TYRANT - S01E05 - HAIL MARY

Por Dana Rodrigues

28 de julho de 2014

SPOILERS ABAIXO:
Se você achava que a chegada de Bassam até Abbudin seria a salvação, você está correto (pelo menos até o momento). Para mim já era esperada toda essa capacidade de manipulação (até então “boa” e necessária) de Bassam sobre o irmão Jamal, que apesar de ser o atual presidente/governante, depende praticamente inteiramente de Barry para tomar decisões importantes (mesmo depois de ficar extremamente chateado com a mentira de Bassam, relacionada com suas supostas reuniões de negociações com Ihab). Vimos uns episódios atrás que Bassam tomava as dores do irmão e acabava acatando nas crueldades do pai, fato que me faz pensar que ele pode ser um cara consciente, porque passou por toda aquela experiência traumática e acabou se moldando uma pessoa mais calculista e determinada ou ele é um psicopata enrustido, no armário. 

A personalidade explosiva de Jamal e suas atitudes deploráveis já não são segredo nenhum, ele ameaçando o sogro daquela forma (mesmo errado) mostrou mais um pouco disso. Uma coisa que acho interessante é que quando o irmão entra em cena ele muda um pouco. É só Bassam falar algo (tá, que normalmente faz sentido) que vemos Jamal ceder. Falando nessa personalidade de Jamal, acho que poderiam talvez explorar mais, colocar mais cenas chocantes e moldar mais um pouco desse personagem tão importante. Talvez mais umas cenas de quando eles eram crianças juntamente com o pai ditador, a presença da mãe na vida dos dois – até agora achei que ela é só um fantoche – e a relação dos irmãos com a Leila, pois em episódios anteriores deu-se a entender que os dois teriam algo a ver com ela.

Então Bassam tenta conquistar a paz em Abbudin, coisa que o pai dele não fez. É até razoável que a trama se baseie nisso e acho que é um tema muito interessante. E é apropriado para uma série com apenas 10 episódios (até agora). Durante este episódio eu achava que talvez ele não conseguisse conversar e convencer o Sheik, mas no final das contas vimos que mais uma vez Bassam assumiu o papel do irmão e conseguiu fazer algo que Jamal jamais conseguiria com aquele senso de autoridade máxima, crueldade, pouca diplomacia, falta de experiência e sem esquecer da esposa e do tio que são farinha do mesmo saco. Ah, acho que também ver o destino de Mubarak também influenciou a decisão de retirar as tropas de Jamal.
Ihab já deu o que tinha de dar, esse episódio mostrou isso. Ele quer jogar lenha na fogueira e não quer se queimar. Quer incitar o povo e não sofrer as consequências. Foi muito inteligente de Bassam ir até o pai, que mesmo idoso e doente me pareceu bastante sensato. Sobre o plot da esposa de Bassam, achei um tanto forçado, me pareceu que fizeram isso para dar alguma história para ela. Confesso que fiquei com pena da Nusrat, mas fiquei surpresa com a coragem dela de fazer com o pai fosse atrás da anulação do casamento. Mas convenhamos que isso não iria acontecer, muito menos com os Al Fayeed.

Uma coisa que senti falta nesse episódio foram os filhos de Barry, embora não goste muito deles (acho desinteressante a relevância deles na história. Também acho que estão ali para mostrar Barry como um americano normal, com uma família normal que devido a problemas com sua família poderosa no oriente médio teve de voltar para a cidade-natal para lidar com tudo).

E aí, gostaram do episódio? O que estão achando dessa aposta da FX na summer? E a review, curtiram? Comentem!!




Assista a promo do próximo episódio:
Comentário(s)
0 Comentário(s)