Scandal - S04E09 - Where The Sun Don't Shine

Por Pâmela Albuquerque

25 de novembro de 2014


                                                                               SPOILERS ABAIXO:
Bom, enfim chegamos ao winter finale e mais uma vez tia Shonda nos reservou um belo episódio, e melhor, dirigido por Tony Goldwyn, o ator que interpreta o Fitz. Foi tão bom que dá até tristeza ao lembrar que só teremos mais Scandal em janeiro de 2015, já estou ansiosa.

Agora é oficial, a confusão está formada. Aos poucos vamos descobrindo os interesses de poder por trás de todos as ações suspeitas e que pareciam não se encaixar. Neste caso atingir Olivia Pope significa mexer com a única coisa que realmente importa para Fitzgerald Grant. Grandes embates estão por vir.
 
As fotos comprometedoras do Cyrus enfim caíram na rede. Era um desastre anunciado. Para mim significou o impulsionamento para as duas melhores cenas do episódio: A entrega da carta de renúncia ao cargo que o Cy entrega ao presidente fazendo questão de manter total cordialidade, mas que acabou gerando uma cena realmente emocionante. Afinal, era acima de tudo uma parceria. Porém, quem pensou que o grande Cyrus se deixaria abater por estar na mira da imprensa americana, recusando-se ao casamento de fachada com Michael e dispensando a possibilidade de colocar um ponto final na polêmica, se enganou. Ele é Cyrus Beene. E ainda que ele, por um momento, tivesse se esquecido disso, Liv estava lá para lembrá-lo. E foi aí que se deu a outra melhor cena deste episódio, que esporro, que discurso,  foi ótimo!" Bitch baby!".

Outra boa cena foi aquela entre Olivia e o Papa Pope. Demais! O suspense, a tensão entre os dois, o tiro, foi tudo muito bom. Olivia atiraria no próprio pai, foi um bom teste e um rompimento total de relações.

Rowan está tentando fazer a limpa nos ex-membros do B613, cada hora é um que, por conta da "carta mortal", quase passa de uma dessa para melhor. A Quinn foi fazer a meiga procurando Charlie, dizendo para ele se cuidar e voltou a se relacionar com ele. Eu preferia Quinn e Huck, mas acho legal esse clima de parecer que o Charlie vai matá-la a qualquer momento. Acho divertido. E por falar em Quinn, ela está arrasando nessa temporada, se mostrando inteligentíssima, segura e com estômago. Dando um banho no Huck que anda ocupado com a família e tentando se explicar, acho essas partes tão chatinhas, gosto dele como o torturador psicopata com rosto e hábitos de maluco.

Com relação aos relacionamentos amorosos,  o premio de coitadinho da série vai para David Rosen. O cara é todo certinho e só se ferra tanto no amor como no trabalho. Fiquei com pena dele descobrindo o relacionamento de Abby e Leo, que por sinal, onde ele está? Bem que ele poderia fazer parte do elenco fixo.

Uma coisa que eu adoro em Scandal é a atuação da Bellamy Young, ela é demais! E a acidez de sua personagem combina perfeitamente. Adorei ela dando uns foras na Lizzie Bear pela história do vice-presidente. Achei que ela iria ficar mal, ou acuada, mas pelo contrário, ainda acabou com a falsidade.
Olivia continua dividida. "eu quero Vermont com o Fitz e quero ficar ao sol com você, mas eu não vou escolher. Eu escolho a mim, Olivia Pope." Pois é, acho que por enquanto ela vai continuar nessa de nem um nem ouro, mas querendo os dois.

Todos sabemos que em todo o tipo de guerra envolvendo nações estão envolvidos interesses econômicos e políticos por parte de poderosos que jamais estarão em um campo de batalha. São estes interesses que movimentarão toda a trama daqui para frente. Ainda mais agora que a oposição tem recursos (lê-se Olivia) para conseguir desmontar o Fitz.

E mais uma vez vamos para um tempo de espera com a mesma pergunta na cabeça: Onde está Olivia Pope? A diferença é que agora se sabe que no lugar para onde a levaram provavelmente o sol não brilha como nas ilhas paradisíacas. 

Bom, esta foi a última review do ano, até 2015 e um ótimo fim de ano para vocês. :)


Siga nosso TWITTER - Curta nossa FANPAGE - Conheça nosso GRUPO no Facebook


Comentário(s)
0 Comentário(s)