Banshee - S04E06 - Only One Way a Dogfight Ends

Por Alvaro Luiz Matos

11 de maio de 2016

SPOILERS ABAIXO
Pois é galera, Banshee sofre uma crise de qualidade em sua última temporada e eu gostaria de falar um pouco mais sobre isso antes de falar do episódio em si.

Nessas quatro temporadas (ou nas três anteriores) nunca me importei com as maluquices da série, afinal cada bizarrice que assistia me prendia ainda mais a história (ou a falta dela). O importante sempre foi causar impacto e até por isso Banshee nunca se preocupo em desenvolver muito seus plots e diálogos, e quando o fez acabou sendo pedante e cansativa. A ordem portanto era agitar as estruturas e enxertar sexo, drogas e muito rock in roll (por Rock in Roll leia-se 'muita pancadaria').

É obvio que uma série assim precisa ser curta, até porque a medida que as temporadas vão passando fica mais difícil sustentar uma história dessas sem pisar feio na bola. Portanto encerrar a série foi uma decisão acertada e bastante consciente, tendo em vista que não sobravam mais cartas na manga. A prova disso se resumi a essa temporada que entrou em um lope incrivelmente chato e só pareceu melhorar no final desse sexto episódio.

Vale dizer que talvez o maior erro dessa temporada esteja sendo esse desenvolvimento pedante que Banshee se sentiu na obrigação de fazer, já que com tantos plots rasos seria necessário ocupar os episódios com alguma coisa. Dessa forma se analisarmos arco por arco veremos que a série não tem bem uma história para a temporada, apenas planeja um holocausto enorme para a sua finale.

O sentimento comum entre os fãs da série até aqui é de certo pânico e medo de ter uma temporada vazia e sem importância, terminando de forma lamentável uma caminhada que estava bem legal até aqui. Mas acho que o sofrimento já está passando.

Enfim. Vamos começar o episódio pelo que mais me incomodou: Lucas Hood chorando. Ninguém merece não é? A ideia aqui é bem simples, vamos mostrar que tudo que circula a vida dele está desmoronando e assim, se precisarmos, podemos matá-lo no fim da série para causar algum impacto, ou simplesmente justificar um novo e inesperado amor vazio. Bem, é lamentável.

Fora isso tivemos vários confrontos diretos que ganharam um start mais cara a cara nesse episódio: Carrie Vs Proctor, Carrie Vs Nina Cruz, Proctor Vs Calvin, Calvin Vs Kurt, Block Vs Serial Killer, Hood Vs Agente Veronica (ok, esse último confronto é bem diferente). Mas o que quero dizer é que se faltava alguma coisa na série era a emoção e Banshee nos promete uma única coisa para esses últimos dois episódios: Muita pancadaria.
E por falar em emoção a primeira guerra a eclodir foi Carrie Vs Nina Cruz (a mando de Proctor) e de uma hora para outra me peguei motivado e agitado com as cenas de luta e tiroteio. Percebi que trazer Deva (a personagem mais chata da série) de volta foi um golpe de mestre, não só para que Carrie tenha o que temer, mas também para que Deva debute e mate alguém pela primeira vez, deixando de ser a menina chata e mimada de sempre (pelo menos eu espero que não tenha muito 'mimimi'). Agora ela já cumpriu seu papel e já pode ir embora (antes que volte a ficar chato).

Essas cenas parecem ter sido apenas um aperitivo e se antes delas meu descontento era grande, nesse momento eu tenho grandes expectativas para o final da série. E vocês renovaram seus votos? Ou ainda permanecem desanimados com o final da série?

Obs.: Agente Veronica em perigo no final da série me importou muito pouco, além de que pulei todo aquele diálogo final entre ela e a Kim Newton. Pra mim esse plot é muito desnecessário, e eu preferia muito mais a Rebecca viva e vê-la no finalzinho da série mudar de lado e trair o Proctor para salvar a vida de Hood mas vai ficar só nos sonhos.

Deixem seus comentários e até a próxima semana.

Esse texto foi escrito por: AlvaroLuizMatos
Comentário(s)
0 Comentário(s)