Arrow - S04E10 – Blood Debts

Por Ana Clara Rodrigues

27 de janeiro de 2016

SPOILERS ABAIXO:
Eu sempre demoro um século para escrever as resenhas porque eu tenho que me preparar psicologicamente após os episódios de Arrow, principalmente ao longo dessa temporada. 

Posso afirmar que foi um episódio recheado de informações: drama, choro, vingança e adrenalina.

Achei o desenrolar muito bem desenvolvido principalmente pela “mesclagem de tempo”, passado VS futuro, que nos deixou roendo as unhas de ansiedade e preocupação! Logo nos primeiros segundos vemos Ollie em um cemitério, a mesma cena do primeiro episódio dessa temporada, com uma face fúnebre e triste declarando vingança à pessoa que matou aquele indivíduo que estava enterrado – Provavelmente foi Damian, porém nada é certo em Arrow, ainda mais no meio desse suspense todo. 

O foco principal do suspense desse episódio foi, sem dúvidas, Felicity – nas mentes dos personagens amigos de Feli e na do próprio interlocutor, nós! Ao longo da trama eu fiquei inquieta porque havia uma possibilidade de Feli morrer ou sofrer um grave dano. Oliver é dominado pela fúria, tristeza e vingança e foca isso em seu trabalho como vigilante, se isolando, então, do amor de sua vida, foi um momento agoniante para todos nós e principalmente para o nosso arqueiro, e seus companheiros, que caçava incansavelmente a localização de Damian.

Ao longo desse processo de busca, temos dois focos importantes: A relação entre Andy e Dig e O retorno da sede de sangue de Thea, achei interessante ambos os lados, Dig estava nebuloso diante de seu irmão, e só enxergava um alguém que ele idealizava um fantasma morto. Finalmente Lyla coloca um pouco de luz e amor na cabeça dura de John – eu amo esse casal, apenas isso. - e então, Dig começa a ter uma relação mais harmoniosa com Andy e extrai também algumas informações para os vigilantes.  Thea começa a ter dúvidas se sua sede por sangue estava sessada ou não, e por fim, consegue controlá-la, sim, eu sei que ela acabou deixando Machin, o psicopata, escapar, mas ao menos ela não o matou, e isso foi um ganho e um avanço para sua “doença”.
Por fim, terminamos o episódio com três cenas espetaculares surpreendentes.

Primeiramente, temos um momento lindo entre Ollie e sua amada Felicity – ele finalmente vai visitá-la e enfrentar seu medo de perdê-la. Recebemos uma notícia dolorosa sobre o estado de Feli, que foi fatal e preocupante para o futuro enredo e desempenho dos nossos heróis. Lembrei-me até de Batman, porque o oráculo teve o mesmo fim – e ela é extremamente importante para o cavaleiro das trevas. Bem, vamos deixar Batman de lado e voltar ao enredo...
Em segundo lugar, presenciamos uma cena em que Damian está “fugindo”, se abrigando em um lugar mais seguro, na verdade, com sua família e percebemos que sua esposa não é tão boazinha e frágil quanto parece. Isso foi bem maneiro para o enredo, pois mostra mais mistérios e parcerias da C.O.M.E.I.A , além de percebemos que Darhk não é o único vilão.
Concluímos esse lendário episódio com a continuação da primeira cena deste mesmo, no futuro, onde Ollie entra no carro e, para o nosso alívio, se encontra com Felicity – que está extremamente abalada e irritada com a pessoa que matou o indivíduo misterioso que está enterrado. Além disso, o que o próprio Barry estava fazendo ali na primeira cena com o nosso arqueiro¿ Obviamente a vítima foi alguém importante para esses heróis e isso provavelmente fará nossos corações explodirem – ao revelarem quem morreu.


Esse texto foi escrito por: Ana Clara Rodrigues
Comentário(s)
0 Comentário(s)