Por Dentro do Roteiro - Flashback

Por Bruna Horta

3 de maio de 2016

SPOILERS ABAIXO
Oi pessoal... esse é o primeiro texto da minha coluna aqui no site!

Com a minha formação técnica em Roteiro de Cinema e TV, vou escrever artigos (provavelmente duas vezes ao mês) com temas mais técnicos da estrutura, da narrativa ou de elementos desse universo do roteiro; sempre exemplificando com séries clássicas ou atuais. Combinado? (Fiquem à vontade para sugerirem temas!).

Decidi começar com um assunto mais fácil, mas que muita gente têm dificuldade em analisá-lo e ver sua necessidade ou não dentro da trama.


Flashback ou analepse (como chamam na literatura) é quando há pausa/corte do que é narrado no presente para retornar num ponto do passado. Normalmente é usado para explicar ou revelar algo, fazendo a trama caminhar. Vou explicar 4 tipos muito usados nas narrativas...
RETORNO À INFÂNCIA
Uma primeira forma de usar o flashback é contando algo impactante na vida do personagem quando criança e que o modificou, justificando seu comportamento hoje. Esse retorno à infância é visto tanto em The Flash (cena da morte da mãe, por exemplo) como em Dexter (ele muito pequeno em meio ao sangue, sendo resgatado por Harry) ou até mesmo no ÚNICO flashback de Game of Thrones (quando a Cersei lembra da profecia que ouviu quando menina). Os dois primeiros são exemplos parecidos, mas que afetaram de formas diferentes os personagens. Barry usou a morte como motivador na busca por justiça, já Dexter sofreu um trauma, justificando seu desejo de matar. No de Cersei, a profecia impactou tanto quando era jovem que isso a persegue mentalmente ainda, deixando-a superprotetora dos filhos e insegura com o posto de rainha.


NARRATIVA PARALELA
O Flashback também pode ser usado como narrativa paralela na trama; quando contamos dois momentos daquele personagem, que alguma hora irão se encontrar. No princípio de Arrow esse recurso era muito utilizado. As cenas dele como vigilante na cidade eram intercaladas com as da ilha, e o suspense ficava no interesse em saber como ele saiu dali depois desses cinco anos. Vale destacar que, um filme que usa esse recurso magistralmente é o brasileiro Estômago, alternando a narrativa do Nonato ingênuo, aprendendo a cozinhar no boteco/restaurante com a do Alecrim (apelido dado a Nonato na cadeia), já bem mais espertinho e malicioso na prisão. O grande plot do filme então, é saber o que o personagem fez para acabar sendo preso.


HISTÓRIA DE OBJETOS OU LUGARES
O recurso é comum quando um personagem vai a algum local e é preciso situar o espectador, mostrando que ele já esteve ali antes por alguma razão. Locais e objetos carregam histórias das personagens. Quem deu tal objeto ao protagonista ou qual significado carrega, são informações que enriquecem qualquer trama. Quando Gustavo Fring de Breaking Bad mata Don Eladio e o cartel no mesmo local que o chefão matou Max (o parceiro de Gus), isso agrega significado à história. O flashback veio dois capítulos antes e ao visualizarmos a mesma piscina, sabemos da importância do local para aquela morte específica… foi uma vingança completa!


FLASHBACK COMO MEMÓRIA ANTES DA MORTE
É a famosa frase "passou um filme na minha frente". Uma situação recorrente na literatura e nem tanto no cinema (me corrijam se eu estiver enganada), mas que, se bem usada, pode carregar fortes emoções à história. No último Harry Potter, Snape entrega a Harry, em seu leito de morte, suas memórias (talvez a sequência mais bonita de toda saga). Naquelas lembranças, o jovem descobre o amor do professor por Lily Evans (sua mãe) e entendemos toda a complexidade da relação entre Severus e Harry.

E para não dizerem que não falei de Lost (provavelmente a série com mais flashbacks na história)…

A cena do último capítulo na realidade paralela (posso fazer outro texto explicando melhor o flashsideways), quando Jack põe a mão no caixão do pai e lembra do aconteceu com ele na ilha, é outro exemplo nessa categoria, só não sei se tão impactante quanto o primeiro, pois não há revelação ao espectador… são apenas memórias do que já sabemos.
Mesmo com a complexidade de Lost, espero que tenha ficado claro para vocês… e para continuar a temática do tempo na narrativa, o próximo texto será sobre flashforward! Comentem alguma cena de flashback que gostem e... até breve!

Esse texto foi escrito por: Bruna Horta
Comentário(s)
0 Comentário(s)