The Bastard Executioner - S01E04 - Hunger/Newyn

Por Roberta Brum

1 de outubro de 2015

SPOILERS ABAIXO

Resumindo: Milus Underwood.

Um episódio consistente, que significou e amarrou várias pontas soltas. Focando em três frentes principais (que na verdade são duas tramas gerais e paralelas), o episódio se desenrolou de forma satisfatória: Lady Love se dirigindo ao encontro do rei, Corbett recebendo o até então adversário de Ventrishire, Lorde Pryce e Annora se sentindo ameaçada.

Milus se mostra cada vez mais maquiavélico, ardiloso e astucioso. Ele é extremamente adaptável e formulou um plano empreendedor. Primeiramente, claro, fazendo uso de artimanhas: atraindo o Barão Pryce para Ventrishire em um momento que a baronesa não estava. E o modo como ele se faz de salame lembra muito meu adorado Frank Underwood. "Não sabia de nada e só queria o melhor para você". Claro.

Não há como negar a engenhosidade do plano, o cara é foda: o plano é totalmente egocêntrico, porém, do modo como ele alinhavou a situação, aparentemente visa o empoderamento do condado: não só territorialmente, mas principalmente economicamente, militarmente e politicamente. O porto fará da região o grande entreposto comercial, o verdadeiro centro da área. Assim, tem-se mais poder para o condado e consequentemente mais poder Corbett, que será o guardião deste novo condado. Logo, ao menos momentaneamente, Corbett ganha um aliado poderosíssimo.

Neste plano sedutor, porém, existiriam dois possíveis obstáculos: como pressupõe o casamento entre Pryce e Lady Love, os dois obstáculos são o que inviabilizaria o casamento: um herdeiro de Ventris ou a recuperação da amada esposa de Pryce. O primeiro é visto como inexistente, já o segundo... Dá-se um jeito. Lady Love dificilmente poderia se opor ao casamento, pois além de ser prática comum as viúvas casarem novamente com outros nobres para assegurarem as terras e riquezas, é provável que o rei a obrigue. E o guardião de Pryce nem é visto como obstáculo, de tão insignificante que é, ou melhor de tão no controle que Corbett está. Ele tem um executor chantageado para fazer o trabalho, então, não suja as mãos em nenhum momento.

Lady Love continua ganhando pontos comigo a cada episódio. Mais uma vez se mostrou sagaz, apesar de toda a enrolação com o rei em cenas que poderiam ter sido cortadas. Simplesmente não acrescentaram em nada, não houve drama nem conflito, apenas chatice. Se o objetivo era mostrar o quanto o rei era inútil, mission accomplished! Se focassem apenas na parte da decisão sobre o condado e da grande revelação já bastaria, pois foi isto que gerou a tensão. Teve um momento de alívio cômico com a piada sobre a pá, se é que dá para considerar isso uma piada, mas enfim. O xeque-mate que ela deu no Conde da Cornualha (que de acordo com a historiografia pode ter sido irmão ou amante de Eduardo II) com o "estou esperando um herdeiro" foi ótimo. Um dos pontos altos do episódio foi esta virada de mesa, bem no "parece que o jogo virou", afinal o Conde já contava com as terras dela e ela mesma como suas novas posses. Esta frase, porém, é de extrema importância desencadeia mais conflitos e define novos rumos. É um jogo perigoso este que ela entrou: ao mesmo tempo em que reassume momentaneamente o controle e poder do seu condado, cria um baita problema, afinal, agora ela precisa de um herdeiro. E meio urgente.


Então... Agora ela deve engravidar. Já sacaram né? Lembram daquela visão/flashfoward no piloto quando Lady Love e Brattle conversam na capela? Pois bem, vocês já entenderam o que vai acontecer. Fora que o diálogo entre ele e a Flora neste episódio já indica o envolvimento do executor e da baronesa. Tempos desesperados exigem medidas desesperadas. Considerando tudo, goste ou não, ela ainda está no controle. Mas já dizia Cersei Lannister: "quando se joga o jogo dos tronos, você vence ou você morre".

Dentro do seu conto de vingança, Brattle cada vez mais se prende à esta teia: estreitando relações com sua família falsa e sua delirante esposa (cheguei à conclusão que a esposa sofre de alguma patologia mental, pois o Luca é consciente que Brattle não é seu pai verdadeiro e estava apenas obedecendo à sua mãe). O desenrolar da vingança é previsível: nos jogos para divertir Pryce, Brattle obviamente enfrenta seu nêmesis atual: Leon Tell, quem ele julga responsável pela morte da esposa. Também obviamente nada de muito importante acontece, a disputa acaba sem levar a lugar nenhum, pois Tell ainda não pode morrer. De interessante da parte de Brattle, foi o papel que desempenhou no plano ardiloso de Corbett, mostrando que sim, é capacho de Corbett: por mais que desafie, por mais que lata, acaba baixando a cabeça e obedecendo.

A trama das tatuagens da Annora começa a fazer sentido dentro da narrativa, perdendo a aura de mistério e revelando seu significado concreto (o que de nenhum modo é ruim). O arco da Annora, agora claramente gravitando na dicotomia entre o sagrado e o profano, irá se opor à Igreja Católica, logo, à monarquia, atraindo a atenção de ambos para Ventrishire. Suponho que ela faz parte de um clã ou sociedade de feiticeiros, algo como os Filhos de Mitra de Da Vinci's Demons. Historicamente, tem relevância e semelhança, afinal o mitraísmo, assim como este "culto" da Annora, era considerado pagão e portanto, herético, o que entra em consonância com o período Inquisitorial, de caça aos considerados hereges. E por falar nisso, as torturas eram tais como mostradas na série. Até piores. Falando em pior, o que foi a sequência do arcebispo admirando/estudando as peles humanas gravadas com as tatuagens? Macabro. Obs.: eu ainda assistirei uma série que mostre a Igreja por uma ótica positiva rs



É possível afirmar que Brattle é a parte brutal e violenta; Annora a parte gore.

Finalizando, dentre os episódios até aqui, é o com maior semelhança histórica, principalmente por dar mais concretude à crença da Annora, que até então vagava por um campo místico e sobrenatural e um tanto surreal. Espero que TBX tenha entrado nos eixos, não sendo uma série de altos e baixos. O trailer do próximo episódio dá indícios que continuará com este nível: Brattle e Lady Love providenciando um herdeiro (às vezes acho que são eles na cama, outras vezes não, mas enfim, é um desdobramento possível), Marshall questionando a proximidade de Brattle com os nobres de Ventrishire, o Conde da Cornualha ameaçando Lady Love, Corbett envolvido em uma batalha... Ou seja, vem coisa boa.


Assista a promo do próximo episódio:
Comentário(s)
0 Comentário(s)