Arrow - S03E13/14 - Canaries/ The Return

Por Lorena Alvarenga

24 de fevereiro de 2015


SPOILERS ABAIXO:
Dois episódios realmente bons, com muitos momentos surpreendentes que representaram avanços incríveis na temporada.

Esses dois últimos episódios se destacaram em vários quesitos, tivemos bons momentos de ação, emoção/revelações de segredos. Arrow é uma série baseada em segredos e o principal deles, obviamente, é com relação à identidade do Oliver. Desde o começo da série, espero pelo momento da revelação de sua identidade para Thea e confesso que o time me agradou. Depois de todas as mortes, ameaças e treinamento com Malcolm, a personagem finalmente chegou em um momento de maturidade o suficiente para ouvir um segredo desses e ter uma reação condizente com o momento da série. Por outro lado, se o drama não foi direcionado ao Oliver, Malcolm merecidamente não escapou. Ainda mais se considerarmos a surpresa do episódio 14 onde Oliver revelou que ela foi a responsável por matar Sara, que aliás me deixou de queixo caído, realmente não esperava essa revelação nesse momento.
Um grande acerto do episódio treze, foi trazer o vilão do vertigo novamente para série, além do ator ser sensacional (Prison Break manda lembranças), o personagem é realmente bom. Essa up da droga fez Laurel encarar seus medos e finalmente contar ao pai sobre Sara, foi muito bem pensado fazer a personagem encarar seus medos dessa forma. Já estava mais que na hora de isso acontecer, ter uma Laurel mais livre seguindo seu caminho como Canário vai fazer a série crescer.

A grata surpresa de The Return, foi trazer Slade de volta. O personagem é sensacional e a dinâmica que ele proporciona a série vinha fazendo falta. Ele é um vilão de peso, bem desenvolvido, é sarcástico, apresenta real perigo e simplesmente movimenta qualquer episódio. Apenas amei ver Thea e Oliver na ilha lidando com ele, todas as cenas foram excelentes, e a ideia do Malcolm não poderia ter sido melhor. Nada melhor do que se preparar para luta com Ra’s Al Ghul lutando contra Slade, todos sabem como o pai da Thea é, e não foi surpresa nenhuma ver os métodos de treinamentos nada convencionais do cara. Não dava para esperar nada menos do personagem, mas o melhor dessa história de aliança é ver que apesar da necessidade momentânea, Oliver vem deixando bem claro que essa junção é apenas passageira.
Sempre gostei dos flashbacks da série, sempre considerei como parte muito importante da história, e especialmente essa temporada as coisas não poderiam se desenvolver melhor nessa área. A cada volta ao passado fico mais interessada na história do Oliver e no do resto dos personagens, Oliver junto com Maseo trabalhando para Amanda tem sido no mínimo interessante de se assistir. Fora que as cenas da Laurel com o pai combinaram muito bem com o atual momento da série, mais uma vez vimos a forma como os dois lidaram com o luto na “primeira morte da Sara” e isso só tornou mais emocionante esse segundo luto.

Até aqui a temporada tem apresentado episódios muito bons e esses dois últimos com toda a certeza ficam entre os melhores.

P.s*: Pelos flashbacks dá pra notar facilmente a diferença que um corte de cabelo faz.

P.s**: Morri por uns segundos na cena em que Oliver ficou com cara de bobo quando viu Felicity falando sozinha.

P.s***: Maravilhoso ter Tommy de volta nem que seja só por umas cenas.







Assista a promo do próximo episódio:
Comentário(s)
0 Comentário(s)