Arena de Séries - S01E02 - House of Cards Vs The Americans

Por Fabiano Oliveira

25 de novembro de 2014


Essa semana temos uma batalha muito complicada pela frente, o elenco de duas séries aclamadas pela crítica e audiência estão prestes a entrar na nossa #arena de batalhas e não estão para brincadeira. Matar para eles é mais do que rotina, é uma das táticas utilizadas para conseguirem finalizar os trabalhos e ou chegarem aonde precisam chegar. “Senhoras e senhores, ladies and gentlemen deem boas vindas e recebam aos gritos House of Cards e The Americans!”

Desde a nossa última batalha estou recolhendo os cacos que restaram no ringue e trazer ao palco essas duas séries tornou-se um martírio, já que sou completamente apaixonado por ambas. Comandar essa briga será difícil. “Meu nome é Fabiano Oliveira e sou o juiz desta batalha”

Os presentes na Arena de Séries estão extasiados com a cena, será que o casal Frank e Claire Underwood serão capazes de duelar com Nadezhda vulgo Elizabeth Jennings e Mischa vulgo Phillip Jennings? Os russos visivelmente vieram preparados para o combate e a disposição física não nega isso.

Regra fixa: A disputa é dividia em três rounds. Que vença o melhor!

Round one, fight!

Temática e personagens: As duas séries seguem temáticas parecidas, mas ao mesmo tempo bem diferentes. As tramas são políticas, mas uma se passa na década de oitenta e a outra na atualidade; nas duas temos conspirações, mortes, suspense e drama, contudo Elizabeth e Phillip não contam com “capangas” feito Frank, eles estão praticamente por conta própria e são os responsáveis por todo o trabalho sujo que fazem. Estão sempre em território inimigo e atentos aos movimentos do FBI, já que são agentes infiltrados da KGB. São fortes, impiedosos sempre que necessário, cúmplices e assumem diversos disfarces. Os dois também são muito cativantes e dificilmente você encontrará algum fã da série que já torceu contra eles em algum episódio.

É importante salientar que The Americans é mais complexa do que parece, já que acompanha uma equipe de espiões que acabam vivendo uma completa mentira em um país desconhecido. Eles estão dispostos a tudo para conseguirem revelar uma suposta farsa americana, fazendo assim a União Soviética vencer a guerra. 

Frank também tem sua cúmplice, sua esposa. Claire conhece seu jeito de ser e o desejo de poder do marido, talvez tenha sido essa a característica mais acentuada que a conquistou; ela é mais humana e assim equilibra a balança. Ele é um politico sedento pelos holofotes e não ser o centro das atenções é inadmissível. Também é cruel e capaz de aniquilar qualquer um que entre em seu caminho, no entanto, em certos momentos o telespectador torce para que algo dê errado em suas diversas tramóias, sendo esse um dos pontos que faz The Americans sair na frente.

House of Cards também é complexa, tem diálogos inteligentes e se passa em uma realidade diferente. Apesar de elas possuírem os pontos em comum citados anteriormente. Grande parte da história se passa na própria casa branca e tudo está relacionado com conquista de poder e interesses próprios. 

“Frank e Claire estão caídos no chão da #arena graças à rasteira que levaram do time adversário. Mas eles não se darão por vencido, estão se recompondo. Claire avança contra Elizabeth que a recebe aos tapas.”
Round two, fight!

Execução da ideia: Certamente estes seriados estão na minha lista de melhores séries que eu já assisti. Tudo que nos é apresentado é feito com exímia qualidade, não são deixadas pontas soltas e os plots casam perfeitamente. Frank é malicioso e manipula como ninguém as pessoas, muitas vezes conseguiu o que queria sem fazer esforço nenhum, diferente da equipe de russos que sempre pegam os piores trabalhos possíveis já que são os agentes mais qualificados infiltrados nos EUA. 

Para quem gosta de séries e de história, garanto que tranquilamente gostará de The Americans, pois os mistérios da Guerra Fria são seduzentes e as atuações e produção são excelentes. Evidentemente não vivenciei os reais acontecimentos, mas pelo que vejo, e pelo que eu já li, a série sem dúvidas criou o clima de conspiração que tanto é mencionado nos livros acadêmicos. 

House of Cards também conta com esse clima. Os bastidores políticos igualmente são apreciados pelo público e em nada fica para trás. Aquela ideia de representantes passivos e ociosos cai por água abaixo enquanto assistimos, é exibido um universo bem mais cruel do que o imaginável e agora mais do que nunca posso dizer que os leões comem os cordeiros até os ossos. 

“Com todo aparato político e brechas nas leis que Frank tem à sua disposição ele comanda uma investida contra o seus adversários que apesar de resistirem começam a colocar sangue pelos narizes.” “Será que eles conseguirão continuar a batalha? Uma coisa é certa, Phillip e Elizabeth não seguem as leis, não aceitarão essa surra.”.

Round three, fight!

Visão de futuro: House of Cards é um dos carros chefes do NetFlix e abriu precedentes na história ao ser premiada com o Emmy, prêmio esse nunca antes concedido a uma websérie. Mas, como aqui prêmios não são o essencial esse fator não faz com que Claire e companhia leve o título dessa segunda batalha, faz com que eles ganhem mais pontos na disputa.

The Americans já bateu recorde de audiência no canal FX norte-americano e recebe excelentes críticas, mas infelizmente ainda não foi premiada. Não sou crítico qualificado, sou "espectador qualificado" e digo que as atuações, trilha sonora, fotografia, história etc são muito muito bons! 

“Na nossa Arena de Séries começou a entrar todo o elenco de House of Cards e de The Americans.  Uma disputa sangrenta começou e até o próprio presidente dos EUA está na batalha.”.

"Um silêncio quase que constrangedor atinge a #arena do Séries Em Foco, quando de repente  Frank começa a dialogar com todos presentes, igual faz nos episódios exibidos pelo NetFlix, ele está ciente da situação e disposto a sacrificar tudo e todos para vencer a batalha."

Os dois shows prometem seguir com suas temporadas por mais alguns anos, gerando certo alívio em quem assiste as séries.

Como a decisão está nas minha mãos e, embasado em tudo o que já foi dito até agora, o vencedor da disputa é House of Cards, que venceu por muito pouco, repito, muito pouco! Ganhou por conter melhores diálogos e também uma abordagem jornalística ótima. Sai um pouco do favoritismo e nos mostra como é a realidade do mais forte, do poderoso, ele que consegue se sobressair sobre todos, graças ao dinheiro e influência. 

Se você quer ver a sua série preferida em nossa #ArenadeSéries, deixe suas sugestões nos comentários.

Por: Fabiano Oliveira
Comentário(s)
0 Comentário(s)