Jessica Jones - S10E02 - AKA Crush Syndrome

Por Alvaro Luiz Matos

22 de novembro de 2015

SPOILERS ABAIXO
Angustia, essa é a palavra de ordem.

Jessica Jones tem estado muito bem ambientada e produzida, já vimos esse tipo de cenário em Daredavil, já entendemos todas essas teorias de sombrio e realista, o quanto essas palavrinhas juntas podem fisgar o espectador, mas pra mim tem sido um pouco mais que isso, tem sido frio, vem me incomodando, vem me angustiando.

Toda essa angustia me impulsiona e me motiva a ver a série, ela me faz importar com o que está acontecendo e fez isso de uma forma rápida e incrível. Estamos apenas no segundo episódio, ainda em um processo de introdução da série, estabelecendo os personagens, a importância de cada um, os fatos secundários e toda essa estrutura importante para que a série defina esse ambiente “sombrio e realista” que citei acima. Tudo isso ainda está sendo estabelecido de forma gradual, no entanto já conseguimos sentir o medo da Jessica Jones em relação ao Killgrave, já conseguimos sentir o tamanho da influência dele na personagem (eu acho incrível que a série tenha conseguido isso em tão pouco tempo).

Partindo do drama psicológico da série para um pouco de ação, gostaria de comentar um pouco especificamente sobre a cena de luta no bar do Luke. Não foi bonito, concordam? Não vimos as mesmas piruetas que vimos em Daredavil, não vimos nenhuma luta espetacular, o que assistirmos foi o povo sendo jogado de um lado para o outro e pronto. Você pode imaginar que isso seja uma crítica negativa, mas o que quero lhes chamar a atenção é exatamente para o fato de que a produção da série teve um cuidado incrível de mostrar que nenhum dos dois é ou pensa em ser super-heróis. Eles possuem seus segredos, suas forças fora do comum, mas não são exímios lutadores e acho incrível que seja assim.
Assim como é de total coerência que o Luke queira se distanciar de problemas e prefira permanecer às escondidas o quanto for necessário para que seu segredo não seja descoberto.

Mudando completamente de assunto, todos nós já esperávamos uma bela atuação da Krysten Ritter assim como esperamos ansiosamente por David Tennant e todo o seu talento, mas não é que estou gostando muito da atuação de outra atriz. Hope está sendo muito bem interpretada por Erin Moriarty; as expressões faciais e a atuação da atriz de 21 anos foram um destaque pra mim, tanto neste segundo episódio quanto no primeiro; com destaque para a cena no elevador e aquele “Sorria Jessica”.

Por enquanto é isso, prontos para o próximo episódio?

Comentário(s)
0 Comentário(s)