Feminismo Em Série: O "par romântico"

Por Marcela Virães

16 de março de 2016

SPOILERS ABAIXO:

Dessa vez não vem elogios, na verdade, escolhi tratar sobre um assunto que me incomoda de uma maneira muito forte, não só na série que optei por falar, mas em muitas outras também, uma vez que esse é um tema que sempre insiste em aparecer: a famosa questão da personagem feminina que é colocada apenas como mais um par romântico.

Teen Wolf é uma série da MTV, baseada num filme de 1985 de mesmo nome, que conta a história de um adolescente que é mordido por um lobisomem e passa pelos desafios de se transformar em um, e ao mesmo tempo precisa lidar com os mesmos problemas comuns de todos os adolescentes. Esse é o começo da série porque na verdade, atualmente, ela passa longe disso. Mas enfim, logo aí no comecinho nos é introduzida a personagem da Allison Argent, uma jovem que têm sua personalidade e função na série bem limitadas no início e que acaba por se tornar o par romântico do Scott, o protagonista.

Para ser sincera, minha escolha por falar dessa série se deu simplesmente por causa da abertura dela. Usei a palavra “simplesmente” porque uma abertura é algo banal, mas o significado da situação é o que tira meu sono. Para quem já conhece a série, sabe que durante a primeira temporada ela não tinha abertura, a mesma só surgiu durante a segunda e funciona da seguinte maneira: cada ator tem uns segundos na tela, onde aparecem fazendo algo e logo em seguida seu nome surge. O interessante é que nessas primeiras aberturas (porque elas mudaram a cada temporada) as duas únicas personagens femininas que faziam parte do elenco principal da série no começo apareciam postadas ao lado de seus respectivos pares românticos de cena, e não só isso! A Crystal Reed (que interpreta a Allison) tinha como primeira cena na abertura um corte de alguns segundos onde ela simplesmente aparecia beijando o Tyler Posey (que interpreta o Scott), quando eu vi isso pela primeira vez a única reação que consegui ter foi “QUE?”, uma personagem com tanto potencial e com uma história que podia ser super desenvolvida sendo representa e resumida logo na abertura, o primeiro contato que a gente tem com a série, como uma “namoradinha” do protagonista e que, aparentemente, era apenas dele né? Porque ao fazerem isso eles não abrem para outras possibilidades, a colocam como uma “propriedade” dele, como se se ela fosse apenas aquilo ali e já “pertencesse” a ele e pronto, acabou. Não sei para vocês, mas para mim é isso que essa abertura passava sempre. Temos também a Holland Roden, interpreta a Lydia, que durante duas temporadas foi a única personagem feminina no elenco principal além da Allison, e que também é colocada na abertura ao lado do carinha com quem fazia par romântico na época, e, além disso, era uma personagem completamente negligenciada, cheia de estereótipos, vista apenas como a “melhor amiga” da “namoradinha” do protagonista, a garota popular rude que se fingia de burra para massagear o ego do namorado que era um típico “macho alfa”. Durante quase 5 temporadas, vivia sendo bombardeada com namorados o tempo todo, como se ela não pudesse passar uma temporada se quer sem ter um homem do seu lado, podendo ela ser uma personagem maravilhosa, com extremo potencial e completamente “ignorada” e subestimada pelos roteiristas e pelo público também.
Hoje, entraram mais algumas outras mulheres para o elenco principal, mas continuam sendo personagens com histórias não exploradas de maneira satisfatória pelos escritores e deixadas de lado em prol dos personagens masculinos que estão sempre recebendo mais atenção. Na verdade, Teen Wolf tem um milhão de problemas e um milhão de problematizações que podemos fazer se pararmos para pensar direitinho (prometo falar mais sobre isso em futuras postagens), mas, voltando ao assunto desse texto né.... Na quarta temporada a abertura mudou mais uma e agora em vez da Crystal Reed beijando o Tyler Posey, temos a Arden Cho fazendo a mesma coisa. Sim, é isso mesmo: uma literalmente substituiu a outra. Isso passa uma ideia errônea de que mulheres são “descartáveis” e de que personagens femininas servem apenas para construir um romance e quando uma para de cumprir essa função, a trocam por outra. Parece que o Jeff Davis pensou “Ah, então vamos lá jogar uma menina completamente aleatória para ele, só para não prejudicar aqui a masculinidade do personagem”. Porque, aparentemente, para muitos dos roteiristas de séries, é necessário sempre reafirmar a masculinidade de um personagem homem protagonista através de uma inferiorização e/ou submissão da personagem feminina com quem ele mantém um romance. O que realmente é fantasticamente absurdo e me deixa mais indignada é que colocam ela realmente da MESMA maneira que a Crystal Reed, e a Kira (personagem da Arden Cho) é também uma pessoa que podia ter bastante destaque na série, contudo, ela só aparece em função do Scott, a própria entrada dela na série, sem nenhuma tentativa de esconder isso, foi em prol do prazer sexual do Scott e contemplação da sua masculinidade.

Essa “pequena” questão em relação à abertura da série parece besteira para muitos, tenho certeza que vários se quer perceberam ou pararam para pensar sobre o que esse pequeno flash de cena realmente representa. Podem dizer que não deveria esperar muito porque “ah, é Teen Wolf, uma série teen, mainstream da MTV”, contudo, é uma série muito popular para adolescentes, podendo influenciar de uma maneira forte, além de que isso não significa que não devamos esperar o mínimo de respeito para com as mulheres do programa, afinal não adianta jogar um monte de personagem feminina aleatoriamente, não desenvolvê-las, colocar umas cenas de luta e ação para elas em alguns episódios e dizer que há empoderamento ou respeito porque na realidade não há, existe apenas uma maquiagem na tentativa de parecer uma série inclusiva (da mesma maneira que eles fazem com personagens negros e/ou gays, mas isso é assunto para outro post, calma!). Isso é preocupante, porque se até em aberturas estamos retratando mulheres dessa maneira, como se fossem meros objetos de cena para os protagonistas masculinos ou só para completar elenco, onde será que isso vai parar? É revoltante! Se aceitamos e realmente não conseguimos ver qual o problema nisso, se nos contentamos com uma leve disfarçada, uma mera maquiagem, isso simplesmente não vai parar de acontecer, não só nessa série, ou em todas as séries, mas na televisão como um todo e, partindo do ponto de que esses meios exercem enorme influência no comportamento da sociedade e/ou também servem como espelho da mesma, poderíamos dizer que temos um problema aqui, não acham?

Esse texto foi escrito por: Marcela Virães
FACEBOOK: /SeriesEmFocoWeb
TWITTER: @SeriesEmFocoWeb
INSTAGRAM: @SeriesEmFocoWeb
Comentário(s)
0 Comentário(s)