Jessica Jones - S01E01 - AKA Ladies Night

Por Alvaro Luiz Matos

20 de novembro de 2015

SPOILERS ABAIXO
E se alguém tirasse essa nossa liberdade de escrever, de falar, de cantar? E ao invés disso essa pessoa ainda nos dessem ordens comprometedoras, constrangedoras e ilícitas? Você como um cordeiro abatido sem o seu livre arbítrio seguindo ordens para fazer coisas que realmente não queria. É ou não é angustiante?

Foi com essa angustia enorme que assisti boa parte do episódio, como um artificio perfeito para nos prender na série e querer vingança. Foi assim que a tão esperada produção “Jessica Jones” estreou no maior streaming da atualidade.

Essa é das poucas séries da Netflix que me prendeu no primeiro episódio e me deixou ansioso de verdade. Todas as outras precisam se desenvolver de forma mais lenta e mais demorada, fazendo com que o contexto da obra se sobressaia no final. Ou seja, todas as séries da Netflix têm temporadas boas e nem sempre bons pilotos, mas como liberam todos de uma só vez, assistimos mais um, mais outro e logo estamos presos. Jessica Jones nos prende logo de cara e tem tudo para ser a melhor série da Netflix.

Desde o início entendemos a imperfeição da personagem principal, sua vida entregue as bebidas, seu temperamento, sua profissão. Eu não esperava nada diferente dessa atriz belíssima e talentosa, particularmente fui daqueles que torceu para que Krysten Ritter fosse à escolhida para o papel desde o início, por achar um enorme trampolim para uma atriz tão talentosa que merece tanto esse reconhecimento. E não, eu não estava errado, ela manda muito bem no papel.
Olha que eu não tinha sacado que logo no seu primeiro caso de investigação já teríamos toda a introdução do roteiro principal. Fui acompanhando a investigação entendendo que esse seria mais uma introdução à personagem, ao seu trabalho e que se trataria de um caso avulso, resolvido rapidamente. Fiquei muito feliz que a produção tenha decidido apresentar logo o vilão (mesmo que ele não tenha aparecido) e mostrar todo o seu “poder”, pois com isso tivemos uma estreia muito bem amarada.

E para os malas de plantão que irão dizer “Não vejo séries de Super-herói” eu respondo claramente “é ai que vocês se enganam”. Jessica Jones não tem pretensão nenhuma de ser uma heroína, ela claramente não queria estar lá, talvez tivesse mesmo fugido e só quer se livrar da pessoa que destruiu sua vida. Você não vai ver ninguém mascarado aqui ou com roupas coladas, não vai ver ninguém soltando raios pelos olhos (baita tirada boa essa hein), você vai ver uma sobrevivente tentando mais uma vez sobreviver e enfrentar seu maior inimigo.

O balanço é melhor do que o esperado, eu só quero é terminar de escrever esse texto logo para poder assistir o próximo. Bora lá? Abraços

Comentário(s)
0 Comentário(s)