11.22.63 - S01E07 - Soldier Boy

Por Alvaro Luiz Matos

5 de abril de 2016

SPOILERS ABAIXO
Sei que fiquei devendo essa review e estou um pouco atrasado, mas antes tarde do que nunca, certo?

Devo começar assumindo que perder a memória depois de apanhar fez com que Jake tivesse todo o seu avanço até aqui comprometido, mas não somente isso, fez com que o roteiro abordasse novos pontos de vista e me trouxesse novamente a impressão de que ele poderia não voltar para o futuro decidindo ficar e viver sua vida ao lado de sua nova amada. Eu tenho essa teoria a muito tempo e provavelmente já comentei sobre ela aqui algumas vezes, mas o que eu não tinha era o como isso iria acontecer e por algum momento imaginei que essa quase amnésia seria o motivo mais plausível para isso (no final do texto falaremos disso novamente).

Pior do que isso foi ter que depender do seu "irmão" que ficou louco dentro da clínica psiquiátrica, e que mesmo se não estivesse louco também não iria colaborar. É muita ironia ver como Jake estava maluco pelo apoio de Bill e a ajuda literalmente pulou pela janela, mas o que me chamou mesmo a atenção foi a atuação de James Franco que finalmente me fez perceber o  seu personagem de uma forma diferente, agora mais fraco, menos confiante e menos capaz.
De qualquer forma tudo isso não passou de um contratempo e uma epifania, afinal as coisas retornaram ao normal depois que Jake recuperou sua memória. Esse artifício da perda de memória serviu para dar uma esticada na história (provavelmente no livro tenha funcionado melhor) e acabou não sendo assim de grande importância; o que me fez pensar que mais do que metade desse episódio não serviu para muita coisa, deixando para os seus minutos finais toda a adrenalina necessária para abrir alas para o series finale.

Essa adrenalina não foi bem uma "correria", foi mais uma adrenalina dramática, uma carga forte de drama que foi colocada no roteiro no momento em que Jake teve aquela conversa com seja lá o que era aquele homem. Pelo que entendi nesse episódio ele ficou preso no tempo em um loop sem volta por ter tentado salvar sua filha repetidamente, e desde o início tentou avisar que ninguém deveria retornar ao passado. O mais importante do discurso é que finalmente minha teoria de que nosso personagem principal poderia desistir e ficar no passado com Sadie fez algum sentido, pois logo que ficou sabendo que não deveria tentar, que não adiantaria, ele tentou sem sucesso desistir do seu objetivo.
Pra finalizar eu ficaria muito desapontado se realmente fosse o Lee Harvey o responsável pela morte do Kennedy, nada até aqui me fez acreditar na culpa do personagem e se caso Lee venha realmente ser o culpado espero que a série nos de uma explicação plausível e as motivações necessárias para o disparo (não só o fato de ser marxista)

Ansiosos pelo finale? Eu também.

Obs.:1: Ver o Bill daquele jeito no manicômio de cabelo raspado me fez lembrar de American Horror Story (Asylum), e o como os tratamentos podem transformar uma pessoa normal em louca.

Esse texto foi escrito por: AlvaroLuizMatos
Comentário(s)
0 Comentário(s)