Banshee - S03E03 - A Fixer of Sorts

Por Eliane Silva

29 de janeiro de 2015


SPOILERS ABAIXO:
É gratificante falar sobre um determinado episódio de TV e se aprofundar num arco de um dos personagens espetacular, pensando sobre em que nível pode ser divertido, especialmente quando a série é realmente fantástica. Banshee apresentou o terceiro episódio da terceira temporada, não estamos falando do penúltimo episódio e nem do final da temporada e nem de um terço do caminho para o final, simplesmente se trata do terceiro episódio e, se você está pensando se deveria ou não se tornar um viciado em Banshee e queria introduzir uma série com um episódio perfeito A Fixer of Sorts fez de todas as sequências apresentada tão perfeita, com grandes lutas, vilões estranhos, tanta violência e, alguns momentos de emoção surpreendentemente poderosos. Se esse episódio não foi épico, sinceramente não sei qual seria a palavra para descrever esse terceiro episódio. FANTÁSTICO.

Para começar a falar desse episódio, a luta entre Burton e Nola foi um dos melhores momentos da série, e um candidato ainda que muito cedo, para melhor seqüência de luta de 2015. Sabemos que a equipe criativa de Banshee produz estas belas lutas em uma base regular, mas esta funcionou tão bem por causa do movimento (próximo a entrada de automóveis, para dentro e para fora do carro, etc), a edição com os flashbacks intercalados para ambos os personagens mostrando seus traumas anteriores, foi um toque agradável, bem como a duração prolongada terminado com a morte de Nola. Morte essa que achei prematura, pois esperava mais do personagem.

Em outro momento em que Hood foi sequestrado pelo agente especial do FBI Phillips, que foi encarregado de pesquisar a morte do agente Racine e tropeçou na teia de confusão que é Lucas Hood. Mas é claro que isso não era suficiente, Hood escapou de Phillips para ser imediatamente capturado pelo enorme Brantley, o homem que Jason Hood roubou na segunda temporada, e o homem que enviou Quentin o assassino mortal para pegar Jason Hood e recuperar o dinheiro roubado no episódio “Armies of One”.
Hood ficou preso dentro de uma casa, caminhão, que circulou horas por rodovia saindo de Banshee enquanto era torturado para contar onde estava o garoto Jason Hood, até choque ele levou, enquanto o agente Phillips assistia assustado a crueldade aplicada em Hood que aguentava tudo enquanto dizia que ele mesmo matou o garoto e enterrou no meio da floresta, dando uma indicação qualquer do local onde havia enterrado o corpo.

O mais impressionante é que Banshee faz um bom trabalho de forma consistente trazendo conseqüências para Hood, pois tem sempre alguém que sabe uma parte do seu segredo e ameaça colocar em risco tudo o que ele fez acontecer em Banshee. Além disso, a série nunca se esquece de suas histórias ou os erros dos personagens como Hood que tem encontrado dificuldades em suas tentativas de cobrir seus próprios segredos deixados para trás. “A Fixer of Sorts” teceu com sucesso ambos os elementos juntos, pois ambos Phillips e Brantley apareceram procurando por Hood, mas também procurando respostas sobre outras pessoas (ou seja, Racine e Jason). Histórias como essa, mesmo se eles são apenas pontuais porque Hood sempre supera obstáculos incríveis e sobrevive tortura, continua reforçar a ideia de que o passado sempre alcança as pessoas não importa o que quais os nomes que assumem ou que trabalho que eles tomam.

Hood deixando agente Phillips sobreviver com a promessa de que ele deixaria tudo para trás e esqueceria ele, foi uma das grandes atitudes que move Hood. Apesar de tudo ele é uma pessoa decente. Mas ao ouvir do agente que todo arquivo, com todas as informações haviam sido enviadas para a delegacia de Banshee, isso quer dizer nas mãos de Siobhan, deixou claro que não só o relacionamento dele com ela estariam mudados, mas toda sua vida na cidade também.

Esse episódio fez um bom trabalho de reutilizar o interrogatório a partir dos anos inicias da prisão de Hood, até um ponto que eu pensei que era uma espécie de recordação emocional quando ele estava sendo torturado, pensando se sobreviveria ou não. Com as lembranças de Deva, de seu relacionamento com Siobhan e até mesmo com Carrie. Mas essa cena toda se tratava de Siobhan assistindo tudo e descobrindo tudo, uma cena realmente muito bem executada.
Novamente eu falo que esse foi apenas o terceiro episódio e que ainda faltam sete para essa temporada ser finalizada. Foi um episódio onde Carrie que é a protagonista feminina da série não apareceu, não apareceu o Coronel Stowe um personagem que presume ser um grande antagonista nessa temporada; e sem uma ação significativa de Chayton , mesmo com ele matando um veado, um outro indivíduo que continuará a desempenhar um grande papel.

Esse episódio sem dúvida alguma pode ser considerado um dos melhores de Banshee. Um episódio que mostrou um show de atuação, direção, produção e escrita. Tudo em um pacote só com muito sangue e, é impressionante a forma como Banshee transforma a violência brutal em obra de arte. Burton abrindo a garganta de Nola e puxando para fora , sem dúvida a imagem mais terrível que já vi em Banshee.


Veja promo do próximo episódio:
Comentário(s)
0 Comentário(s)