TYRANT - S01E06/07 - WHAT THE WORLD NEEDS TO KNOW/ PREVENTATIVE MEDICINE

Por Dana Rodrigues

12 de agosto de 2014

SPOILERS ABAIXO:
Vou começar essa review dupla com desculpas pela demora e também confessando a vocês que já não estava tão empolgada com essa série. Sim, esse foi um dos motivos que atrasei dois episódios dela. Sabem que por um lado não me arrependo? Porque pelo modo que o episódio 6 terminou, ficaria muito ansiosa esperando pelo sétimo! Nossa, eu sinceramente estava esperando esse tipo de coisa na série. Algumas pessoas acharam que essa cadeia de eventos aconteceram muito rápido para uma temporada e poderia até concordar se soubesse que essa série foi renovada (pelo que eu saiba ela foi projetada para ser uma minissérie). O fato dela até então ser uma minissérie é uma boa por um lado, pois quem é impaciente como eu tem um fechamento de plots e o início de outros, mas para quem é paciente e adora ver o desenvolvimento lento dos personagens isso pode chegar a incomodar um pouco (mas acho que nem tanto assim).

No sexto episódio da série vimos mais uma vez a influência de Bassam nas decisões de Jamal, quando este último concorda em receber o Sheik. Acho engraçada e perigosa ao mesmo tempo essa sensação de grandeza que o Jamal tem. Tudo bem que ele é o presidente, mas não é tão amado assim quanto acha que deveria. Falando nisso, dei altas risadas com a reação do Jamal à entrevista ao Sheik, que foi tratado pela imprensa como um rock star. Todos sabemos o quanto o presidente de Abbudin pode ser explosivo e por isso precisou ser “treinado” para responder à proposta do Sheik -“Let me take that under advisement”-. A proposta de eleições livres para um povo acostumado à sofrer com o governo opressor e nepotista foi muito interessante, visto a situação em que se encontra o país.
Achei a prostituta (amante?) do Jamal inserida na trama meio que por acidente. Pareceu ter sido colocada para permitir todo o desabafo do Jamal nesses dois episódios. Foi uma coisa do tipo: “precisamos mostrar o que o personagem está sentindo, uma confissão. Então vamos colocar uma personagem aí que não comprometa a trama e que permita isso.” Mas no fim das contas foi interessante ver todo esse lado de Jamal, que sinceramente eu não sabia que existia. Toda essa volta à infância, ao tempo – mesmo que curto – que ele foi feliz. Acho que nos fez conhecer mais um pouco desse personagem tão importante. E, na cena final do episódio 6, vemos Jamal chegando para assinar o projeto de lei para as eleições livres de Abbudin. É nessa hora em que ele e o Sheik se confrontam no banheiro e este último faz umas declarações que, convenhamos, já sabíamos:  o leão Jamal não é ameaça e sim o irmão dele, o domador. E é com essa declaração que Jamal se revela Jamal (é bem redundante mas não deixa de ser verdade). 
No episódio 7 dessa temporada nos deparamos com muitas informações importantes. Tariq, general e tio, foi o responsável pelo atentado de gás em Maan e não o Khaled, como Barry e todos achavam. Isso me fez pensar na relação entre Khaled e Tariq, irmãos assim como Bassam e Jamal. Um é praticamente o oposto do outro, e dessa forma governaram por anos. Será que teríamos um replay do passado? Aparentemente não. É nesse episódio que vemos que finalmente Bassam fez o que todos estavam esperando (falo de nós telespectadores): decide concorrer à presidência contra seu irmão. Barry viu que Jamal não tem condições de governar (e que no fim das contas acho que no fundo Jamal não quer ser presidente de verdade, mas é orgulhoso e tem a mania de grandeza/poder que falei no início), principalmente depois do atentado à vida do Sheik, que se chegasse à público causaria ainda mais uma ruptura no governo. Atentado esse que acabou ficando de certa forma nas mãos de Barry, que interviu e acabou com a vida do Sheik de uma vez por todas.

P.S: Acho os filhos de Barry tão desinteressantes que eles só apareceram no episódio por causa da tia, que chegou ao palácio. Achei ela tão sem sal e sem graça quanto eles, mas acho que muita confusão vai resultar disso aí. Mais um plot para Molly.

P.S 2: Leila, mulher de Jamal: aí sim é uma tirana, ein?! Nossa, ela tenta de todas as formas possíveis fazer a cabeça de Jamal mas quase nunca consegue! Também, né? Com essa cara de ódio o tempo todo e sem demonstrar o amor que sente por ele (HAHA ri demais da cena dele pedindo “amor” à ela).

E aí, gostaram dos episódios? Estão satisfeitos com o rumo que a série está tomando? Comentem!



Siga Nosso TWITTER - Curta nossa FANPAGE - Conheça nosso GRUPO no Facebook 

Assista a promo do próximo episódio:
Comentário(s)
0 Comentário(s)