Análise da temporada: Red Band Society - 1° Temporada

Por Bruno Ganem

28 de maio de 2015


CONHECER-SE É O PRINCÍPIO DA SABEDORIA

A despedida sempre é difícil, dar adeus na maioria das vezes é algo bastante desconfortável, complicado e doloroso. Isso acontece quando damos adeus a pessoas do nosso cotidiano, que temos aquela convivência diária, no momento do adeus, do tchau ou até breve passamos a sentir logo de imediato a saudade da conversa, das brincadeiras e até das brigas, por que não?! E quando nos despedimos de uma série? Qual a sensação que devemos ter? E se for a mesma sensação de quando nos despedimos daquela pessoa que tanto amamos? Saiba você que é totalmente normal e compreensível, pois sem percebermos aqueles personagens se tornam amigos, passam a fazer parte da nossa vida, passam a nos influenciar e até provocam a nossa torcida. E se a série tiver apenas uma temporada de treze episódios? É normal ter essa sensação? Sim, pois muitos filmes (bons) de uma hora e trinta minutos conseguem provocar esse tipo de sentimento.
Red Band society conseguiu provocar isso em mim, foi uma série curta, porém marcou, acabou deixando um gostinho de quero mais, deixou principalmente por ser uma série de enorme potencial, tanta coisa poderia ter sido explorada, tantas histórias poderiam ter sido contadas com mais detalhes, seria incrível ver nossos pequenos “heróis” ingressando na universidade, vencendo as suas doenças (ou não), conhecendo novas pessoas, desbravando o mundo... Seria incrível ver a Emma, Leo, Jordi, Dash, Kara e principalmente o Charlie formando uma amizade sólida, enfrentando seus medos e lutando incessantemente por seus objetivos.

Você que nunca assistiu um episódio da série deve estar pensando: “se era tão boa assim então por que foi cancelada?” A resposta é até simples. Awake, Aliens in America, Freaks and Geeks, Firefly, entre outras séries que apesar de terem sido ótimas, não conseguiram por algum motivo “fisgar” o telespectador e garantir ao menos uma segunda temporada. O público norte-americano não comprou a idéia da série, não teve paciência, a série também cometeu muitos deslizes, mas a qualidade sobressaiu, talvez o excesso de luxo atrapalhou, ou o excesso de bipolaridade dos personagens possa ter influenciado, enfim, são apenas hipóteses.
RBS (para os íntimos) marcou, deixou um legado, entra para o hall das pequenas grandes séries. Você deve ter se perguntado o porquê da frase “conhecer-se é o princípio da sabedoria” estar como título, a série leva a isso, ao autoconhecimento, a reflexão, algo tão essencial nos dias de hoje.

OBS ¹ – A série Red Band Society é uma versão de Polseres Vermelles, exibida entre 2011 e 2013 na Espanha.

OBS² - Steven Spielberg mais uma vez não consegue emplacar uma (boa) série, que fase.

Por: Bruno Ganem

Assista ao trailer da série
Comentário(s)
0 Comentário(s)