Once Upon a Time - S04E08 - Smash The Mirror

Por Louren Mayara

18 de novembro de 2014


 SPOILERS ABAIXO:
Episódios duplos é a realização de qualquer fã de série, e como Once Upon a Time já tinha mostrado que sabe fazer bem isso, na temporada passada, me enchi de ansiedade para esse episódio, e como é bom ter suas expectativas superadas tão magicamente. Primeiro de tudo Smash The Mirror veio com a intenção de salvar todo esse plot de Frozen, que veio com mais propaganda do que conteúdo, e não só deu um sentido novo para todos os outros acontecimentos, como também trouxe objetivos novos que afetaram todos os personagens envolvidos. 

Finalmente ficamos sabendo o que realmente aconteceu com a Anna, Elsa e Ingrid no passado em Arendelle. Toda a manipulação psicológica/mágica que a Ingrid impôs as duas irmãs, como o amor da Elsa pela Anna foi inabalável, e como isso foi catastrófico para os planos da Rainha de Gelo, desencadeando uma série de modificações em seu planejamento inicial, de modo que, ela acabou incluindo a Emma, fruto de um amor verdadeiro, em seu trio de irmãs mágicas. Todo aquele teatro da Ingrid em afirmações dizendo que sua intenção era criar uma família feliz, só para disfarças suas intenções até o ponto de elas estarem a meio caminho andado, agora que Emma e Elsa estão com as tão perseguidas fitinhas amarelas, e a Ingrid com o seu poder total, varemos se ela realmente tem o poder de destruir um reino inteiro com a sua maldição.

A interação entre Ingrid e Gold foi aos extremos, eles passaram de contribuintes em potencial, para dois lado de uma guerra, que promete. Não é normal ver o Senhor das Trevas sendo usado, ele é sempre o centro de todo o caos mas se viu preso no esquema da Ingrid, o que é atípico e rende boas atuações do Robert Carlyle.
Adoro o fusquinha amarelo da Emma e tudo que ele representa para ela e para nós fãs da série, mas deixando esse símbolo da salvadora de lado, e focando na cruzada que a Emma teve que lidar para finalmente aceitar o que ela realmente é, eu me incomodei com algumas atitudes que acabaram surgindo dela, por desespero talvez, acho que o fato dela ter machucado o Henry foi bem exagerado, mas, ter se deixado levar por uma esperança em acordos com o Gold, em que ela muitas vezes não demonstrou o mínimo de confiança, foi bem difícil de aceitar...pra falar a verdade nunca vou aceitar.

Enfim, toda essa situação de negação da Emma para com a sua natureza renderam momentos emocionantes, dos pai delas, do Killian que nunca ver barreiras para lutar pela Emma, e que acabou virando um objeto para os planos do Gold, mas acima de todos, a paixão que a Elsa desenvolve para os seus ideias, acredito que é inspirado pela Anna, e o paralelo entre a fé dela pela Anna e atualmente pela Emma foi bastante comovente e também com uma conclusão "explosiva", entendam como quiserem (risos).
Aí como é bom ver a Regina se dando bem algo, é ate difícil de acreditar que tá acontecendo de verdade, tive que voltar a cena para ter certeza se era realmente ela, mas no fim só fico feliz por finalmente ela conseguir enxergar uma centelha de esperança para a sua vida de vilã, e também de como o Robin faz bem para ela deixando-a corada e andando com a blusa desabotoada por aí. A ruga de indagação é só pela página do livro mágico que surgiu magicamente na mochila do Robin, não que esse tipo de coisa já não tenha acontecido, mas já está na hora de desvendar o "escritor" que olha por todos os habitantes de Storybrooke. 

Foi um episódio totalmente satisfatório que trouxe histórias dentro das histórias existentes de forma equilibrada. Finalmente tiraram a Regina do buraco social que ela tava, a série perde muito sem a presença dela e do seu lado irônico, e também ainda estou sentindo falta de boas atuações da Jennifer Morrison. Gosto quando falo mal dos diretos de OUAT e eles vão lá e provam que em Storybrooke tudo tem um propósito. 

Siga Nosso TWITTER - Curta nossa FANPAGE - Conheça nosso GRUPO no Facebook

Assista a promo do próximo episódio
Comentário(s)
0 Comentário(s)