Banshee - S04E02 - The Burden of Beauty

Por Alvaro Luiz Matos

12 de abril de 2016

SPOILERS ABAIXO
Sabe aquele episódio que você passa só observando os destinos que o roteiro quer nos levar? Pois bem, é exatamente esse o perfil deste segundo episódio da temporada final de Banshee.

A narrativa tomou um posicionamento bastante diferente da premiere, aonde vimos muito mais um episódio que procurava estabelecer os novos pilares da temporada (quase que como um piloto de série) do que responder perguntas. Aqui vimos um episódio de desenlace, que procurou avançar com o que foi estabelecido anteriormente, introduzindo novas informações e novos acontecimentos.

O episódio atirou para todos os lados e todos os plots da temporada, primeiro deram uma avançada no plot que envolve mais uma "guerra" de gangues que está por vim, buscou mostrar a parceria entre Proctor e os Nazistas, deixando claro que quem manda é o "prefeito" e que os nazistas estão bastante incomodados com isso. Depois procurou estabelecer o seu posicionamento com o desaparecimento do Job, mostrando que Carrie nunca deixou de procurar por ele; e por fim, o mais importante, deu procedimento no caso envolvendo a morte de Rebbeca, nos apresentando mais da interação dela com Hood nesses anos em que o ex-xerife esteve "afastado".

Essa parceria entre os nazistas e Proctor é, a meu ver, mais uma dentro de todas que já aconteceram na temporada, Proctor já teve outros tantos a seu lado seguindo seus comandos e suas ordens e todos que procuraram se voltar contra ele foram esmagados, e essa será mais uma dessas histórias que só estão no roteiro para garantir a ação, as brigas e o clima de conspiração comum em todas as temporadas.

Pude ler, em algumas reviews, muita gente animada com esse plot, e cá entre nós, não acho que virá daqui os acontecimentos mais importantes da temporada, talvez venha daqui as melhores brigas, bastante tiro, destruição e muita, mas muita ação. Se for só isso que você está procurando foque suas atenções aqui.

Já o plot envolvendo Job deve ser a conclusão do arco da série e por isso tem sido levado em banho maria, apenas mencionado e não muito aprofundado. O caso está ali e é quase como a série nos dissesse "Devo, não nego, pago quando puder" e não se importasse muito em dar uma solução instantânea para isso. De certa forma, acredito que entre os plots é esse que vai necessitar de mais trabalho de roteiro, que vai precisar de mais justificativas e uma saída inteligente, portanto é compreensível que ele seja tratado com mais calma e lentidão (falarei mais um pouco sobre o caso Job no final do texto).

Por fim, a morte da Rebbeca que, entre todos os plots, é o mais fácil de resolver (muito mais do que o caso do Job). Por se tratar de algo que aconteceu sem mais nem menos, e ser um caso de início de temporada o roteiro pode fazer o que quiser para resolvê-lo, basta colocar alguns flashbacks e justificar tudo da maneira que achar melhor. Com isso o risco de que a coesão fique prejudicada é bem menor (não que Banshee realmente se preocupe com coesão).
Fora isso também tivemos o caso da semana, que Banshee sempre traz da forma mais disfarçada do mundo e também mais inteligente. Nas temporadas anteriores sempre acontecia de um forasteiro está atrás do Hood, ou alguma gangue passar pela cidade ou qualquer coisa que terminasse em uma boa briga durante o episódio, mas nessa temporada esses casos parece ficarem a cargo de Carrie que pela segunda semana seguida trabalha como justiceira. Vale lembrar que a série gosta de abordar algumas coisas erradas que temos na sociedade, é raro Allan Ball não colocar suas percepções no roteiro e dessa vez ele procurou citar a indústria pornográfica que quase sempre trabalha de forma sub-humana e exploradora.

Para encerrar esse episódio de desenvolvimento finalmente tivemos algo concreto sobre Job e pudemos vê-lo em total sofrimento e desespero preso em algum lugar por aí. A cena serviu de Cliffhanger, mas não apresentou nada muito novo, afinal assim como eu tenho certeza que todos imaginavam que ele estaria vivo, e mesmo sendo uma cena chocante não faz mais do que a série tem feito aqui, entregando pistas lentamente para segurar esse arco até o final da temporada e fechar o séries finale com a sua resolução.

Obs.:1: O texto essa semana foi um pouco mais curto, mas isso se deve ao pouco que o episódio revelou de roteiro, mesmo que tenha sido importante e caminhado para desenrolar o roteiro. Foi um episódio lento e muito visual.

Obs.: Quando aquele traficante mexicano disse ao Proctor que um homem perigoso em Banshee não passava de um mosquito para ele, eu juro, mas juro que disse em voz alta: "Vem pro Brasil pra ver o que um único mosquito consegue fazer" (Aedes Aegypti).

Esse texto foi escrito por: AlvaroLuizMatos
Comentário(s)
0 Comentário(s)