendido que todos os policiais estavam lá para ela, mas o único que realmente verbalizou isso foi o Jay Halstead. Esperava mais por parte da Equipe de Inteligência e esperava um apoio maior do Voight, como ele fez quando a policial foi baleada. 
Um adendo que gostaria de fazer é sobre a filmagem, a cenografia de quando a Kim chega ao tribunal é de tirar o fôlego. Toda a gente gritando e ela tentando passar pela multidão. Foi uma das cenas mais bem montadas que vi em CPD. 

Apesar de Justice ser um bom episódio, um dos melhores da temporada, senti a motivação de Michael Ellis bem clichê. É tão comum fazer episódios baseados em jovens atacando a polícia por algum problema de abuso policial. Como falei, o episódio é excelente e o enredo também, mas ele tornou-se um pouco clichê nesta parte. 

Já referente ao suspense se Michael Ellis era culpado ou não, nem por um momento tive dúvidas, quem acompanha SVU sabe que é bem roteiro da produção Dick Wolf plantar esse tipo incertezas para no final trazer a resolução de tudo. E também seria muito controverso se a Kim tivesse errado no seu julgamento em analisar os suspeitos. Em episódios anteriores foi provado que ela é muito boa nisso e tem técnicas específicas para identificar os elementos.
O final do episódio não me agradou tanto, mas também já estou acostumada. Ao que parece Justice será a cópia de SVU em Chicago. O promotor não me agradou tanto quanto o Barba, interpretado pelo Raúl Esparza, mas ainda é muito cedo para julgar o cast da série.

Me contem, estão animados para a nova série? Até mais leitores, espero que estejam gostando.
Comentário(s)
0 Comentário(s)