Análise da Temporada: The Flash - 1ª Temporada

Por Alvaro Luiz Matos

22 de maio de 2015


Sinceramente conhecia tão pouco da história do Flash que me surpreendi com o tamanho e a imensidão de possibilidades que essa história trás, uma história tão promissora que está a quilômetros de distância da sua companheira Arrow.

O Arqueiro Verde se perde na limitação do mundo e Flash se expande nas ilimitadas possibilidades que podem vir a ser abordadas no multiverso. Mas não se engane ao achar que tivemos uma primeira temporada fora de série, ou sensacional, na realidade tivemos quase que um procedural que desperdiçou muitos bons momentos.

Sinceramente, se eu escrever esse texto inteiramente envolvido pelo season finale da primeira temporada a série vai parecer melhor do que é, foi um episódio incrível, as cartas foram postas na mesa, importantes personagens foram confirmados (como o Vibro, por exemplo) sem contar com todas as emoções de um episódio rápido e eficaz. Mas a verdade é que a série flutuou muito, deixo oportunidades se esvaírem pelos vãos dos dedos e para piorar ainda apresentou casos semanais como se a série fosse apenas sobre metahumanos isolados e sem importância, sem falar de cada crossover ruim que tivemos, banalizando a importância desse ato.

Faltou envolver um pouco mais dos arcos, criar sub arcos maiores, valorizar melhor os metahumanos, desenvolver melhor os personagens. Afinal ficou muito chato assistir a série para ver nos acontecimentos finais de cada episódio algo valioso para o roteiro.

A temporada correu rápida, deu audiência e abriu caminho para um novo spin-off, o grande problema foi o que eu chamo de “síndrome de audiência”, já que os números só aumentavam e a série não precisava fazer esforço para isso, porque deveriam melhorar o roteiro? Pense bem e você irá concordar comigo: Os casos semanais foram pontuais, as descobertas importantes vieram somente no final da temporada, o drama entre Iris e Barry não colava e a personagem por muito tempo passou a ser um incomodo, as grandes promessas ficaram apenas para o segundo ano e apesar de gerar muita ansiedade, me pareceu que o primeiro ano foi pra encher linguiça.

Vou aproveitar para falar sobre o novo hit da CW “Legends of Tomorrow” que me parecia ser flop, mas depois do teaser e das introduções feitas eu comecei a acreditar e comprar a ideia. Meu pedido é apenas para que seja resolvida a banalidade feita para com os crossovers e que a séries (que agora são três) se levem mais a sério. Tomara que o evento anual resolva isso.

Sem falar que ainda fiquei com a sensação que logo vai aparecer uma série do lanterna verde, pelo tanto de menções que ocorreram a sua cidade.

Comentário(s)
0 Comentário(s)