How to Get Away With Murder - S02E15 - Anna Mae (Season Finale)

Por Hanssés

25 de março de 2016

SPOILERS ABAIXO:
Em um balanço geral sobre a temporada, a palavra que sintetizaria pode ser oscilante, onde a primeira parte da trama teve todos os ingredientes que nos fazem amar a série e em contrapartida, depois do hiato tivemos histórias arrastadas com desfechos um tanto duvidosos.

Primeiro fato que me incomodou nesse episódio foi esperar os dez minutos finais para sentir algum impacto relacionado ao diálogo de Annalise com o promotor, declarando quem foi o assassino da temporada e logo depois Caleb aparecer morto sem ter uma última cena dele cometendo o crime. O que me deixa mais irritado ainda éesta  possibilidade desta história maçante se estender para próxima temporada.

Ver a família de Anna Mae nos traz muitas referências de como ela adquiriu essa postura rígida e severa, não sendo um choque ela evitar o cenário que lutou tanto para mudar em sua vida, e perceber que por mais escrota que tua mãe seja, ela ainda é mulher que te acalenta e provavelmente a pessoas que mais te ama no mundo.

Ainda acho forçado o favor que Frank devia para Sam, mesmo sabendo que ele é um dos responsáveis pela morte do filho de Anna, já que traiu sua confiança dando informações para seu cliente de Ohio. É estúpido o assistente pagar essa dívida de dez anos matando uma menina grávida porque o marido da patroa simplesmente pediu, praticamente surreal. Gosto de pensar que na próxima temporada teremos uma espécie de "reboot" deixando metade desses fantasmas do passado enterrados e focando apenas nos problemas do presente.

Mais interessante dessa finale foi ver a consistência e o amadurecimento da relação de Nate com a Anna, sentir que eles estão se curando juntos e por mais que ame a Eve, o policial é o melhor companheiro para a professora.

Como foi simbólico o rito de passagem para a absolvição de uma mãe que se culpa por uma década pela morte de seu filho, foi o momento mais lindo desse episódio, como já tinha comentado antes, a mãe da protagonista sempre traz um carga dramática para a trama que nos faz refletir por sua personalidade marcante.

Depois de duas temporadas tenho que aceitar que Wes é um co-protagonista, que metade dos plots centrais estarão focados nele, mesmo ele sendo um personagem altamente descartável. Espero do fundo do meu coração ele sofra muito mais na próxima temporada para que sua personalidade tenha alguma melhora, porque é difícil aguentar mais que três minutos de tela olhando para cara de tristeza dele.

P.S¹.: CADÊ FRANK?

P.S².: Cale realmente se matou?

P.S³.: Obrigado por me acompanhar nessa temporada, beijos na alma e até a season

Esse texto foi escrito por: Hanssés Anderson
Comentário(s)
0 Comentário(s)