OPINIÃO - O SUCESSO DE THE NORMAL HEART

Por Alvaro Luiz Matos

5 de setembro de 2014


Criei interesse sobre essa série/filme primeiramente pelo Emmy, posteriormente fui ler a sinopse, vi o elenco e foi na medida pra me empolgar e assistir.


Trabalhei algum tempo na prefeitura de minha cidade na secretária de saúde, e lá pude integrar a equipe de setor chamado “CAP” (Centro de prevenção e atenção DST-AIDS) e em paralelo participei de algumas ações em uma ONG chamada SOS AIDS. Portanto o assunto me interessa bastante já que conheço portadores, conheço os riscos, e por ter trabalhado em toda essa conscientização para prevenção e principalmente contra o preconceito.

Isso só serve pra conceituar, afinal falaremos aqui da série, que com certeza te agradou também, ou ainda irá te agradar.

The Normal Heart voa no tempo pra contar um pouco mais sobre a “praga gay” que recebia esse apelido por primeiramente ter atingido um numero assustador de homossexuais. O início foi bem impactante, não pela festa na praia, mas pela promiscuidade de parte do evento, dando um contexto real a doença, que se propaga de forma sexual, principalmente quando esse ato é feito sem nenhuma proteção (Lembre-se que o contagio se dá em contatos sanguíneos, um simples alicate de unha contaminado em sua manicure pode ser o transmissor da doença se não esterilizado da forma correta). 


A série vai crescendo, a luta vai aumentando, o roteiro se desenvolve com uma rapidez incrível, cria boas relações e define bem seus personagens. As perdas, a luta por ajuda, por um governo que se proponha a estudar e desenvolver algum medicamento, por recursos, contra o preconceito e pela vida faz da série muito tocante e vai deixando no espectador uma sensação de agonia e de impotência. 

O mais incrível que nisso tudo algumas histórias de amor são tão sutis que favorecem para o contesto da série, criando uma atmosfera ainda mais crítica. Afinal quem não sofreria ao ver seu amor se despedindo da vida dia após dia em condições precárias de existência? E puxando nesse ponto podemos citar atuações respeitáveis de boa parte do elenco principal, que foi muito bem escolhido (Julia Roberts era bonita quando eu era criança, alguém pode me explicar o que aconteceu de lá pra cá?).

Não há muito que escrever, não quero fazer um texto com spoilers, apenas acho que a série é perfeita pra quem tem qualquer tipo de preconceito (e a série irá te ensinar que deveria pensar diferente), ou pra quem o combate, ela serve pra quem não tem informação nenhuma, e até mesmo pra quem tem várias, ela serve pra quem gosta de histórias de amor e superação, mas pra quem gosta de séries densas com diálogos profundos e reflexões. The Normal Heart é simplesmente emocionante.

Quero aproveitar também e utilizar essa postagem como utilidade pública. Galera, o uso de camisinha não evita só gravidez, evita AIDS, e outras tantas DST’s. Compartilhar agulhas e seringas pode te trazer problemas. Objetos perfuro-cortantes como alicates e cortadores de unha que podem vez ou outra arrancar um “bife” e ser contaminado com o seu sangue ou o de outra pessoa, também pode ser o suficiente pra transmissão. Respeitar aqueles que possuem qualquer doença, raça, credo ou opção/orientação sexual é imprescindível para que você seja respeitado como uma pessoa de bem. Portanto, vamos cuidar de nós mesmos e respeitar os demais?

Espero que assistam e gostem da série. 

VOCÊ POSSUI UMA OPINIÃO SOBRE O ASSUNTO? COMENTE
Siga nosso TWITTER - Curta nossa FANPAGE - Conheça nosso GRUPO
Comentário(s)
0 Comentário(s)