Gotham - S01E06/07 - Spirit of the Goat/Penguin's Umbrella

Por Louren Mayara

7 de novembro de 2014

SPOILERS ABAIXO:
Spirit of the Goat foi para mim um episódio mediano marcado pela transição entre uma situação do passado que voltou a acontecer e trouxe à tona algumas questões que a série vinha destacando tão incisivamente, a personalidade do Harvey.

Um paralelo entre o jovem Harvey que na ocasião tava, praticamente, iniciando sua carreira como policial com um outro parceiro, Dix, e com uma personalidade totalmente diferente do atual Harvey. Não houve como não comparar o passado do Harvey com o Gordon, quem sabe se eles tivessem se conhecido em tempos passados teriam se tornado "irmãos de ideais", mas o que aconteceu é que o Harvey foi totalmente modificado pelo meio, no caso, o sistema corrupto de Gotham,  que é o grande responsável pela falta de esperança das pessoas da cidade, é preciso uma grande força de vontade, um amor pela ética e demasiada esperança para continuar firme no propósito da redenção de Gotham, de certa forma o Harvey se perdeu nessa cruzada, e ele ver suas antigas "crenças" sendo renascidas pelo Gordon e esse é o ponto, que eu acredito, que ficou em evidência para os próximos episódios, já que em Penguin's Umbrella o Harvey decidi apoiar o Gordon nos seus planos contra o sistema.  

Seguindo a linha de procedural e como um amigo meu diz o estilo "vilão da semana" Spirit of the Goat, trouxe pouca empolgação, mas uma história firme e centrada nos próximos acontecimentos, servindo como contexto em anexo e introdução para o desencadear de confusões que a volta do Oswald Cobblepot trouxe.
Com uma desenvoltura totalmente diferente do episódio anterior, Penguin's Umbrella, trouxe novidades que fizeram o episódio fluir rapidamente e aquele sabor que as tramas bem colocadas e fixadas trazem, ficou muito bem acentuado no final do episódio. A temporada de caça ao Gordon foi iniciado pelo UCE e o motivo foi o assassinado do Oswald e teve continuidade pela Fish justamente pelo não assassinato do Oswald ! O que um rapaz cheio de ambições pode fazer com uma cidade inteira ? Então, o Pinguim tá nos ensinando de uma forma viciante !   

A influência da máfia sobre a polícia de Gotham ficou bem evidente desse episódio, dizendo de um jeito menos minimista o poder que a máfia exerce sobre a polícia chegando ao ponto de dar ordens para os oficiais, em especial através de um capanga do Don Falcone, chamado de Victor Zsasz, que será meu foco nessa review. O Victor Zsasz, mas conhecido como Senhor Zsasz, apareceu nos quadrinhos pela primeira vez em 1992, ele entrou em depressão depois da morte de seus pais, e logo depois perdeu tudo que tinha de valor em uma aposta contra o Pinguim, se tornou um serial killer conhecido pela a filosofia de "libertação" que ele emprega para explicar os assassinatos que comete, seu corpo é marcado, por ele mesmo, sempre que comete mais um homicídio, o que foi demonstrado na série, pontos positivos também para o ator Anthony Carrigan que não é só fisicamente parecido com o serial mais também impôs a personalidade do personagem.
Esse episódio parecia uma bomba relógio durante todo o tempo, e a questão era quem seria o detonador. Gordon com toda sua determinação tentou um grande esquema para sair como herói, como foi dito no episódio passado, a regra de ouro de Gotham é: Sem heróis, então o plano do Gordon não saiu como deveria, e ele apenas ganhou um sermão e misericórdia do Don Falcone. 

Mas gente o pivor de tudo nessa série é a diva em preto e branco que anda por aí com uma sombrinha, o Pinguim ! Em passos bem planejados e com um toque de loucura, ele foi adquirindo seu espaço e sua importância e descobrimos que não era só com o Maroni como já vinha sendo mostrado, mas que tudo é um plano dele com o Falcone ! O que deixou a costura da série tão bem feita e cheia de oportunidades que só me enche de curiosidade para o próximo episódio, eu quero ver a anarquia ;) 


 Assista a promo do próximo episódio: 
Comentário(s)
0 Comentário(s)