Chicago Fire - S04E23 - Superhero (Season Finale)

Por Vittoria Crispim

24 de maio de 2016

SPOILERS ABAIXO
Sabe aquela história de que os fins não justificam os meios? Então, tudo mentira.
Season Finale de Chicago Fire compensou todos os 43 minutos de todos os 23 episódios da season 4 que eu assisti e se você chegou até aqui e está lendo essa review, compensou cada minuto pra você também.

Confesso que essa season não foi muito fácil de assistir, a oscilação entre um episódio bom e um nem tanto deixou desgastado minha devoção para com a série e me colocou em patamares difíceis de estar devido ao meu amor por Chicago Fire e meu comprometimento para com o Séries em Foco, e para com vocês também, muitas reviews foram complicadas de escrever, mas está, bem, está não é.

Apesar de Superhero ainda apresentar características típicas de uma finale das Chicagos houve tantos outros momentos surpreendentes que foi encantador e emocionante de assistir e correr aqui para elogiar a série e contar tudinho para vocês. Sendo assim, venham porque começo agora a review do último episódio da temporada.
O episódio iniciou como um turno após a morte do Danny Borelli onde as emoções do batalhão ainda estão a flor da pele e a culpa que Comandante Boden sente ainda era evidente.

Foi passado ao batalhão que eles deveriam fazer uma carta, que em caso de morte, seria entregue para quem o bombeiro endereçou, porém sobre isso, vou falar um pouco mais tarde, mas confesso que algumas cartas gostaria de ler ou pelo menos saber para quem foi endereçada. Tipo a dos Tenentes, tanto do Severide quanto a do Casey, mas tudo bem, adiante falaremos sobre uma em especial.

Voltando, a episódio começou um turno após a morte do irmão do paramédico Jimmy que culpa o Comandante do seu quartel pela morte do Danny. Tudo bem que ele está de luto e sendo assim temos que relevar qualquer temperamento ruim logo após o ocorrido, mas as cenas em que Jimmy Borelli apareceu foi tão chata que nem merece consideração, não gostei do fato como ele está culpando o Boden e achei até um pouco de desleixo deixar um paramédico trabalhar nas condições que ele se apresentava. Ele foi instável o suficiente em uma chamada para realizar um atendimento errado, ele não tinha que estar trabalhando e este foi o único ponto negativo numa finale positiva.
Gabriela Dawson enfrentou uma verdadeira jornada em um ano, tanta coisa aconteceu na vida da bombeira que me pergunto se ela fosse um pouco mais fraca ainda estaria de pé.

Gabby que no início da temporada perdeu um bebê do Matt está lutando para se tornar mãe do pequeno Louie. Esse menino já conquistou todos os fãs da série e a interação entre os gêmeos que interpreta o Louie e a Monica Raymund é fabulosa. Espero que a guarda que ela conseguiu não seja temporária e que os garotinhos permaneçam na série. 
Mas vamos lá, Dawson batalhou o episódio inteiro para mostrar que era digna de ficar com a criança, brigou com o noivo, perdeu um casa, conseguiu outra, teve ajuda dos amigos e por último escreveu uma carta espetacular para o pequeno. Esse momentos finais onde ela narra a carta, com certeza, foi o ponto alto do episódio e emocionou até mesmo aqueles que não gostam da bombeira (e eu me pergunto como é possível não gostarem dela, mas tudo bem).

Outra bombeira que vive seus dramas pessoais é Stella Kidd. Gente quem merece um ex marido daquele? O cara só dá trabalho e dor de cabeça para a bombeira. Como já havia falado aqui, era evidente que o cara iria aprontar e aquela cena do final, pra quê? Estava com a maior pinta de Linha Direta. Eu hein?! Pra quê? (Vocês se lembram do Linha Direta? Me dava arrepios igual quando vi o ex da Stella com a faca). Desnecessário produção. Como segurar a ansiedade até a Season 5?
Kelly Severide teve poucos momentos no episódio 23, desde o clichê em salvar a Dawson no final da temporada (já virou tradição isso) até o grande final que dá a ele um cliffhanger para a próxima temporada. Fora isso, não houve grandes momentos para o bombeiro, entretanto, Severide permanece com seu posto intacto de personagem mais bem aproveitado da temporada. 

Tenente Matt Casey, bem, não é de hoje que vivo um grande dilema com o personagem do Jesse Spencer, mas mesmo após o beijo que ele e Susan compartilharam, afirmo que gostei das cenas dele e gostei bastante. Agora vejo um final para o plot do Tenente e isso me deixa bastante satisfeita, contando o fato também de quê agora dá para visualizar um caminho bem traçado para Dawsey após a cena em que ele chega na nova casa Dawson e do pequeno Louie.

É isso, leitores, final da temporada! Nos vemos no próximo ano e espero que com ele venha com bastante fogo e vários salvamentos. Até mais!

Esse texto foi escrito por: Vittória Crispim
FACEBOOK: /SeriesEmFocoWeb
TWITTER: @SeriesEmFocoWeb
INSTAGRAM: @SeriesEmFocoWeb
Comentário(s)
0 Comentário(s)