OPINIÃO - CONTINUAR PARA QUÊ? QUANDO A RENOVAÇÃO DA SUA SÉRIE SE TORNA UM PESADELO

Por Alvaro Luiz Matos

29 de agosto de 2014


Uma das coisas que tem me irritado ultimamente é ver como no mundo literário está sendo banalizado com continuações de grandes sucessos com histórias tão terríveis que podem até estragar o original. E o que falar da mania de trilogias? Ultimamente, tudo tem que ser trilogia! Até os romances entraram nessa modinha que pode ser o declínio para muitos personagens, que começam a perder sua essência tomando atitudes estranhas apenas para seguir com uma história que nem deveria ter começado. 

E enquanto a minha revolta só aumenta ao ler continuações dos livros, como “Belo Desastre” e “Entre o Agora e o Sempre” percebi uma coisa: Nós, seriadores, também estamos passando por algo semelhante. Ou vai dizer que não tem uma série na sua grade atual que você pensa que já poderia ter terminado, mas quem continua sendo renovando apenas pela audiência e o lucro que ela proporciona aos canais? Bom, eu não apenas tenho uma, mas uma listinha: #GreysAnatomy, #TheVampireDiares, etc...

Séries que já estão tão desgastadas que acabam reciclando seus próprios plots. Algumas estão encontrando seu fim, mas deixando uma mancha na sua trajetória que não haveria necessidade, se não fosse pela ganância dos canais. Sim, estou falando de #TrueBlood e #Dexter. Ou alguém por acaso se empolgou com algum desses finais de séries? Ah sim, muita empolgação, mas nenhuma satisfação em ver uma série que um dia você contava os dias para voltar do hiatus e hoje em dia você boceja vendo um episódio.
E o que dizer daquelas que nem canceladas foram e parecem ter uma longa vida ainda? Sim, agora são vocês, #GreysAnatomy e #TheVampireDiares. A primeira está em um loop infinito de plots repetidos, tramas chatas e personagens perdendo o meu respeito e amor. E agora sem Cristina Yang, vocês realmente acham que algo vai melhorar??? #IDontThinkSo

E em relação a #TheVampireDiares... Gente, passei a última temporada tentando entender o significado maior de todo meu tempo perdido assistindo a série. Quando parecia que ia voltar aos eixos, vinha o próximo episódio e desanimava... Até a satisfação de torcer pelos meus casais a série conseguiu tirar, fazendo voltas e mais voltas que não chegavam a lugar nenhum.
E ai você se pergunta: Mas, Nicole, por que você não simplesmente larga? Bom, eu adoraria fazer isso. Juro que já tentei com #GreysAnatomy, após aquela ridícula e desrespeitosa season finale da oitava temporada. Só que advinha? É difícil, quase impossível deixar de se importar com a série e os personagens que um dia você tanto amou.
Então, eu não via mais os episódios, mas continuava indo atrás de saber dos spoilers e ler as reviews do episódio. De forma gradual, acabei voltando a assistir a série, irritada comigo mesma por ser fraca demais e dar o que os canais tanto querem: Voltar a dar volume a fan base da série. No fim, percebi que isso é que faz de mim uma seriadora. Amar tanto uma série que a acompanha durante todo o processo de doença degenerativa até o leito de morte. #SadButTrue

A questão é que não deveríamos passar por esse tipo de coisa. Nós, seriadores, deveríamos ter ao alcance as melhores séries com alta qualidade até o seu fatídico fim. Um fim que seria tão extraordinário quanto o seu começo.

Pelo menos, esse é o meu sonho. Quem sabe um dia? Enquanto isso, temos apenas duas opções: Sofrer e perder tempo assistindo algo que não acrescenta e nem proporciona lazer. Ou desistir e iniciar uma longa lista de séries “largadas”. Eu ainda estou na primeira opção na maioria das séries, mas já consegui passar para a segunda com #PrettyLittleLiars... Ou seja, ainda resta esperança para mim. Infelizmente, não posso afirmar o mesmo em relação a essas séries que deixaram o propósito de bom entretenimento para apenas máquina lucrativa dos canais.

Comentário(s)
0 Comentário(s)