Chicago Fire - S04E11 - The Path of Destruction

Por Vittoria Crispim

21 de janeiro de 2016

SPOILERS ABAIXO
Um episódio interessante. Um episódio de recomeços.

Foi nos apresentado a história verdadeira por trás das atitudes erráticas da Chili, que particularmente, continua não chamando tanto a atenção, pelo menos até agora, claro, é um fato muito triste, e pelo que foi relatado pelo Antonio, justifica a falta de atenção dela durante as últimas semanas. Entretanto, não justifica ela encobrir o erro e agir como se estivesse tudo bem, pois não estava, ela quase matou alguém por falta de atenção e sequer parou para pensar nisso e muito menos admitiu o erro, e como a Dawson falou, isso é o mais preocupante. Creio que ainda desenvolverão essa história por mais alguns episódios, vamos ver no que vai dar. Incluindo agora o fato de Sylvie Brett ter relatado o caso para o Comandante Boden, garanto que tratando-se de Brett, ela se sentirá culpada assim que descobrir o verdadeiro motivo por trás das atitudes da parceira de trabalho, creio que terá uma disputa, por assim dizer, entre as duas, e é bem provável que a Dawson entre na história, "Dramas de batalhão", e sim, usei as palavras da nossa bombeira favorita.

E falando em dramas de batalhão, temos aqui o Cruz e sua eterna luta contra a culpa. O bombeiro precisa de ajuda, precisa aceitar que nem tudo é culpa dele e seguir em frente, até o próprio Herrmann decidiu seguir em frente e ele não consegue. Cruz é um bom rapaz, um bom bombeiro, mas as sombras do passado e o fantasma de viver sempre as mesma histórias sempre o coloca em risco, ele fica emotivo demais, explosivo demais e acabada descontando no trabalho, tentando tornar-se herói, colocando a vida dele e dos companheiros em risco, nós já vimos isso, já vimos ele navegar por esse mar. Espero, verdadeiramente, que os produtores não o façam passar por isso de novo, esta na hora de explorarem novos histórias para Joe Cruz e não mandá-lo para o presídio para tirar satisfação com um moleque que nem sequer tem ideia das consequências do próprio ato. Vamos dar um pouco de vida ao bombeiro, Derek Dumal Haas!
Um plot interessante para o quartel e, mais especificamente, para o tenente Kelly Severide: a história envolvendo a Segurança Nacional. As palavras Segurança Nacional por si só já é interessante, acho que esta storyline vai dar o que falar e se trabalhada corretamente, vai continuar muito interessante e gostosa de ver. Acho curioso o porque de sempre colocarem mulheres para essas histórias que envolvem o nosso lindo tenente, curioso, não?! Mas tudo bem, voltando ao que interessa, achei muito legal essa linha que pretendem seguir, me lembrou muito aquele primeiro crossover da segunda temporada com CPD que teve a bomba que explodiu no hospital, aquela história foi muito bem trabalhada, acho que essa também será ~e claro, certeza que irão envolver Sargento Voight e toda sua equipe de inteligência, tudo fica mais interessante com esse dois universos juntos.

Quanto ao Otis e Gabriela Dawson, bem, eles nos protagonizaram ótimas cenas. Tá certo que essa seria a parte cômica do episódio e foi, mas, de tanto que o pobre do Otis sofre com essa história de estar sempre na zona de amigos resolvi encarar a história deles mais a sério. Claro que foi impagável ver a Dawson conseguindo fazer com que o Otis tirasse aquela barbicha de bode e ver o Otis, pela primeira vez, sem bigode foi engraçado e surpreendente, espero que as coisas comecem a dar certo agora e ele finalmente encontre um par para chamar de seu e ser shippável com alguém. ~No desenrolar da história me surgiu uma dúvida: Há algo que Gabriela Dawson não consiga fazer? Se existir, por favor, me digam o quê, pois a curiosidade bateu.
Fiquei um tanto quanto decepcionada sobre as chamadas, logo quando saiu o pré release do episódio e eu soube da história do tornado fiquei animada esperando por chamados mais eletrizantes, entretanto, foi algo mais normal comparado a gravidade em que a cidade se encontrava, e não, isso não é uma critica, apenas um comentário. O episódio foi muito bom e não estava focado para os salvamentos e sim para a vida dos bombeiros, então é compreensível que os chamados tenham ficado um tanto fracos, ainda sim, ele nos rendeu uma boa cena que foi a conversa do Mouch com o Herrmann.

Já havia elogiado as sutilezas na escrita de Chicago Fire e neste episódio temos mais uma: Herrmann necessitou de ajuda, de um ombro amigo, durante o episódio todo e o Casey estava lá para ele e no final do episódio o Herrmann estava lá para o Mouch, quando este precisou de apoio quanto ao chamado e a notícia que ele não conseguiu dar para uma das vítimas do tornado. São essas coisas que torna a série tão especial, fico feliz em vê-las.

No mais, tudo foi muito bom. Um episódio de transição, de mudanças, aguardemos mais informações sobre a nossa cidade preferida no mundo todo, Chicago.


PS.1. Não reclamarei mais da falta que o Casey esta fazendo, não é possível que só eu esteja sentindo a falta deste tenente.~mas até que ele apareceu bem mais neste episódio~
PS.2.Linda a recepção que fizeram ao Herrmann na sua volta.
PS.3 Já virou hábito personagens da franquia parecer nas séries que não são propriamente a sua, ótimas as aparições do Choi e do Antonio.

Esse texto foi escrito por: Vittória Crispim
FACEBOOK: /SeriesEmFocoWeb
TWITTER: @SeriesEmFocoWeb
INSTAGRAM: @SeriesEmFocoWeb

Comentário(s)
0 Comentário(s)