Análise da temporada: Orphan Black - 3ª Temporada

Por Fabiano Oliveira

5 de julho de 2015

SPOILERS ABAIXO:
Se Orphan Black ainda não tinha ganho o posto de série queridinha, prepare-se, pois certamente ganhará após esta 3ª temporada.

É de conhecimento geral que se existe um tipo de personagem que automaticamente atrai a afeição do público, são aqueles menosprezados, deixados de lado, tortos à sua maneira, ou os famosos “underdogs”. E os produtores foram espertos o suficiente para perceber e fazer desta a “Sistrá Season”, ou mehor, “Helena Season”.
Previously:
Em certo momento, ainda na season anterior, descobrimos a existência de clones masculinos, os Castor boys, que foram criados para serem “soldados fantasmas”, armas de guerra. Porém, a mesma falha genética que causa a morte das clones femininas, está acabando com mais velocidade os clones masculinos.

Fica de conhecimento dos Castors que a salvação pra a cura pode ser a própria Sarah, sendo de todos os clones a bem mais “sucedida” geneticamente, ou até mesmo sua filha, Kira. No meio de todo o caos, Kira é sequestrada e Mrs. S resolve interferir fazendo uma troca, entregando Helena salvando a neta de futuros e incansáveis testes científicos.

Girls Just Wanna Have Fun
Helena começa a temporada presa no meio do deserto, nas instalações do Castor. Sarah não deixa barato e sai atrás pra dar um jeito e "salvar" a irmã. Daí somos bombardeados até a metade da temporada por momentos incríveis: Helena de trova com um escorpião-maroto-fruto-da-consciência-louca-dela, dando uma de "Magaiver", criando uma maneira de fugir, tirando onda com a cara do Paul, aliás, tirando onda com a cara da geral, e claro, fugindo e deixando a Sarah pra trás.

Tudo bem, foram o quê, duas horas, quando ela volta quem acaba salvando quem? Ganha quem respondeu que Helena salva Sarah, por que Badass-Helena não precisa nunca ser salva e nunca precisou. Ela estava lá o tempo todo curtindo um lugar pra ficar e uma comida grátis. #fato

Enquanto isso The Mafia Hendrix tá lá, curtindo a vida adoidado. Alisson se ligou que as vizinhas cheias da grana curtem uns alucinóginos. Daí se aproveita disso pra chantagear as doidas a votar nela para o conselho escolar. Ponto para Alisson, já que as coisas não estavam como conforme no conselho, e ela queria o lugar mesmo. 

Para conseguir as drogas, acaba descobrindo que o traficante é um ex-corpinho-flerte dos tempos do colégio. Aí o coitado, sim COI-TA-DO, do Donnie tem que se provar que é um baita marido e um baita parceiro de crime (mesmo sabendo que a Alison é o macho alfa da relação). E a provação de Donnie nessa temporada acabou revelando cenas incríveis como essa: 
.
A partir da segunda metade dessa temporada os produtores resolveram juntar os dois polos mais legais. Ao ser "salva" colocam Helena para morar com Alison (claro, sem antes Helena peitar Mrs. S naquele modo #tepegonaesquinadepoisdaaula), a fazendo se sentir prestativa ao se juntar nos trambiques dos Hendrix.

Big Girls Don't Cry
O arco de Cosima nessa temporada dá pra ser resumida por com quem vou ficar. A clone "mais de boa", "paz e amor" de Orphan Black, tem que lidar com a dor do fim de um relacionamento com a francesa lá (Delphine). E chora pelos cantos, chora, chora e chora.

Claro que Felix é gente como a gente, fez o que qualquer um faria ao ver alguma amiga na fossa, vai lá cria um perfil no par perfeito pra Cosima e arranja um date pra menina. Daí que a date é a Kenzi...ops...seriado errado.
Além de rolar muitos choros e beijocas, Cosima luta pelo propósito de achar uma cura para a "doença dos clones", e acaba descobrindo que a única que pode ajudar é a ciclope da Rachel, conhecida anteriormente como Evil Sitrá, já agora como Vulnerable Sistrá. E não é pra menos: jogada num quarto, sem um olho, mal conseguindo falar, sem uma alma viva pra dar aquele backup amigável.
Castor Boys
Agora chegamos naquela parte meio delicada. Quando foi confirmado que teríamos clones na versão masculina, torci pra ver o Felix multiplicado, mas seria muito óbvio né?! Então o Donnie, imagina que TRI. Mas não, os clones seriam daquele carinha sem sal, o dos cabelinhos engraçados lá do culto aquele ( Mark dos Proletheans). Já ouviu falar sobre pressão? Lembro de ver uma coletiva, onde estava na cara que ele estava sentindo uma pressão gigantesca. No final até me peguei torcendo pelo cara, mas... Rachei a cara. Não consegui gravar nome dos personagens. Todos pareciam (quase) a mesma pessoa. Nesse ponto as perucas e cicatrizes ajudaram a diferenciar um personagem do outro. De todos os clones masculinos, o único que marcou (fora o Mark) foi o louco da cicatriz (Rudy): uma versão masculina da Helena, que meteu o terror nas Sistrás. 
Family Bussines

A parte complicada de forma rápida:
Os clones são compostos por 2 tipos, os masculinos - criados pelo projeto Castor, para serem "soldados fantasmas" e os femininos - criados pelo projeto LEDA -. Descobrimos que ambos foram clonados da mesma pessoa: a avó da Sarah, mãe da Mrs. S. Daí a gente fica assim, como pode uma coisa dessas people??? Eu explico: Separaram os cromossomos y (masculinos) dos x (femininos) para criar clones. De uma forma simples e rápida solucionamos um dos mistérios entregue apenas no final da temporada, e quão brilhante não é isso?
Agora imagina a confusão. A original é mãe da Mrs. S que adotou Sarah, que é o clone da Mãe da S. Portanto Sarah é:

a) Vó da S.
b) Mãe da S.
c) Tia da S.
d) N.D.A.

Circles
Além de dar um ponto final em mistérios deixados na temporada anterior, também resolve grande parte dos mistérios criados nessa season. E fecha o círculo ao mostrar que o sonho aquele que Helena teve no início, se transformou em realidade na sequencia final.

Uma coisa que realmente fica pendente é a cura. Mais do que nunca, está na cara que a solução dela poderá vir a ser o desfecho da série...ou não. No final, quem precisa de cura, certo?

Menções Honrosas
- Pé na Jaca: Sarah tentou mas não deu umazinha dentro. Foi salvar Helena, acabou sendo salva, deixou Kira na reta e teve que fazer a menina sumir para protegê-la, foi peitar o Mark e quase fez o moleque morrer...até o coitado do Felix tava receoso perto dela.
- Helena fazendo o escorpião se calar: Yummmiii...delícia!
- Bye bye Paul. Viu o que dá dar uma de traíra?
- Delphine...O.M.G.!
- Orphan Black, não é Orphan Black sem Helena toda suja de sangue após uma carnificina.
- Art, pobre do Art. Com o arco da Sarah diminuído, ele aparece em o quê, quatro episódios?!
- Cosima se passando por Alison no discurso. Rá!
- Donald Francis Chubbs. Really? Ahahahahaha
- Dyad abriu vagas para presidente. Conselho amigo: não vale nem a insalubridade. Todo mundo encarregado ou morre ou acaba severamente machucado. #fikadik

Comentário(s)
0 Comentário(s)