Gotham S01E08 - The Mask

Por Louren Mayara

14 de novembro de 2014

 SPOILERS ABAIXO:
Depois de um episódio acima da média, The Mask, trouxe-nos de volta ao estilo procedural, confesso que fiquei um pouco decepcionada esperando que o Victor Zsasz fosse mais explorado, gostei bastante do efeito que ele causou no episódio passado, mas então fomos levados a outra "história semanal" que acabou deixando as falhas da série bem evidentes. 

O caso que o Gordon teve em suas mãos nesse plot foi bem simples, basicamente ele só teve que se esforçar um pouco. O caso era o seguinte, uma firma que usava de meios extremos para selecionar "colaboradores", vamos colocar dessa forma então, com um figurão um pouco místico devo dizer, gostei em especial da máscara. Mas, foi um plot bem simples mesmo, que só serviu como ligação para o ponto forte/fraco do episódio, as relações entre os personagens e as atitudes tomadas de acordo com essas relações.

Sinceramente acho que estão dando uma importância exagerada a relação de Gordon com Bárbara, acho até que isso soa errado já que eles são casados e ela tem importância na vida dele, mas o caso é que tá se tornando uma trama chata e tediosa ao ponto de nem gostar de quando ela aparece. Único momento que achei que foi bem acrescentado, foi ter mostrando as consequências do encontro da Bárbara com o Zsasz, nisso ela foi bem racional e traumatizada, depois daquele momento insano que levou-a à se meter nos planos do Gordon, em um momento de tentativa "heroísmo", trazendo de volta uma frase do Dix, "Sem Heróis".
Vamos falar de assuntos bem abordados agora, começando sobre um rapaz bastante esquisito que encontra a paz em sua relação com o trabalho, o Ed, como é chamado pelo Harvey e o Gordon, mesmo com toda a demostração de seu talento para o trabalho que exerce ele não é reconhecido como deveria, são picos que serão ligados na construção da personalidade doentia do Charada. A relação entre Harvey e Gordon vem crescendo cada vez mais e se firmando um dos laços mais importantes da série, que faz realmente essa dupla funcionar, foi bem interessante ver o Harvey defendendo o Gordon diante de toda a delegacia, foi comovente o ver lutar pelo amigo.

Senti uma mudança positiva nesse episódio, em relação ao plot da máfia, o peso que vinha sendo totalmente colocado em cima do Cobblepot foi transferido, um pouco, pra Mooney, e podemos ver mais sobre o seu plano contra o Falcone e do modo como ela trata "pontas soltas". Adoro a mãe louca do Cobblepot e de como ele é um produto de toda essa devoção que recebe dela, os dois conseguem tornar cada momento que acompanhamos eles, algo preenchedor mesmo ás vezes sendo tão avulso de certa forma.   

O momento que causou mais discussão no episódio deve ter sido o plot do "Brucinho", o rapaz vinha acumulando ódio desde o primeiro episódio e finalmente vimos ele soltando um pouco do peso que carregava sozinho. Sozinho porque a relação dele com o Alfred vinha sendo bastante confusa, mas que finalmente parece se encontrar, não estou falando do fato dele se prestar a ajuda o Bruce a lutar, particularmente achei isso um tanto equivocado, mas sim do estreitamento da amizade paternal que é a maior característica entre esses dois personagens. Mesmo com esses episódios que gosto de chamar de "fôlego" Gotham vem achando seu caminho , embora, ainda não tendo superado totalmente os defeitos comuns de procedurais. 

*Próximo episódio veremos uma introdução ao Duas Curas (:



 Assista a promo do próximo episódio: 
Comentário(s)
0 Comentário(s)