The Bastard Executioner - S01E08 - Broken Things/Pethau Toredig

Por Roberta Brum

11 de novembro de 2015

SPOILERS ABAIXO

Cada vez mais eu gosto de TBX: se densifica e se solidifica a cada episódio. Pode-se dizer sim que o tema central da narrativa se esgota, afinal a "vingança" de Wilkin já teve fim, porém as situações em andamento , partem e são permeadas por vingança, mentiras e traições.



Neste episódio apresenta-se um plot novo, que sela o destino de Piers Gaveston e apresenta os Ordainers: os lordes barões ingleses empoderados pelo Parlamento Britânico para limitar os mandos e desmandos dos rei Eduardo II e àquele momento estão investigando o paradeiro de Gaveston para exilá-lo.


A temporada teve um desenrolar lento, mas a partir do sexto episódio desabrochou e percebo que agora estamos amarrando pontas e começamos a chegar em um clímax. 
TBX normalmente não é inibido sobre sua tão proclamada violência. Nesta perspectiva surpreendi com a tortura da gêmea, sendo off screen, mas que apenas pelo que realmente mostra já perturba: o Berço de Judas ensanguentado, o corpo sendo jogado, a irmã traumatizada e o silêncio catatônico foram tão, senão mais poderosos e fortes caso a cena tenha sido explícita. 

Outro ponto interessante foi a relação com passagens históricas reais. Como já disse em review anterior, a trajetória de Gaveston e do Rei Eduardo, e agora o exílio de Gaveston, são eventos que se deram em em 1312 (ano em que a primeira temporada se passa). O tumulto político com os Ordainers (representadas aqui pelo Conde de Warwick visita), que restringiu o poder do rei, também é baseado em fatos históricos. Dando um possível spoiler, Gaveston foi assassinado.

Pelo fato de Milus estar sempre um passo à frente de todos, a relação das gêmeas com Gaveston ser um segredo, me intrigava um pouco. Sendo ele o Varys de TBX, via como 
incongruente fato de tal relevância passar despercebido. Apesar de que ao mesmo tempo, é realmente plausível, afinal, apesar de suspeitar tanto da gravidez de Lady do relacionamento entre ela e Wilkin, ele não tem confirmação de nada e da impossibilidade de ele estar ciente da totalidade de todos os fatos. Mas neste sentido, como fica claro neste episódio ele já desconfiava e unindo o útil ao agradável, para obter informações das gêmeas sobre o paradeiro de Gaveston, as tortura.

Penso que a rigidez e severidade na tortura, antes de servir ao condado na sua busca por autonomia (ali tudo está conectado a tudo: a autonomia é para, além de sair da lupa incisa da monarquia que pode descobrir a falsa gravidez, serve para Love lidar como bem entende com eu meio-irmão, o líder rebelde), se deu como um modo de se vingar da humilhação que ele sofreu de Gaveston no quarto episódio, algo como olho por olho. Mesmo depois da brutal surra no servo, o fato ainda não tinha sido expurgado. E não tenho certeza se foi. Indago se após a captura de Gaveston ele não realizará uma peripécia à la Corbett (que o Wilkin cumprirá, óbvio) e sequestrará/torturará/matará o Gaveston.

Milus é terrível, doente, insano, perturbado, sádico, enfim, tudo isso, mas realmente acredito no respeito e até admiração que ele tem por Lady Love. Sim, ele a vê como um peão necessário no seu jogo, mas não chega a manipulá-la. Manipula sim os eventos, dentro do formidável arco maquiavélico escrito por Sutter, no sentido de apresentá-los como inevitáveis sob uma ótica catastrófica (principalmente para o condado). Tal como as consequências do possível escândalo causado pela publicização do relacionamento entre Wilkin e Love, da necessidade de uma aliança com o Barão Price, entre outros. A ameaça sempre fica implícita no discurso. Simplesmente amei a fala dele: "nos meses seguintes à morte de Eric você se tornou mais forte, mais inteligente. Com certeza mais ousada. Você se tornou formidável, Love. Uma voz que desafia eu e todo nobre pomposo que atravessa nossas portas".

Já disse e repito: Lady é a melhor personagem da série. A cena em que o Conde de Warwick reúne-se com ela e Milus foi realmente fantástica para a personagem . O respeito que os três homens presentes era claro, palpável. Para mim Love é a heroína da série.

É mais óbvio a cada episódio que Reeve está descontente com Corbett, discordando de várias atitudes, e se submetendo à contragosto. Será interessante ver como este conflito se desenvolve. Se eles se oporão, discordarão publicamente, se tornarão adversários, enfim. Afinal, há um grande mal-entendido aí: Reeve toma a cruz de Petra e poupou a vida dela, ao contrário do que Wilkin acredita. Reeve aparece como um personagem discreto que vêm crescendo e agora pode ainda mais se potencializar: caso se torne um obstáculo poderoso para Corbett, este simplesmente se livrará dele? Wilkin alguma vez confrontará Reeve a respeito do massacre na aldeia? (lembremos que ele está proibido de qualquer vingança por Corbett; proibido e devidamente ameaçado). 

Já deve ter sido notado que raramente densifico muito o plot Annota/religião/serafim/Robinus. Normalmente teorias da conspiração me atraem e muito, principalmente religiosa. Estou intrigada pelo livro do Nazareno (o que mais me atrai e inquieta), os serafins, esta devoção extrema do Dark Mute com a Annora, mas preciso de mais material. Até procurei informações sobre (leia-se teorias e hipóteses) mas não encontrei. De modo que este plot está tendo pouco tempo de tela, sinceramente, vejo este plot menos atraente do que os enredos políticos.

Wilkin e Love estão estabelecidos romanticamente, basicamente todo mundo sabe que têm algo rolando entre eles, já foram flagrados, porém, eles não atentaram para o quanto isto pode repercutir. Neste sentido, como farão Jessamy se calar? Não penso que ela ficará calada, afinal, Love está roubando o marido dela e é visto que ela é ciumenta e obcecada. E trancá-la perpetuamente naquele quarto não é uma alternativa. Falando em Jessamy, a moça sofreu pacas e começa a desconstruir a visão que tinha sobre ela.


Mais um detalhe, sobre a visão: e se não for o filho biológico de Lady Love com Wilkin, mas sim de Crazy Jessamy com Wilkin, no sentido que Jessamy morre no parto e Love adota o filho? Mas ainda resta a problemática da gravidez da Love, afinal uma gravidez é visível.

Adendos finais: 

- Confesso que não me importo muito com o Luca; se fosse o Mouro, por exemplo, meu interesse na série cairia uns 30%;

- A razão pela qual a Annora ordenou a morte da mulher do Wilkin, Petra parece ter sido esquecida. Falta um fechamento aí;

- Naturalizei o sotaque da Annora e não me incomoda mais;

- Dark Mute > Wilkin. Templário badass do cara%#@#;

- Quero mais Crazy Jessamy.

Comentário(s)
0 Comentário(s)