PRIMEIRAS IMPRESSÕES - A TO Z

Por Alvaro Luiz Matos

25 de agosto de 2014


A NBC vem ganhando algum dinheiro de alguma maneira inexplicável, pois o canal não só voltou a acertar em algumas séries como também começa a apresentar pilotos com qualidades visuais muito melhores do que as dos últimos anos. A to Z parece apresentar uma proposta estética que pode agradar muito quem a assiste.

Os cenários ficaram muito bem montados, mas a beleza estética também é atribuída ao casal principal que conta com um ator de apelo romântico e uma atriz que já demonstrou toda sua simpatia em HIMYM. Acertar na química é algo difícil, mas escolher dois atores igualmente simpáticos e atraentes ajuda nesse processo e isso sem dúvida é um ponto forte para a série.

Outra coisa que me interessou logo de cara foi a proposta feita contando um pouco de cada um dos protagonistas e dando o tempo exato que o namoro durou, isso faz com que tenhamos a impressão de continuidade, de planejamento e de uma história fechada, muito semelhante a HIMYM (sim, me sinto órfão de HIMYM e vou em buscar incessantemente que uma série me traga novamente aquela sensação).

Outra semelhança (já que falei do “estilo HIMYM” de séries) foi algumas inserções que procuravam justificar os acontecimentos, esses flashback's sempre ajudam a série a se desenvolver em longo prazo e constrói uma mitologia com o passar das temporadas. Ou seja, é bom ver uma comédia investindo nisso e pensando mais a frente.
O mais legal é que geralmente escrevo minhas reviews parando o episódio e falando o que pensei no certo momento, portanto antes de escrever esse trecho nem sequer assisti o episódio completo, apenas fui dando minhas opiniões dos minutos iniciais, porem fui assistindo, assistindo e não parei em nenhum outro momento e isso me fez ter a conclusão mais exaltada por mim: Um piloto de comédia conseguiu me prender á sua história (fato extremamente raro).

Então de forma rápida e um pouco redundante (porque já disse acima o que achei) vou resumir aqui o que me fez gostar dessa série. Primeiro o ambiente, os cenários e a ambientação bastante “clean”, a história que parece ser bastante fechada e planejada, a atuação impecável de Cristin Millioti e Bem Feldman que além de serem super fofos juntos (mais do que Ted and Mother) foram eficientes nas atuações (o que é sem dúvida o ponto alto do episódio).

Também gostei da história de amor que mistura amigos, mas não em um bar ou em uma sala (como é de costume), mas em ambiente de trabalho, separados por uma janela entre os prédios, as pessoas esquisitas, um exímio golpista, e algumas brincadeiras bobas que ainda podem vim a ser engraçadas.

Enfim, a série me prendeu, me fez apaixonar pelo casal e agora é torcer para que a audiência seja boa e que mais uma boa série não seja cancelada (a NBC é mestre nisso).


ASSISTA A PROMO DO PILOTO:
Comentário(s)
0 Comentário(s)