The Bastard Executioner - S01E09 - The Bernadette Maneuver/Cynllwyn Bernadette

Por Roberta Brum

18 de novembro de 2015

SPOILERS ABAIXO

Mega atrasada, mas vamos lá.

Escrevi semana passada que TBX teve um desenrolar lento, porém, em uma retrospectiva e analisando mais à fundo, a série é dinâmica, não delongando muito em subplots: por exemplo, Piers Gaveston foi apresentado no quarto episódio e no nono teve sua trama encerrada; a farsa Wilkin/Maddox  que teve início no piloto teve seu fim no sexto episódio, assim como o próprio plot da vingança.


Ao mesmo tempo que amarra pontas, também solta outras: agora com o sequestro de Luca, teremos uma nova trama, que liga definitivamente o plot da Annora/serafins/religião ao eixo principal.

Um dos pontos altos e esperados era a perseguição ao Gaveston: tal qual eu suspeitava, Corbett perseguia Gaveston não apenas pelo condado, mas por motivos próprios. E por estes motivos, teve sua vingança: "olho por olho, dente por dente", Corbett humilhou Gaveston do mesmo modo que tinha sido humilhado, mas seguiu em frente. Sinceramente pensei que ele iria matar o Gaveston sufocado.
No episódio inteiro, o ponto alto duas cenas se destacam entre todas: a primeira interação entre Crazy Jessamy e Lady Love, na qual há uma embate tenso. E o julgamento e execução de Gaveston, no qual nenhum dos nobres queria ter ligação direta com o tal.

A moeda da vingança, que eu acreditava ter sido extinta ou ao menos, ter saturada, volta a ser utilizada. Para conseguir que Wilkin torturasse a amante do nobre que escondia Gaveston,  Corbett "permite" que ele finalizasse sua vingança abortada, podendo matar Reeves.

Wilkin, naquela eterna ambiguidade entre bem e mal, aceita, mas ao mesmo tempo encontra um modo de "burlar" a tortura: sussurra para a mulher gritar quando ele encostar a pêra na perna dela de modo que ele não terá que torturá-la efetivamente. E dando um ar ainda mais dilacerador à cena, Wilkin narra o que vai fazer, já criando uma
expectativa e um clima macabro, completado pela moça, que encarna a Meryl Streep e interpreta como ninguém - ela grita e grita. E convence. Essa tortura foi pura perversidade - e genialidade - do Corbett: torturar a amante na frente do nobre. As chances de ele não ceder à chantagem e dar o que Corbett queria eram mínimas para qualquer pessoa que tivesse um pouco de empatia. Corbett percebeu a farsa de Wilkin, mas como conseguiu o que queria, não deu muita importância.

Já da Jessamy e da Love: delícia de cena. Enfrentamento interessante. Jessamy nunca me pareceu tão lúcida quanto naqueles momentos. Há algo que não se pode negar: ela ama seus filhos. Ela querendo um contrato escrito mostra também que ela não está tão dissociada da realidade quanto parecia. Mesmo assim, ainda acredito que haverá uma reviravolta nisso, já que acredito que ela esteja grávida do Wilkin, do contrário aquela cena entre os dois foi completamente desnecessária. Lady Love foi implacável e jogando sujo, usando e abusando do seu poder para manter seu status quo.  Se alguém ainda precisava de provas de que em TBX não existem bons ou mals, ou inocentes, este episódio proveu aos montes. Realmente, ali cada um faz o que precisa.
Da execução do Gaveston, é aquela coisa: todo mundo quer, mas ninguém tem coragem. Logo, foi lá o Wilkin e assumiu a responsabilidade toda.

O Luca não me interessa muito, não tem jeito.

Continuando, suspeitava da Annora ser mãe do Wilkin, e agora temos a confirmação: é ela a tal freira que não resistiu às paixões. Isto explica relativamente a força da ligação que ela tem com Wilkin. Vislumbrei também a possibilidade do Dark Mute ser o pai de Wilkin, porém, está claro que entre Annora e ele não há nenhum componente sexual, o que me deixa intrigada em relação à devoção extrema que ele tem por ela.

E o Ash que parece ser um protótipo de Jack Estripador? Juro que por essa não esperava.

Comentário(s)
0 Comentário(s)