The Originals - S02E08 - The Brothers That Care Forgot

Por Antonio Neto

29 de novembro de 2014

    

   SPOILERS ABAIXO:
Poucas coisas me dão mais prazer ao assistir uma série do que ser surpreendido. Sentir desaparecer aquela sensação de achar que já “matou” toda a trama da temporada, segundos antes de um acontecimento incrível. E bem, The Originals é mestre nisso, como bem mostra em The brothers that care forgot. 

A trama girou ao redor de três núcleos, coisa que vem fazendo bastante ultimamente. De um lado, Klaus em uma luta para restaurar o controle sobre a sua família e joga-los contra a sua mãe. A parte mais interessante foi ver como o Elijah tornou-se mais selvagem após confrontar o seu lado monstruoso. É esplêndido ver o que os roteiristas conseguem criar ao dar traços de selvageria e paranoia ao personagem, jogando com a sua natureza hora calma e controlada. 

Estou gostando de ver como o comprometimento da Hayley com a sua alcateia evoluiu, tornando-se tão sério, partindo da família que ela nunca teve ao grupo que ela lidera e precisa proteger. É uma personagem forte que cresce a cada episódio. Só não me agrada Jack, que ainda parece meio jogado na trama, como se a sua única função na série fosse servir de segunda via em um triângulo amoroso. 
É bom ver uma parte mais leve da trama, dando ao episódio o tempo que precisa para respirar entre todas as suas torturas, planejamentos e manipulações. Sendo assim, o jantar de Davina (que está chaaaaaata), Josh e Aidan, junto à apresentação do pretendente a amiga é uma subtrama digna, que cumpre um bom papel ao adicionar ares corriqueiros a trama. Mesmo que no fim tudo sirva apenas como elo entre um núcleo do episódio e outro, a “argamassa” preparada pela breve arejada da trama é convincente e ajuda, inclusive, no desenvolvimento da história.

Um dos pontos altos do episódio foi a briga entre Davina e Klaus, esses dois personagens sempre borbulham química na tela. Mas, ei, não estou falando em romance ou algo assim, embora seus conflitos de poder sejam sempre tão intensos que cheguem as raias do "shipável".

Mas voltando a família Original, surpreenderam-me os dialógos de Klaus e Finn, ver o quanto o original mais velho guarda rancor de seus irmãos e descobrir que o Finn sabe de toda a história de como a linhagem da família é amaldiçoada. É incrível saber o quanto a Esther confia no filho. O relacionamento dos dois sempre me pareceu um pouco unilateral; Está explicado agora porque o Finn é tão centrado em fazer o que a Esther manda. 
O episódio soube apresentar-se bem, sem cair em suas próprias armadilhas de enrolação (a série precisar avançar, mas não agora). Nele tivemos a volta de velhas características do seriado, como o Klaus manipulador, sempre nos deixando sem saber onde seus planos estão indo ou ao menos se estão dando certo – marca registrada da série. Sóbrio, corrido e revelador - embora, claro, de uma maneira mais leve - The Brothers That Care Forgot é um daqueles típicos episódios que acabam antes da tempestade e nos deixam imaginando o que é que vem depois.

Nota: 07

Menção honrosa: É bom ter a Rebekah de volta e finalmente descobrir que a Esther possui, de fato, planos para ela. Sua ausência em um momento familiar tão impactante - seja de corpo presente ou menção - já estava começando a me incomodar. 

Menção honrosa²: Marcel dá indícios de que a luta pelo controle de Nova Orleans não acabou na primeira temporada. 
Comentário(s)
0 Comentário(s)