Jessica Jones - S01E05 - AKA The Sandwich Saved Me

Por Alvaro Luiz Matos

25 de novembro de 2015

SPOILERS ABAIXO
De todos os episódios até aqui o que me empolgou menos.

Dando continuidade ao desenvolvimento iniciado no episódio passado, a série procurou dar mais profundidade ao roteiro de forma bem variada. Portanto quando digo que não foi um episódio empolgante, foi porque ele não tinha a intensão de ser, o objetivo era outro.

Pois bem, tivemos um episódio repleto de flashbacks, continuidade de histórias secundárias e até fechamento e abertura de novos plots.

Vamos começar pelas cenas que procuram contar mais da história e da amizade entre Jessica Jones e Trish justificando o provável crescimento da segunda na história. Trish já vem durante alguns episódios se achando inútil e um estorvo para a heroína, acredito que isso não deva durar muito tempo, é visível que o roteiro está preparando um crescimento importante para a personagem, que agora mais próxima as “missões” pode vim a ser importantíssima para a série.

Ainda entre os Flashbacks tivemos um pouco mais do passado entre Jessica e Killgrave e também um pouco de fundamento histórico que visava justificar a inclusão do Malcolm na história e fechar o primeiro arco com ele. Aproveito para chamar a atenção para o arco que vem se abrindo em torno dele, o de sua recuperação, não sei qual será o fim do personagem nessa temporada, mas se não nessa, em um segundo ano da série tenho certeza que ele ganhará espaço no “Team Jessica”.

Will também passou a ganhar mais espaço na trama, no entanto, ao contrario do episódio passado, eu achei ele um pouco exagerado. Talvez tenha sido o perfil do personagem ou do ator, não sei, mas esse estilo “herói de guerra” com voz rouca e cheio de si me incomodou um pouco. Mesmo assim ele e Trish ainda são um belo casal.
E por fim o novo plot de Hope na cadeia. Visivelmente a menina está começando a sofrer por ser apenas uma garota entre um monte de criminosas e eu estou até um pouco interessado em saber o que está acontecendo (primeiro porque me importo com o abalo psicológico da personagem, segundo porque acho que a atriz deveria ganhar espaço na trama tendo em vista o bom trabalho da atriz).

Todos esses plots são pra mim secundários e dominaram 99% do episódio, mas não é que dizem que “1% é vagabundo” (piadinha musical tosca)? Em Jessica Jones o 1% é sempre a cereja do bolo, onde David Tennent teve o seus minutos de glória com a explanação mais aterrorizante de Killgrave até aqui.

Não existe conta matemática que não dê resultado positivo se você adicionar personagem bom com ator espetacular. Tivemos poucos minutinhos de David Tennent e eu só estou ansioso para ver o show de interpretação que virá a seguir.

Obs.1: “Tirassão” de sarro com o uniforme que a personagem usa nos quadrinhos valeu apena. Muito bom esse senso de humor.

Obs.2: Esse é o meu espaço para dizer o que eu penso não é? Então não custa perder algumas linhas falando daquele narizinho incrível da Krysten Ritter. (Sim sou apaixonado por ela)

Esse texto foi escrito por: AlvaroLuizMatos
Comentário(s)
0 Comentário(s)