Marvel's Daredevil - S02E01 - Bang

Por Alvaro Luiz Matos

21 de março de 2016

SPOILERS ABAIXO
A magia da Netflix se faz presente mais uma vez, e dessa vez com o retorno da segunda temporada de Daredevil.

Eu sinto que posso dividir esse episódio em duas partes, a primeira é totalmente voltada para situar nós espectadores no momento em que a cidade de Hell's Kitchen vive, principalmente nossos personagens principais que possuem alguns poucos clientes (e alguma "fama"), que estão com o escritório de advocacia com problemas financeiros, mas que também estão unidos por um ideal comum de fazer os negócios darem certo e juntos lutarem por uma cidade melhor.

Os instantes iniciais procuraram deixar claro também que Page está bastante interessada em Matt e que entre eles rolam algumas faíscas bastantes quentes, sendo importante ressaltar que nessa temporada teremos Elektra e que esse triangulo amoroso vai acontecer inevitavelmente. Para isso a série já vem nos preparando de forma inteligente, nos fazendo criar apego pelo possível casal entra Murdock e Page no intuito de balançar tanto a cabeça do protagonista quanto a nossa no momento em que colocarem a ex namorada do herói na história. Sinal claro disso é a forma grandiosa que a personagem foi tratada durante todo o episódio, os momentos foram sutis, quase que levados em banho maria para nos fazer torcer por esse casal.
Mesmo que os três personagens possuam o desejo de mudarem a cidade fazendo justiça com o trabalho deles, Matt tem uma forma diferente de fazer isso, lutando pelos becos a noite e salvando a cidade de pequenos e médios crimes (do seu jeito); isso incomoda um pouco o Foggy, que tem sérios problemas de restrição quanto aos riscos tomados pelo seu melhor amigo. Isso também não é colocado por acaso no episódio, toda a preparação do roteiro está sendo feita nos mínimos detalhes para justificar as dúvidas que ambos terão no futuro da trama.

Resumindo: O episódio está preparando as justificativas e criando bases para que o roteiro evolua e se mostre plausível lá na frente e, pelos trailers que já vimos, ficam muito óbvios os momentos em que alguns plots começam ser inseridos. Tudo sendo feito com o maior cuidado e precisão possível.

Já o que eu chamei de segunda parte teve como objetivo apresentar e introduzir o Punisher e alguns plots menores que vão fazer parte dessa história. Foi um momento mais de suspense, de investigação onde a série acerta ao levar uma narrativa mais parecida com as dos procedurais (misturada com Sons of Anarchy) em cenas com o Foggy; e um suspense mais pesado e sombrio lembrando bastante de Hannibal (cenas com forte apelo visual e sem diálogos) em cenas com o Daredevil. Essas duas formas de narrar mais voltadas para o suspense foram vitais para alimentar a expectativa do espectador pelo Punisher.

E sinceramente eu imaginei que o episódio fosse terminar com uma menção a ele, e que talvez o anti-herói não fosse mesmo aparecer de frente nesse episódio, imaginei que o episódio fosse terminar mais ou menos como na cena do hospital mas sem continuidade ele chegando de costas e atirando no irlandês (FIM). Imaginei que a série ia optar pelo suspense para levar seus fãs do primeiro para o segundo episódio, mas ela optou em fazer isso de outra forma: usando a adrenalina injetada nos últimos minutos do episódio.
Afinal, se eu não esperava ver o Punisher já no primeiro episódio, quem dera vê-lo lutando com o Daredevil assim? de cara. Esse encontro prometia e não ficou devendo, sem falar que no final da cena ficou claro a diferença entre os dois: O Justiceiro atira. Se você esperava um retorno melhor que esse me desculpa, eu não.

Fique ligado que as outras reviews logo logo estão no site. E se você gostou do episódio não deixe de comentar, sua opinião realmente é importante para nós, é ele que nos move. Obrigado.

Obs.:1: Que saudade de ver lutas bem ensaiadas e encenadas. Jessica Jones e aquelas brigas horrorosas de quem não sabe lutar eram osso.

Obs.:2: Você pode escolher entre Punisher e Daredevil como destaque do episódio, mas eu vou obviamente escolher por Karen Page que, assim como disse lá em cima, foi tratada pelo roteiro de forma grandiosa que reafirmou que ela é uma mulher forte e de pulso. Portanto se você imaginava um triângulo amoroso entre uma mulher forte como Elektra e uma donzela inofensiva você errou feio, errou rude. Page é uma guerreira, talvez muito mais que a Elektra.

Comentário(s)
0 Comentário(s)